Registros de homicídios crescem 18,4% em 9 dias

Publicação: 2018-01-11 00:00:00 | Comentários: 0
A+ A-
Nos nove primeiros dias de 2018, o Rio Grande do Norte registrou 45 assassinatos, número 18,4% maior que o mesmo período de 2017, quando 38 pessoas foram mortas de forma violenta. Os dados foram divulgados nesta terça-feira (9) pelo Observatório da Violência do Rio Grande do Norte (OBVIO-RN). A média diária de assassinatos no Estado está em 5,63, contra 4,75 no mesmo período do ano passado, e 5,00 em 2016.

No início de março, a Secretaria da Segurança Pública do RN (Sesed) e o governador Robinson Faria afirmaram que o principal motivo para o aumento no número de mortes foi o acirramento na disputa entre facções criminosas que comandam o tráfico de drogas
Em um pouco mais de uma semana, houve crescimento no registro de homicídios no Rio Grande do Norte

Do dia 19 de dezembro até o dia 8 de janeiro, quando as polícias civil e militar paralisaram as atividades por causa do atraso no pagamento dos salários e falta de condições de trabalho, foram registrados 144 homicídios, de acordo com dados do Obvio. O dia mais violento foi o dia 29 de dezembro, quando 18 pessoas foram assassinadas no Rio Grande do Norte. Para este período, o número é 29,73% maior em relação ao mesmo intervalo entre dezembro de 2016 e janeiro do ano passado, segundo o levantamento.

Apesar do elevado índice de mortes, na última avaliação feita pelo comando da Operação Potiguar III, o general de Brigada Ridauto Lúcio Fernandes, afirmou que a situação da segurança no Estado é considerada estável em relação ao que estava nas semanas anteriores. "O que buscamos é trazer e manter os índices de criminalidade em níveis compatíveis com a situação existente antes do movimento que causou a diminuição do policiamento e, se possível, abaixo disso", explicou o General Ridauto.  Se compararmos os nove primeiros dias de operação com os nove dias antes das tropas entrarem, disse ele, se verifica redução de 14% no número de roubos e de 35% nos crimes com violência letal intencional, os homicídios.

As Forças Armadas, de acordo com o decreto presidencial, estão previstas para permanecer atuando no Rio Grande do Norte até o dia 12 de janeiro. De acordo com o General Ridauto Lúcio Ferdandes, a redução nos índices gerais de criminalidade e a estabilização da situação indicam "não haver necessidade de prorrogação da permanência das forças federais". A situação, no entanto, estava diretamente condicionada à volta dos órgãos de segurança pública e ao desempenho das atividades que lhes dizem respeito, o que ocorreu na manhã de ontem. 

Homicídios no RN
45 assassinatos ocorreram de 1 a 9 de janeiro no Estado
18,4%
foi o percentual de aumento em relação ao mesmo período de 2017, quando 38 pessoas foram mortas de forma violenta
5,63 é a média diária de homicídios no RN


continuar lendo



Deixe seu comentário!

Comentários