'Repasse ao setor privado é novo alento'

Publicação: 2017-05-21 00:00:00 | Comentários: 0
A+ A-
O presidente do Sindicato das Empresas do Setor de Petróleo, Gás e Combustíveis do Rio Grande do Norte (Sipetro/RN), Fernando Lucena Soares, declarou que o processo de desinvestimentos da Petrobras não é sinônimo de abandono da produção em solo potiguar.

“Alguns poços foram parados por questões técnicas e por alto custo de manutenção. A Petrobras está priorizando as bacias de Santos e Campos, pois lá a produção é muito maior. Passar a produção dos campos maduros para as empresas privadas vai dar um novo alento ao RN. É fundamental para o estado que a atividade volte a ser como era antes. Espero que possamos ter resultados bons daqui pra frente”, disse. O presidente do Cerne, Jean-Paul Prates, destacou que os campos terrestres “necessitam de uma urgente revitalização, pois a atividade de exploração em terra parece estar morta, mas não está”.

O coordenador-geral do Sindicato dos Petroleiros e Petroleiras (Sindipetro/RN), José Araújo, destacou que a entidade está disposta “a colaborar com a reativação das atividades de petróleo em terra na Bacia potiguar e entende que faz-se necessário que a Petrobras retome seus investimentos no Rio Grande do Norte e Ceará, e que seja alterada a legislação permitindo a convivência entre a Estatal e os pequenos e médios produtores de Petróleo, que passariam a operar os campos ou concessões que não sejam do interesse da Petrobras. Caso não seja feito desta forma, estaremos apenas transferindo as operações da Petrobras para outra grande operadora".

continuar lendo



Deixe seu comentário!

Comentários