Representante do RN recebe certificado de excelência internacional na Rússia

Publicação: 2019-08-27 18:49:00 | Comentários: 0
A+ A-
O Brasil ficou entre os países com a melhor educação profissional do mundo. A delegação brasileira de 63 jovens conquistou o terceiro lugar no ranking geral da 45º WorldSkills Competition - a olimpíada mundial de profissões técnicas. O aluno do Senai-RN, Raimundo Nonato Luiz Farias, recebeu o certificado de excelência internacional em áreas estratégicas para a indústria do futuro. O estudante defendeu o país, durante o torneio na Rússia, na ocupação instalações hidráulicas e a gás. É a primeira vez que o Rio Grande do Norte terá competidor na ocupação

A cerimônia de entrega de medalhas e encerramento aconteceu, nesta terça-feira (27), na Arena Kazan, um dos estádios da Copa do Mundo realizada pela Rússia. Nesta edição, realizada entre os dias 22 a 27 de agosto, 1.354 jovens de 63 países participaram do torneio.
Raimundo recebeu o certificado de excelência internacional em áreas estratégicas para a indústria do futuro
Raimundo recebeu o certificado de excelência internacional em áreas estratégicas para a indústria do futuro

Para ser o representante do país na WorldSkills, o aluno do Centro de Tecnologias do Gás e Energias Renováveis (Senai/CTGAS-ER) Raimundo Nonato, de 20 anos, superou uma maratona de estudo e treinos. Primeiro, participou da etapa escolar da competição, onde se classificou para a nacional, realizada em Aracaju (SE), em agosto de 2018.

Conforme regulamento, os dois primeiros colocados da etapa nacional passam por uma nova avaliação, feita em dezembro, em Brasília, na qual, mais uma vez, o aluno do CTGAS-ER garantiu o primeiro lugar e, consequentemente, a vaga na delegação Brasileira da WorldSkills 2019. E, desde janeiro desse ano, mudou-se para Brasília para o treinamento intensivo no Departamento Nacional do Senai.
 
“A educação técnica profissional abriu mais do que o mercado de trabalho, abriu um mundo. Sou muito grato ao Senai pela formação e pela oportunidade de conhecer outros lugares, culturas e aprender ainda mais para ser um bom profissional”, afirma o paraense, que chegou a Natal há dois anos.

Nonato lembra que oportunidade de qualificação técnica profissional veio com o curso de aprendizagem técnica em Mecânica Industrial do Senai, oferecido de forma gratuita para funcionários da empresa em que trabalhava como menor aprendiz. Depois disso, se matriculou em outros cursos do Senai.

O presidente da Fiern, Amaro Sales de Araújo, avalia que a participação do aluno na competição, em Kazan, fortalece o ensino profissional no Brasil e no Estado.  “O Senai-RN tem uma história de conhecimento, medalhas e vitórias neste tipo de competição, o que demonstra a excelência na formação profissional. Ao ter um representante em mais uma competição deste nível, demonstra que prossegue cumprindo sua missão”, destaca o presidente da Fiern, Amaro Sales.

O professor e treinador Kerginaldo Nogueira comentou que a classificação de Raimundo Nonato confirma a formação profissional de excelência, assegurada pelo Senai. “Isso demonstra a qualidade do ensino e dos cursos do Senai do Rio Grande do Norte”, destacou.
 
Outro representante do RN, o aluno do Curso de Garçom do Senac, Gustavo Almeida foi o 20º colocado entre os competidores de 33 países, na ocupação Serviços de Restaurante.

A WorldSkills é o maior torneio de educação profissional do planeta. A cada dois anos, jovens de até 22 anos disputam medalhas de ouro, prata e bronze em um país diferente. Cada ocupação tem provas específicas, nas quais os competidores precisam demonstrar habilidades individuais e coletivas e realizar provas em padrões internacionais de qualidade.

Brasil fica em terceiro lugar na competição mundial
Após quatro dias de provas em 56 modalidades que reproduziram o dia a dia do mercado de trabalho, os brasileiros conquistaram duas medalhas de ouro, cinco de prata, seis de bronze, assim como 28 certificados de excelência, em áreas estratégicas para a indústria do futuro. O Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI), que é a instituição brasileira oficial na competição, treinou 56 jovens e o Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial (Senac) foi responsável por outros sete.
 
A China, que sediará a próxima WorldSkills, em 2021, na cidade de Xangai, veio com força total e ficou em primeiro lugar no ranking de pontos totais. A Rússia, a anfitriã do torneio, abocanhou a segunda posição. A Coreia do Sul ficou em quarto. A delegação brasileira tem se estabelecido entre as equipes mais vitoriosas da competição. Foi a grande campeã quando o evento ocorreu em São Paulo, em 2015, pela primeira vez em um país da América Latina. Na última edição, em Abu Dhabi, nos Emirados Árabes Unidos, alcançou o segundo lugar.
 
“O resultado, para o Brasil, demonstra o alto nível de excelência da educação profissional brasileira. Além do número de medalhas, o padrão de qualidade que nós demonstramos, nesta edição, em Kazan, em 73% das ocupações, o Brasil estabeleceu um padrão de excelência. Ou seja, a cada quatro competidores brasileiros, três têm referência da WorldSkills, o que é muito bom, o que nos coloca entre os melhores do mundo”, avalia o diretor-geral do SenaiI, Rafael Lucchesi, que é delegado brasileiro na organização internacional que leva o mesmo nome da competição.

Segundo Lucchesi, o Brasil, como nação, precisa refletir sobre os resultados da competição e alterar sua matriz educacional para investir mais em educação profissional. Além de sediar a competição mundial, a educação profissional faz parte do projeto do país governado por Vladimir Putin. Neste momento, os russos reformam escolas em suas 85 regiões autônomas para ampliar e fortalecer o ensino técnico.





continuar lendo


Deixe seu comentário!

Comentários