Esportes de Primeira - Itamar Ciríaco
Respeito
Publicado: 00:00:00 - 15/01/2022 Atualizado: 22:36:18 - 14/01/2022
Itamar Ciríaco - itamar@tribunadonorte.com.br

A rivalidade é um dos sentimentos que move o futebol. No entanto, há de se colocar, lado a lado, rivalidade e respeito. Sem esse segundo o primeiro perde o sentido, descamba para a violência, a falta de educação e a antidesportividade. Alguns personagens que fazem o mundo do esporte precisam ter, na minha visão, mais responsabilidade com essa relação que outros. Até por estarem no foco, os cuidados precisam ser redobrados. Nós da imprensa, árbitros, dirigentes e jogadores, entre outros, devem se comportar com o devido respeito. Os atletas precisam lembras que eles servem de “espelho” para muitas crianças. Suas roupas, penteados, músicas, etc., viram moda para os mais jovens. Assim também o é em relação ao comportamento. Não apregoo que o jogador vire um monge, muito pelo contrário. No entanto, atitudes como a do jogador Thiago Potiguar, flagradas em video, ao fim do confronto contra o ABC precisam ser repudiadas e punidas com rigor. Os gestos, primeiro reprováveis por acusar a arbitragem de forma irresponsável e, depois, obscenos em direção a torcida, onde estavam mulheres, crianças e idosos, não podem ser relevados. O jogador, experiente, sequer pediu desculpas. Na legislação esportiva, ele infringiu os   artigos 243-F, 254 e 258-A do Código Brasileiro de Justiça Desportiva (CBJD). Caso seja denunciado, ele poderá ser punido e a pena prevista para este tipo de infração é de um a dez jogos. Para que seja julgado, um processo precisa ser aberto no Tribunal de Justiça Desportiva do RN. O próprio TJD, independente de denúncia, pode, de ofício, solicitar as imagens e denunciar o jogador.

Rodada
A rodada deste fim de semana, do Campeonato Potiguar tem jogos muito interessantes para a torcida acompanhar, mas a partida que tem tudo para ser a mais equilibrada acontece no estádio Leonardo Nogueira - Nogueirão, em Mossoró. O Potiguar, que até o momento só venceu e também só atuou nos seus próprios domínios, recebe o Globo às 16h. No Nazarenão jogam Força e Luz x ABC. No José Rocha, América x ASSU e no Frasqueirão, Santa Cruz x Potyguar. Tudo destes jogos você acompanha na rádio Jovem Pan News Natal - 93.5 FM. No Nazarenão estaremos eu, Ivan Nunes e Ícaro Carvalho. Na Arena América estarão Ricardo Silva e Anthony Medeiros. A ancoragem é de Ronaldo Jorge.

Pesquisa
O IBOPE Repucom divulgou a edição 2021 do estudo que tem como objetivo mapear os patrocinadores de uniforme dos clubes presentes na série A, organizando-os por propriedade (local de aplicação da marca) e respectivo segmento de mercado, possibilitando uma visão ampla e detalhada sobre o mercado de patrocínio nas camisas da elite do futebol nacional.

Pesquisa 1
Desde o início da temporada 2021 até o término do Campeonato Brasileiro, os 20 clubes da Série A estamparam 172 patrocinadores diferentes em seus uniformes, volume 19% maior em relação a 2020 (145) e elevando a média de sete para cerca de nove marcas patrocinadoras por clube. Além do acréscimo expressivo no volume de marcas patrocinadoras, outro fato favorável é que seis em cada dez marcas que patrocinaram algum clube em 2020, seja em patrocínios regulares, pontuais ou fornecedores de material esportivo, permaneceram como patrocinadoras em 2021. Este índice, relevante e animador, ilustra que além da retomada do calendário esportivo, também caminhamos para um próximo ciclo mais aquecido e com ótimas perspectivas oportunidades.

Pesquisa 2
O segmento “Imobiliário, construção e acabamento” dominou em volume de marcas diferentes nos uniformes nos clubes da Série A em 2021. O setor, que em 2020 teve 26 marcas diferentes nos uniformes da Série A (+56% em relação a 2019), totalizou 30 marcas únicas em 2021, 15% a mais que a temporada anterior. Destaca-se a categoria de Tintas, que liderou pelo segundo ano e contou com 6 marcas diferentes patrocinando times no Brasileirão 2021.

Pesquisa 3
O segmento financeiro, que até 2019 foi o setor com mais marcas nos uniformes, nas últimas duas temporadas figurou na segunda posição. Seja com bancos tradicionais e digitais, financeiras, consórcios, capitalização, seguros ou meios de pagamento, o setor financeiro totalizou 20 marcas diferentes investindo na elite do futebol nacional, distribuídas em 39 acordos de patrocínio, durante a temporada 2021. Em 2020 também eram 20 marcas deste segmento.

Pesquisa 4
Ainda sob os impactos da pandemia de Covid-19, o setor de Serviços de Saúde foi, pelo segundo ano consecutivo, o terceiro em volume de marcas nas camisas dos clubes da Série A. Ao todo, entre laboratórios, planos de saúde, clínicas e farmácias, foram 20 marcas diferentes, distribuídas em 35 acordos de patrocínios, uma variação de 17% em relação ao ano anterior.

Apostas
As finais de conferência da NFL já estão gerando favoritos nos levantamentos da Betfair. Segundo análises dos dados, Kansas City Chiefs (43,5%) e Green Bay Packers (38%) aparecem como favoritas aos títulos das conferências AFC e NFC, respectivamente. O Green Bay Packers, conduzido pelo polêmico quarterback Aaron Rodgers, lidera a análise com maior probabilidade de vencer o Super Bowl.

Os artigos publicados com assinatura não traduzem, necessariamente, a opinião da TRIBUNA DO NORTE, sendo de responsabilidade total do autor.

Plantão de Notícias

Baixe Grátis o App Tribuna do Norte

Jornal Impresso

Edição do dia:
Edição do Dia - Jornal Tribuna do Norte