Natal
Retorno às aulas no Rio Grande do Norte é previsto para 5 de outubro
Publicado: 00:00:00 - 04/09/2020 Atualizado: 06:22:03 - 04/09/2020
Tales Lobo
Repórter

Com atividades presenciais suspensas desde o dia 17 de março por conta da pandemia da covid-19, o Governo do Rio Grande do Norte definiu uma nova previsão para retomada das aulas nas instituições de ensino do Estado. Em entrevista coletiva nesta quinta-feira (3), o secretário estadual de Educação, Getúlio Marques, revelou que, após uma reunião de planejamento com o Comitê Científico, a expectativa é de que o retorno aconteça no dia 5 de outubro, tanto para a rede pública, quanto para a rede privada.

Sandro Menezes
Em coletiva de imprensa, titular da SEEC/RN, Getúlio Marques, disse que aulas serão retomadas conforme cumprimento de protocolos de biossegurança pelas escolas

Em coletiva de imprensa, titular da SEEC/RN, Getúlio Marques, disse que aulas serão retomadas conforme cumprimento de protocolos de biossegurança pelas escolas


Em sua conta no Twitter, a governadora Fátima Bezerra fez questão de ressaltar que a data é uma previsão e o retorno às aulas depende de cumprimentos de protocolos que serão divulgados pelo Comitê Científico e de Saúde local. De acordo com o Governo, o decreto que regulamentará a retomada deve ser publicado ao longo da próxima semana, substituindo o atual, que suspendeu as aulas até 18 de setembro.

“Não é nem a volta, é manter a suspensão das aulas até lá (5 de outubro). O retorno só acontecerá dentro das condições estabelecidas no decreto, que provavelmente sairá no início da semana, porque nós estamos esperando aquele documento que o Comitê Científico sempre manda, que é uma recomendação”, esclareceu o titular da Secretaria de Estado da Educação, da Cultura, do Esporte e do Lazer (SEEC/RN), Getúlio Marques.

A prorrogação da suspensão das datas não agradou os representantes das escolas particulares, que esperavam um retorno já no próximo dia 18 ou até o dia 28, uma semana antes da data estabelecida como previsão do Governo do Rio Grande do Norte. Segundo Alexandre Marinho, presidente do Sindicato das Escolas Particulares, as instituições privadas precisam de poucos ajustes nos protocolos para a retomada das atividades presenciais.

“A gente não esperava essa data para outubro, esperava uma data dentro do mês (setembro). Logicamente isso aí está criando um problema, porque começando em outubro teremos só três meses de atividades presenciais. O ideal seria começar no mínimo dia 28 de setembro, aí ganhava mais uma semana.... Eu sei que a gente tem ainda que regulamentar alguma coisa dos nossos protocolos, mas é coisa simples, estamos com os protocolos todos prontos”, apontou Marinho.

Conforme antecipado pela TRIBUNA DO NORTE, a SEEC/RN já tem um Protocolo de Biossegurança para a retomada das atividades presenciais nas redes públicas e privada de ensino no Estado. O “Documento Potiguar - Diretrizes para Retomada das Atividades Escolares nos Sistemas Estadual e Municipais de Ensino do Rio Grande do Norte”, prevê que as escolas devem reabrir com capacidade operacional em torno de 30%, com rodízio de alunos de forma semanal ou quinzenal, e aumento gradativo da presença física nos estabelecimentos.

Fases
A retomada das atividades é definida em quatro fases, com a primeira delas já em andamento após a publicação desse protocolo. Essa primeira fase inclui uma constituição de comitês e comissões para preparação de Plano de Retomada Gradual, com protocolos de segurança sanitária e estrutural, além do Plano de Trabalho Pedagógico, e um levantamento de profissionais e estudantes em grupos de risco, comorbidades, casos da covid -19 na família, condições de trabalho e renda e acessibilidade aos meios digitais para atividades remotas.

A Fase 2 disposta sobre o retorno presencial dos trabalhos dos servidores, com a capacitação para as “novas rotinas relacionais, pedagógicas, administrativas, alimentares”. Essa etapa aconteceria em até 10 dias após a publicação dos Planos de Retomada. As Fases 3 e 4 seriam como correspondentes à volta às aulas nas escolas no Estado.

Getúlio Marques relatou que o formato de rodízio será feito de acordo com a estrutura de cada escola, baseado na quantidade e no perfil dos alunos. Ele aponta que redes pública e privada devem utilizar uma mescla de ensino remoto e presencial no início da retomada.

“As escolas têm essa autonomia. Vou dar um exemplo: de repente uma turma tem cinco alunos com comorbidades, ou dez que tenham pais com problemas, então esses alunos poderão ficar fora desse processo. Então como teremos o ensino híbrido em qualquer retorno, seja na privada ou na pública, vamos ter essas possibilidades.... A gente não vai entrar na parte operacional, o que a gente vai exigir é que as escolas tenham essa responsabilidade, principalmente com a questão sanitária”, explicou o titular da SEEC/RN.

Outra exigência que deverá ser adicionada ao protocolo é de que os municípios tenham condições de realizar uma espécie de rastreamento em alunos ou profissionais, caso apresentem sintomas da covid-19. Dessa forma, possíveis contaminações poderiam ser minimizadas e até evitadas.

Preparação para o Enem tem atenção especial, diz SEEC
As provas físicas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) foram adiadas para os dias 17 e 24 de janeiro de 2021, enquanto a versão digital será aplicada nos dias 31 de janeiro e 7 de fevereiro. Mesmo com o adiamento, os especialistas reconhecem que a pressão de mais de seis meses sem aulas presenciais pode afetar o desempenho dos estudantes, especialmente da rede pública que têm menor acesso ao ensino remoto.

Divulgação
Secretaria de Estado da Educação garantiu que estudantes estão sendo preparados para o Enem

Secretaria de Estado da Educação garantiu que estudantes estão sendo preparados para o Enem


Mesmo com as condições adversas, Getúlio Marques afirmou que há uma atenção especial aos alunos do terceiro ano e que já estão sendo implementadas atitudes para minimizar as perdas. Segundo o titular da SEEC/RN, pelo menos 70% dos estudantes estão sendo bem atendidos. Entre as medidas estão a distribuição de materiais online, e até físicos para os que não possuem acesso ao ambiente virtual, além de programação educacional no rádio e na televisão.

“Os alunos das escolas públicas, especialmente os que vão fazer Enem, a maior parte deles também está (tendo acesso a ensino remoto)... As escolas privadas têm umas com muito boas condições, mas as escolas públicas também fazem, aliás, já faziam antes da pandemia. O ano passado mesmo a gente fez muita aula remota, aulões, aula em Youtube, tem aula na TV... então nós das escolas públicas estamos tranquilos quanto a isso”, declarou Getúlio Marques.

Ele reiterou, ainda, a importância de uma estratégia específica para esses alunos. “Independente se retornar ou não (no dia 5 de outubro), tem um processo diferenciado para esses alunos que estão em terminalidade. Uma forma de reforçar esse trabalho para o Enem é ter projetos diferenciados. As escolas põem professores para tirar dúvidas, não é só entregar uma aula comum. Então esse grupo está tendo um olhar diferenciado por parte das escolas públicas. A gente tem certeza de que o trabalho vai ter sucesso, apesar das dificuldades”, disse.

Previsão
Com a divulgação da previsão de retomada para o dia 5 de outubro, o Rio Grande do Norte se junta a outras sete unidades da federação que estão com abertura parcial ou já possuem uma proposta de data de retorno: Distrito Federal, Mato Grosso, Piauí, Rio de Janeiro, São Paulo, Santa Catarina e Rio Grande do Sul. Os demais 15 estados estão sem previsão de retorno das aulas.

O secretário de educação do RN disse que acompanha com cuidado a retomada nos outros Estados para ajudar nas definições do retorno às aulas. “São Estados que tiveram o seu pico bem antes do nosso, por isso eles estão em uma situação mais tranquila para dar o retorno. E mesmo alguns que retornaram, já adiaram outro passo do retorno”, observou Getúlio Marques.








Leia também

Plantão de Notícias

Baixe Grátis o App Tribuna do Norte

Jornal Impresso

Edição do dia:
Edição do Dia - Jornal Tribuna do Norte