Retorno do público aos estádios vai melhorar o caixa dos clubes do RN

Publicação: 2021-01-21 00:00:00
A possibilidade de sentar com as autoridades de saúde e discutir o retorno do público aos estádios natalenses, já está sendo encarado pelo presidente da Federação Norte-rio-grandense de Futebol, José Vanildo, como um grande avanço. O dirigente estima que dentro do prazo concedido pelo secretário de Saúde, George Antunes, o processo deva ocorrer ainda dentro do campeonato Potiguar, com início previsto para o próximo dia 24 de fevereiro.

Créditos: Alex RégisSecretário de Saúde, George Antunes, aposta no sucesso da vacina para reduzir a curva de contágioSecretário de Saúde, George Antunes, aposta no sucesso da vacina para reduzir a curva de contágio

“A volta do público aos estádios é uma expectativa de todos no futebol. Durante todo esse período e Federação Norte-rio-grandense de Futebol (FNF) e a Confederação Brasileira de Futebol (CBF) cumpriram, com todo rigor, os protocolos exigidos para prática do futebol: com testagem, uso de equipamentos dos participantes do evento. Só aqui gastamos R$ 80 mil de testagem e compreendemos que a vacina irá favorecer a melhora no controle da pandemia. 

Ouvindo o posicionamento do secretário municipal de Saúde de Natal, George Antunes, é possível avançarmos de já no Campeonato Potiguar termos uma liberação parcial de público nos estádios”, afirmou o presidente da FNF.

O ano de 2020, quando toda comunidade esportiva acabou sendo pega de surpresa com o potencial devastador da pandemia de Covid-19, de acordo com José Vanildo foi muito difícil e a sinalização realizada pelo secretário natalense, acende uma luz no fim do túnel para o futebol. 

“Não é fácil fazer competições da forma que estamos fazendo, com presença zero de público no estádio há quase um ano. A dificuldade é muito grande, o prejuízo para os clubes está sendo enorme e a dificuldade financeira vai se acentuando no futebol. Isso tem causado uma dor grande, mas acredito que ela ainda é bem menor que a dor de se perder um ente querido para doença. Acreditamos que o retorno do público é possível, continuaremos mantendo contato com os órgãos de saúde almejando essa possibilidade, que é também a vontade da federação de futebol”, ressaltou.

Como a CBF só admite tratar da questão em relação a presença de público nos estádio, a partir do momentos em que todos os estados estiverem avançado nessa negociação. Há quem possa imaginar que a decisão possa afetar a decisão das autoridades locais, mas José Vanildo explica que a situação não é bem essa.

“A competição estadual é do inteiro teor e de responsabilidade da FNF. A ela compete a gestão do campeonato local, em se tratando de competições regionais e nacionais, essa parte já é regida pela CBF, então ela vai definir junto com as autoridades de saúde dos estados envolvidos se caberá a presença de público nas praças esportivas.”

A falta de público nos estádio está prejudicando as finanças dos clubes, mesmo com a FNF tendo se responsabilizado pela maior parte das despesas dentro das competições estaduais e a CBF fazendo o mesmo em relação aos campeonatos regionais e nacionais. Como esse ano o volume de gastos deve aumentar, o dirigente potiguar estima que a FNF terá de buscar meios para cobrir as despesas.

“A FNF está desenvolvendo todo um programa financeiro e econômico, implementado desde a temporada passada. Em 2020 a federação recebeu zero de receita em relação ao Estado, somos responsáveis por arbitragem, material esportivo, apoio econômico aos clubes, controle do protocolo e da testagem. 

Acredito que agora as dificuldades irão aumentar, mas teremos de aumentar, na mesma proporção, a nossa criatividade de buscar alternativas para solucionar esse quadro. A situação dos clubes do RN não é fácil, então iremos buscar meios de sanar essa situação. Acredito que a chegada da TV aberta para transmitir a nossa competição, abrirá novos espaços a serem explorados para viabilizar os custos do nosso Estadual”

O presidente do ABC Bira Marques vê com muito bons olhos o retorno do público, mesmo que em número reduzido às arquibancadas.

“Acredito que a reabertura  dos estádios para o publico é muito importante. A torcida irá trazer uma emoção diferente, sem público o jogo fica morno, sem maiores emoções. Acredito que com a chegada da vacina, o poder público possa ter um olhar mais brando para o futebol, que faz parte da economia, é um importante seguimento na geração de empregos e renda”, afirmou o representante alvinegro.

Ricardo Valério, presidente do América, sempre se mostrou inconformado com o veto do público nos estádios e vem brigando por esse regresso há tempo. Ele se mostra bem otimista com o novo momento. 

“Acreditamos que é perfeitamente possível estudar o retorno dos torcedores ao estádio, a partir de abril ou maio. Isso desde que o nível de transmissibilidade da Covid-19 caia e que não haja nenhuma solução de continuidade a vacina. Nós acompanhamos o protocolo de segurança formalizado pela Arena das Dunas , que prevê todas as medidas de isolamento nas arquibancadas, prevendo a ocupação de apenas 30% de cada setor. O projeto torna a presença do público tão segura quanto uma compra no supermercado ou numa feira livre. Temos de tomar  as medidas com bastante cautela para que possamos reabrir as nossas praças esportivas. O torcedor também necessita ser disciplinado para que não ocorra riscos de contaminação dentro desses eventos. A presença de publico traria alegria aos torcedores e iria gerar sustentabilidade aos clubes”, frisou.