Reunião climática confirma inverno chuvoso para o RN

Publicação: 2020-01-22 00:00:00 | Comentários: 0
A+ A-
Uma nova reunião climática realizada durante toda esta terça-feira (21) confirmou a previsão de chuvas de fevereiro a maio com características  normal e até acima do normal para o Rio Grande do Norte neste ano. A previsão está de acordo com a análise feita na semana passada pela Empresa de Pesquisa Agropecuária do RN (Emparn).

Créditos: Reprodução/Blog Marcos DantasAçude Gargalheiras atingiu maior nível desde 2014 quando a seca avançou no SeridóAçude Gargalheiras atingiu maior nível desde 2014 quando a seca avançou no Seridó
Açude Gargalheiras atingiu maior nível desde 2014 quando a seca avançou no Seridó

O encontro, por videoconferência com meteorologistas, pesquisadores e especialistas da Fundação Cearense de Meteorologia e Recursos Hídricos (Funceme), aconteceu durante todo o dia e o Chefe da Unidade de Meteorologia da Emparn, Gilmar Bristot, repercutiu o assunto.

“O que foi apresentado na Funceme é que eles apresentaram mais modelos e deu para constatar claramente que, 99% dos modelos mostravam aquilo que nós definimos: a chuva no Nordeste de fevereiro a maio deverá ficar de normal a acima do normal”, aponta Gilmar.

O Estado já vem registrando boas chuvas nos primeiros dias de 2020. Dados da Emparn mostram que, até o dia 15 de janeiro, o número de precipitações registradas no Estado foi 104,4% maior que o mesmo período do ano passado.

A região Agreste foi a que apresentou melhores índices, tendo 69,5 mm de precipitações observadas pelo órgão, quando o esperado era de 22,2 mm. Em seguida, a região com melhor índice foi a Central, com 58,8, quando o esperado era 28,7. O Estado teve média de 59,7 mm. Nessa quinzena, por exemplo, a Emparn registrou 42 municípios com incidência normal de precipitações, tendo outros 36 com características chuvosa e outros 18 muito chuvosos. Por problemas técnicos, 42 municípios não estavam sendo monitorados nesta quinzena.

Previsão
A média de chuvas no Estado deve variar, a partir das previsões iniciais, entre 800 a 1.200 mm no inverno. Em 2019, por exemplo, essa média ficou entre 830 milímetros, segundo a Emparn.

“Esperamos que as chuvas, dependendo da região, no concentrado dos meses até maio, em torno de 800 a 1.200 mm, a depender da região. A média do Estado ficou entre 830 mm”, disse o chefe de Unidade de Meteorologia, Gilmar Bristot, em reunião realizada no último dia 16, na sede da Emparn, quando a entidade apresentou as primeiras análises para o inverno deste ano no semiárido.

No último final de semana, de sexta (17) até às 07h da última segunda-feira (20), ocorreram chuvas em 66 postos de coleta. O município de Baia Formosa, localizado na mesorregião leste potiguar, foi o que mais choveu, com 130 mm; seguido de Lagoa de Pedras, Agreste Potiguar, com 72,4mm. Em Natal choveu 53,6mm.

Reservatórios
As chuvas que caem no Rio Grande do Norte já começam a animar as cidades do interior do Estado, que viveram períodos de seca entre 2012 e 2017 e buscam retomada de 2018 para cá. Um desses exemplos é a Barragem Marechal Dutra, o Gargalheiras, em Acari, por exemplo, que atingiu 7.37% da sua capacidade, melhor índice desde 2014.

A informação é do Instituto de Gestão das Águas do RN (Igarn). O Gargalheiras, na região do Seridó, recebeu 3.274.877 m³ com as recentes chuvas, correspondendo a 7,37% da sua capacidade total, de 44.421.480,38 m³. O Igarn monitora 47 reservatórios no Estado com capacidade superior a 5 milhões de metros cúbicos, responsáveis pela segurança hídrica potiguar.

A barragem Armando Ribeiro Gonçalves, maior reservatório do Estado, com capacidade para 2,37 bilhões de metros cúbicos, atualmente está acumulando 545.117.848 m³, correspondendo a 22,97% da sua capacidade total. Para efeito comparativo, no mesmo período de janeiro de 2019, o acumulado da barragem era de 488.983.467 m³, o que correspondia a 20,37% da capacidade total do manancial.

Dos 47 reservatórios monitorados pelo Igarn, 11 estão com volumes inferiores a 10%, considerado nível de alerta, percentualmente, o número corresponde a 23,40% dos mananciais monitorados. Já os secos são 7, percentualmente, 14,89% dos reservatórios monitorados. Em janeiro de 2019 os mananciais com menos de 10% acumulados eram nove, percentualmente, 19,14% dos reservatórios monitorados. Já os secos eram oito, percentualmente, 17,02% dos mananciais monitorados.

Reservatórios

Gargalheiras:
Capacidade: 44,44 bilhões m³

Atual: 3.274.877 m³ (7,37%)

Armando Ribeiro Gonçalves
Capacidade: 2,37 bilhões m³

Atual: 545.117.848 m³,  (22,97%)

Chuvas
800 a 1.200 mm é a expectativa da Emparn para 2020

830 mm foi a média do Estado em 2019







Deixe seu comentário!

Comentários