Risos em série

Publicação: 2020-10-16 00:00:00
Rir é preciso – até mesmo em tempos de pandemia. E foi assim, entre uma live e outra durante o auge do isolamento social, que um grupo de atores, humoristas e produtores cariocas pensou num motivo a mais para ficar em casa e achar graça do momento. Foi o laboratório para criar “Bagaceiros - Humor de Outro Mundo”, o mais novo canal de humor online da área, que será lançado na próxima quarta-feira, ao meio-dia, no Youtube, Facebook e Instagram.  

Créditos: Fotos: DivulgaçãoRodrigo Candelot e um grupo de atores resolveu criar o canal de humor em meio a pandemiaRodrigo Candelot e um grupo de atores resolveu criar o canal de humor em meio a pandemia

“Bagaceiros” é resultado direto do ócio criativo forçado que a pandemia impôs a toda classe artística nos últimos meses. “Artista não consegue ficar parado, tem que estar criando alguma coisa o tempo todo. E o fundamento do canal será de oferecer humor leve e divertido a todo mundo que está vivendo esse momento difícil”, afirma Rodrigo Candelot, ator, diretor, e um dos idealizadores do canal. Candelot ficou conhecido pelo Formoso de “Tropa de Elite 2” e pelo Carlos  Eduardo  do  seriado  infanto-juvenil  “DPA”.

A idéia é retratar de forma divertida algumas das muitas situações novas causadas pelo vírus no dia a dia. O próprio surgimento do canal já pode ser exemplificado como uma situação da pandemia. Rodrigo conta que estava em casa, após as gravações da novela “Gênesis”, da Record, terem sido suspensas. Inquieto por natureza, resolveu embarcar nas lives. Resgatou um velho personagem seu, Jean Pierre, o repórter francês “criado em Realengo”, e mandou ao ar. Foi um sucesso. O hit chamou a atenção da empresa de investimentos Ifoment, que sugeriu a criação de um canal de humor. E o desafio foi aceito.

Risadas em série
Rodrigo explica que o diferencial do canal será o formato, pois vai apostar na produção de pequenas séries, com algumas temporadas e duração entre três e cinco minutos por episódio. “Enquanto portais como Porta dos Fundos e Parafernalha usam as esquetes fechadas, nós apostamos nesse formato em série para despertar curiosidade, fazer com que o espectador nos acompanhe e faça ‘maratonas’ dos episódios. Teremos nossas esquetes também, mas o diferencial será esse”, diz.

O canal de humor conta com um elenco de sete humoristas fixos, além de eventuais convidados fazendo participações especiais. Além de Candelot estão os comediantes Igor Paiva, Sehrazade, Faby  Lebore,  Charles  Paraventi,  Helga  Nemetik  e  Bruna  Campelo. O nome “Bagaceiros” veio simplesmente por ser uma palavra que se usa muito por todos, sempre com humor.

O formato seriado dos “Bagaceiros” permite que o elenco tenha programas próprios ou que interajam entre si. Em “Pandemia Indiscreta”, por exemplo, Candelot vive um homem que gosta de observar o que os vizinhos estão fazendo em seus apartamentos e tecendo críticas sobre os filmes e séries que eles estão vendo na TV. Já “Roocardo” é um sujeito de meia idade, infeliz no trabalho, que vive reclamando da vida e raramente vê o lado positivo em alguma coisa. Igor Paiva é só rancor.

Já “Fala aí, Faby” dá dicas bem humoradas aos jovens rapazes que,  segundo  Faby Lepore, estão perdidos, sem referências de certo e errado, sem estilo e sem atitude. Já “Isolados” junta todo o elenco para zoar o “novo normal” de todas as formas, do app de namoro ao “zap”. “Salada de Batata” traz as peripécias de um sujeito com síndrome de Peter Pan (ou seja, não cresceu), que aproveita a pandemia para cantar todas as ex-colegas do tempo da escola. Haja vídeochamadas inconvenientes.

O já citado Jean Pierre usa todo seu sotaque “franco-carioca” para acompanhar o mundo das celebridades, ou melhor, “futilidades”, como ele prefere chamar. O francês de Realengo poderia ser mais um narrador do high-society, se não fosse o detalhe: ele frequentemente não está muito bem informado sobre as pessoas que entrevista, e as gafes rolam soltas. Já “Paraventi que se anda” traz cenas de um minuto com o personagem Charles, alter ego do ator Charles Paraventi. Em situações cotidianas, ele revela que por pior que esteja a vida, ela ainda pode ficar pior.

 Rodrigo Candelot considera “Bagaceiros” um projeto ambicioso, mas que não tem o objetivo de concorrer com outros canais famosos e já estabelecidos no mercado, mas ser uma alternativa ao público que hoje está cada vez mais ávido por conteúdo na internet. Ele acredita que muito conteúdo do canal tem potencial para ganhar os palcos reais para quando a pandemia passar. “O material tem potencial para o teatro, mas o foco agora é a intenet. Vamos crescer devagar”, conclui.