Informe Publicitário
RN é destaque no uso da ciência contra a covid, aponta estudo do Ipea
Publicado: 00:00:00 - 24/11/2021 Atualizado: 11:23:43 - 04/12/2021
Conteúdo de Responsabilidade do Anunciante
O Rio Grande do Norte foi qualificado como um dos seis melhores estados do Brasil no uso da ciência para o combate à pandemia da covid-19. O estado recebeu a nota 9,2, ficando atrás apenas de Paraíba, Rio Grande do Sul, Santa Catarina e São Paulo e empatado com o Espírito Santo. 

Elisa Elsie
As ações de combate à covid-19 foram todas baseadas em estudos científicos, descartando medidas não-científicas, como o suposto "tratamento precoce/kit covid"

As ações de combate à covid-19 foram todas baseadas em estudos científicos, descartando medidas não-científicas, como o suposto "tratamento precoce/kit covid"


Os dados são fruto do trabalho "Ciência e pseudociência durante a pandemia de covid-19: o papel dos 'intermediários do conhecimento' nas políticas dos governos estaduais no Brasil", divulgado pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) e feito pelo pesquisador Rodrigo Fracalossi de Moraes.

O estudo avaliou a atuação dos comitês científicos e a interação deles com os entes responsáveis pela aplicação das políticas de combate à covid-19 nos estados. Foram avaliados os comitês potiguares que atuam junto às secretarias de Estado da Saúde Pública (Sesap) e da Educação. No levantamento feito, o RN despontou com os melhores indicadores em termos de transparência e influência dos comitês, entre outros.  

O estado também obteve as melhores pontuações ao afastar o uso de medidas não-científicas, como recomendação do suposto "tratamento precoce/kit covid" ou a busca pela imunidade de rebanho. 

O documento finaliza elogiando a iniciativa da Sesap em montar seu comitê estadual de especialistas com especialista de referência com formações em diversas áreas. 

O comitê ainda segue em funcionamento, reunindo especialistas do meio universitário e a gestão da Sesap, com reuniões periódicas em que é acompanhada a situação da pandemia, avaliação de cenário e recomendação de eventuais medidas.

"O resultado desta pesquisa do Ipea mostra como a escolha pela ciência vale a pena. A nota alcançada é fruto de um trabalho conjunto entre a gestão da Sesap e todos os profissionais que estão nos auxiliando até hoje. A montagem do comitê é uma atitude tomada no começo da pandemia que salvou e ainda vem salvando vidas. E que ainda vai render vários outros resultados positivos para a saúde pública do estado como um todo", afirmou o secretário de Estado da Saúde Pública, Cipriano Maia.

Elisa Elsie
Mais de 2 milhões de pessoas já tomaram as duas doses no RN

Mais de 2 milhões de pessoas já tomaram as duas doses no RN


Desta interação entre Estado e meio acadêmico surgiram importantes ferramentas utilizadas pela Saúde Pública no combate à pandemia - e que estão sendo estendidas para o uso no dia-a-dia. 

Leia Mais

Uma delas é a plataforma Regula RN, que foi criada em parceria entre a Sesap e o Laboratório de Inovação 
Tecnológica em Saúde da Universidade Federal do RN (LAIS-UFRN). O sistema proporcionou um modelo de gestão inédito nos leitos da rede pública de saúde, com plena transparência e agilidade, ajudando a salvar vidas em todo o estado, além de proporcionar um acompanhamento perene de toda sociedade sobre a situação dos leitos covid no Estado durante a pandemia.

O ecossistema do Regula RN está sendo ampliado, em um projeto que envolve também pesquisadores também do Núcleo Avançado de Inovação Tecnológica (Navi) e da Fundação de Apoio à Educação e ao Desenvolvimento Tecnológico do RN (Funcern) - ambas do Instituto Federal do RN (UFRN). O novo sistema vai servir para regular todos os leitos de saúde pública da rede estadual, além da marcação de exames de alta complexidade e cirurgias.

Outro fruto da parceria é o RN+ Vacina. O sistema integrou Sesap e municípios para dar mais rapidez e clareza na disseminação dos dados da campanha de imunização contra a covid-19 e da influenza no Estado, com dados atualizados em tempo real e um sistema de informação disponível a todo cidadão, com a emissão de comprovantes da vacinação. 

Por meio do RN+ Vacina, da forma mais transparente, a qualquer momento o cidadão pode ver o nível de imunização do Estado ou de seu município contra a covid-19, seja para o público geral, acima dos 18 anos e entre 12 e 17 anos, dividindo entre primeira, segunda e terceira doses.

Outubro fecha com menores índices de violência

O último quadrimestre do ano iniciou com índices positivos na diminuição de mortes violentas no Rio Grande do Norte: o mês de outubro apresentou redução de 43,5% no número de Condutas Violentas Letais e Intencionais (CVLIs) em relação a outubro do ano passado. Esta foi a maior redução dentro de um mês no ano de 2021.

Raiane Miranda
Dados coletados pela Coine apontam que em outubro deste ano houve a maior redução de mortes violentas dentro de um mês

Dados coletados pela Coine apontam que em outubro deste ano houve a maior redução de mortes violentas dentro de um mês


Com base nos dados fornecidos pela Coordenadoria de Informações Estatísticas e Análises Criminais (Coine), em outubro de 2020 foram registrados 152 CVLIs no Rio Grande do Norte, contra 86 em outubro de 2021. Essa diminuição representa 128 vidas poupadas em todo o Estado. 

"Nossa missão é árdua. Não é fácil alcancar índices tão importantes como estes. Salvar vidas é parte primordial do nosso trabalho. E isso só acontece com a abnegação de cada policial, de cada agente que atua na segurança pública do nosso Estado", destaca o titular da Sesed, coronel Araújo Silva.

Até a consolidação dos números de outubro, o mês de fevereiro apresentava a maior redução no comparativo entre 2020 e 2021, com 27,5% de mortes a menos.

 Em relação aos tipos criminais, destacam-se as condutas de homicídio doloso, que apresentou uma redução significativa entre os meses de outubro. Em 2020, foram 121 ocorrências contra 68 crimes neste ano, queda de 43,8%. Entre as ocorrências de Lesão Corporal Seguida de Morte, foram registrados oito casos em 2020 e somente um caso em 2021, uma diminuição de 87,5%.

Cidades polo 
Em relação às quatro maiores cidades do Estado, o ano de 2021 tem apresentado redução de homicídios no comparativo com 2020. Em Natal, no acumulado do ano, houve diminuição, de 247 homicídios registrados ano passado para 242 neste ano, o que significa 2% a menos. 

Em Mossoró, a redução no acumulado do ano é de 14,8%, ao sair de 162 ocorrências no em 2020 para 138 em 2021. 

Já em Parnamirim, cidade da região Metropolitana de Natal, houve uma queda de 60 casos para 42 de um ano para o outro, diminuição de 30%.

Na cidade de São Gonçalo do Amarante, a Coine registra uma redução de 35,4%, caindo de 65 CVLIs em 2020 para 42 este ano.



Conteúdo de Responsabilidade do Anunciante

Leia também

Plantão de Notícias

Baixe Grátis o App Tribuna do Norte

Jornal Impresso

Edição do dia:
Edição do Dia - Jornal Tribuna do Norte