RN ‘ganha’ complexo eólico e receberá mais investimentos

Publicação: 2016-07-01 00:00:00 | Comentários: 0
A+ A-
A empresa francesa Voltalia inaugurou oficialmente nesta semana o Complexo Eólico Vamcruz, no Rio Grande do Norte. Instalado no município de Serra do Mel – distante 320 km de Natal – o empreendimento foi construído em parceria com a Chesf e a Encalso Damha, com investimento de R$ 500 milhões. O complexo tem capacidade instalada de 93 Megawatts (MW), com potencial para gerar aproximadamente 450 gigawatts-hora (GWh), por ano, energia suficiente para atender mais de 2 mil famílias, e reduzir a emissão de CO2 em aproximadamente 160.535 toneladas por ano, segundo informações divulgadas pelas empresas.
DivulgaçãoComplexo eólico em Serra do Mel tem potencial para atender a mais de 2 mil famílias com energiaComplexo eólico em Serra do Mel tem potencial para atender a mais de 2 mil famílias com energia

Composto pelos parques Caiçara I, Caiçara II, Junco I e Junco II - localizados na Vila Amazonas -, o complexo foi construído em 16 meses e conta com um total de 31 aerogeradores, cuja potência unitária é de 3 MW.  Segundo a Voltalia, o Vamcruz surgiu a partir de um leilão em 2011 em que saiu vencedora junto com Chesf e Grupo Encalso Damha. O funcionamento começou em novembro de 2015 e já opera com 100% de sua capacidade.

“Atualmente, temos 303 MW em operação no Brasil, além de 126 MW em construção. O Brasil vive um momento econômico peculiar. Com certeza, essa crise vai acabar e o país irá retomar seu crescimento. Quando isso acontecer, precisamos estar prontos para atender à demanda energética e oferecer o suporte necessário para o desenvolvimento da economia nacional”, diz Robert Klein, country manager da Voltalia Brasil.

Investimentos

A Voltalia está desenvolvendo novos parques no Rio Grande do Norte, assim como em outras regiões do Brasil. A empresa está construindo o Complexo Serra Pará, vizinho a Vamcruz, com capacidade instalada de 90 MW e operação prevista para iniciar no final deste ano. Na sequência, o plano é construir o Parque Vila Acre I, também em Serra do Mel, com capacidade de 27 MW. Este próximo empreendimento tornou-se possível a partir do último leilão de que a empresa participou, em novembro de 2015.

Nas regiões onde atua, a empresa destaca que mantém projetos socioambientais. Um exemplo é o projeto “Água e Renda”, nas Vilas Pará e Amazonas (região de Serra do Mel), que permite o acesso a água potável para as comunidades locais. Isso acontece graças a um processo de dessalinização da água salobra existente na região.

O tratamento dos efluentes promove, ainda, a criação de tilápias, além do cultivo de palma e erva-sal para alimentação animal (ovinos e galinhas). O processo é necessário para o tratamento dos rejeitos gerados na dessalinização e contribui para a preservação do meio ambiente. Os produtos são comercializados pelos próprios moradores e o projeto se sustenta com o ciclo gerado pelo consumo da água potável. Estima-se que o projeto beneficia 139 famílias desde maio de 2015. Instituições como Sebrae, Senar e Emparn foram contratadas para realizar as capacitações necessárias e tornar operacional o sistema do projeto “Água e Renda”.

De acordo com informações do Sindicato das Empresas do Setor Energético do RN (SEERN), ao qual a companhia é associada, no auge da construção do Vamcruz foram gerados 485 empregos e atualmente trabalham 30 pessoas na operação. A Voltalia é uma companhia francesa produtora de energia elétrica a partir de fontes renováveis.

SAIBA MAIS

O Rio Grande do Norte tem 104 usinas de energia eólica em operação, com potência outorgada somada de 2,84 Gigawatts (GW) – a mais expressiva do Brasil. O parque eólico Alegria II, instalado em Guamaré e controlado pela empresa New Energy Options, é o de maior potência no estado, com 100,65 Megawatts (MW). Isoladamente, os parques que compõem o complexo eólico Vamcruz estão posicionados da seguinte maneira nesse “ranking”:

Posição/Parque    Potência
61ºCaiçara I         27 MW
73º Junco I            24 MW
73º Junco II        24 MW
89º Caiçara II        18 MW

TOTAL DO COMPLEXO:     93 MW
Fonte: Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel)

continuar lendo



Deixe seu comentário!

Comentários