RN adota rastreamento de agrotóxicos em 25 produtos

Publicação: 2013-05-29 00:00:00 | Comentários: 3
A+ A-
A Associação dos Supermercados do Rio Grande do Norte (Assurn) reuniu produtores e distribuidores de  legumes, frutas e verduras para debater detalhes do Programa de Rastreamento e Monitoramento de Agrotóxicos (Rama), lançado de forma pioneira em outubro de 2012. O objetivo do programa é garantir que o consumidor compre produtos de qualidade. A qualidade de 25 produtos alimentícios comercializados em 100 lojas de supermercados instaladas no Estado está sendo monitorada, desde o ano passado, permitindo que o consumidor saiba a procedência dos alimentos que compra. O Rio Grande do Norte foi o primeiro estado do Brasil a adotar essa medida.
Alex RégisO rastreamento funciona através de um código que revela a origem e os dados de agrotóxicosO rastreamento funciona através de um código que revela a origem e os dados de agrotóxicos

De acordo com o empresário Thomas Eckcshmidt, responsável pelo software de desenvolvimento agrícola utilizado pelos empresários potiguares, o índice de contaminação por agrotóxico dos legumes, frutas e verduras comercializados no RN caiu em relação ao ano passado. “O objetivo é monitorar esses índices e cobrar uma ajuste por parte do distribuidor e consequentemente do produtor. É uma tomada de responsabilidade de todos os agentes da cadeia. Isso representa uma oportunidade de melhorar a cadeia produtiva do estado, garantindoum produto de maior qualidade para o consumidor”, explica  Eckcshmidt.

Dados divulgados pela Anvisa em  outubro de 2012 indicaram que 25% desse tipo de alimento consumido no Estado estava irregular, sendo o pimentão, morango, cenoura e abacaxi os campeões de resíduos no Rio Grande do Norte. O tema foi discutido durante toda a tarde de ontem durante o 1º Fórum de Produtores e Distribuidores para Supermercados. Para o presidente da Assurn, Edmilson Marques, esse é um momento importante para buscar mais adesões ao programa. “Queremos dar foco no programa e fazer com que todos integrantes da cadeia tomem conhecimento dele. Mais de 100 lojas já aderiram ao programa, mas é preciso mais”, disse. O vice-presidente da Assurn, Eugênio Medeiros, destaca que o principal benefício é a oferta de produtos com mais qualidade.

O Rama rastreia e monitora o uso de agrotóxicos nas frutas, verduras e legumes, garantindo a segurança do consumidor em estar comprando produtos de qualidade. Os produtos passam a vir com um código de rastreamento que revelará ao distribuidor a identificação da origem e os dados de agrotóxicos.

Para participar do Programa de Rastreamento e Monitoramento de Agrotóxicos, os fornecedores terão um custo de 1 centavo por Kg entregue a cada supermercado. Já os supermercados terão um custo avaliado de acordo com o número de caixas (check-out) existentes no estabelecimento. “Dessa forma, o investimento passa a ser proporcional ao tamanho do supermercado”, explica Edmilson Marques.

O produtor e exportador de mamão José Luiz Ribeiro é favorável ao programa, mas faz algumas ressalvas. “É muito importante para regular o produtor que atua sem muitas regras, pretendo aderir, mas é preciso estudar as situações particulares, como no meu caso, que já possuo certificação de órgãos nacionais e internacionais”, disse.

continuar lendo



Deixe seu comentário!

Comentários

  • vihugo_775

    Vale ressaltar que a iniciativa é privada, não havendo nenhuma contrapartida municipal ou estadual - apenas da associação mencionada.

  • d1cdantas

    Interessante essa política, deve ser uma atuação conjunta com CREA e Anvisa, e sociedade, o CREA fiscalizando a utilização do Receituário Agronômico, a Anvisa analisando os produtos nos supermercados e CEASA e a sociedade exigindo cada vez mais, a utilização de menos agrotóxico, ou que pelo menos os produtores respeitem o período de carência para se fazer a colheita. Bola pra frente, Parabéns!!!

  • vihugo_775

    Vale ressaltar que a iniciativa é privada, não havendo nenhuma contrapartida municipal ou estadual - apenas da associação mencionada.