RN amplia rede atendimento para pacientes do coronavírus

Publicação: 2020-03-12 00:00:00
Mariana Ceci; Ícaro Carvalho
Repórteres


No mesmo dia em que a Organização Mundial de Saúde declarou pandemia para o Covid-19, o novo coronavírus, as autoridades de saúde do Rio Grande do Norte informaram que pretendem modificar o plano de contingência para o vírus. A ideia é ampliar a rede de atendimento, incluindo novas unidades e mais leitos, interiorizando o serviço, que hoje já conta com dois hospitais no plano de contingência. O novo plano deverá ser oficializado pela Secretaria de Estado da Saúde Pública do RN nesta quinta-feira (12). O Estado tem 13 casos suspeitos para coronavírus, 14 descartados e nenhum confirmado.

Créditos: Magnus NascimentoA Anvisa afirma que mantém protocolo de monitoramento em cruzeiros que navegam na costa brasileira. Ontem, um navio atracou em Natal com 578 passageirosA Anvisa afirma que mantém protocolo de monitoramento em cruzeiros que navegam na costa brasileira. Ontem, um navio atracou em Natal com 578 passageiros


Os casos estão notificados nas cidades de Natal (8), Parnamirim (2), Mossoró (2), Frutuoso Gomes (1). Os descartados se concentram em Natal, Parnamirim e Mossoró.

De acordo com Alessandra Lucchesi, subcoordenadora de Vigilância Epidemiológica da Sesap-RN, o novo plano de contingência está sendo discutido com o corpo técnico da secretaria e leva em consideração recomendações do Ministério da Saúde.

“As alterações são muito mais para caracterização da rede de assistência, então está muito mais voltado para um possível cenário de necessidade de utilização de mais leitos para internação", disse à TRIBUNA DO NORTE.

Atualmente, o Estado conta com dois hospitais de referência especializados para internação de casos para coronavírus: o Giselda Trigueiro, na zona Leste de Natal, e o Maria Alice Fernandes, na zona Norte.

No primeiro plano de contingência da Sesap, divulgado no dia 10 de fevereiro, existem cinco níveis de ações de resposta para o coronavírus no RN. No nível 5, a rede de atendimento seria ampliada para Mossoró e Caicó, mais especificamente no Hospital Rafael Fernandes e no Hospital do Seridó, respectivamente.

A subcoordenadora de vigilância epidemiológica da Sesap, Alessandra Lucchesi, disse ainda que a coordenação de hospitais e unidades de referência elaborou um novo estudo e já analisa a possibilidade de expansão para outros hospitais. “Garantindo leitos clínicos, não somente leitos de UTI. A principal alteração é essa", resumiu.

De acordo com a Sesap, o plano vai descrever o número total de leitos que cada unidade dispõe para atendimento geral e de UTI, mas que poderão ser acionados também para coronavirus, a depender da situação epidemiológica. Além disso, o plano irá quantificar os leitos específicos a serem habilitados junto ao Ministério da Saúde e os que serão implantados.

Além da possibilidade de ampliação da rede, caso apareçam pacientes confirmados para COVID-19 no RN, os níveis também vão ser modificados por solicitação do Ministério da Saúde.

“Eles preferiram que seguíssemos os três níveis, então estamos condensando as ações. Ao invés de pensar em cenários de caso confirmado, no Brasil mas não no RN, depois pensando só no RN, isso foi sintetizado. Juntamos para ações realizadas no Estado independente de casos suspeitos aqui ou em outro estado ou caso confirmado aqui ou em outro estado. O que vai mudar no plano é isso. Teremos três níveis de resposta.”

Diante do crescimento do número de casos confirmados de coronavírus no Brasil, as autoridades da área de saúde se preparam para possíveis confirmações fora da região Sudeste. Em Natal, profissionais de saúde passaram por três capacitações sobre vírus respiratórios, que abrange, além do Coronavírus, Influenza A (H1N1 e H3N2), Influenza B, Coronavírus, Sincicial Respiratório, Parainfluenza 1, Adenovírus, Metapneumovírus e Rinovírus.

Em contato com a reportagem, a diretora da rede de urgência da SMS Natal, Elizandra Trindade, as capacitações envolveram médicos, enfermeiros e técnicos de enfermagem. O corpo da Atenção Básica também foi capacitado. De acordo com ela, casos de coronavírus podem ser tratados nas quatro Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) da capital e também nas Unidades Básicas de Saúde (UBSs).

“No momento em que um paciente chega na unidade e ele tem suspeita de coronavírus, ele vai receber máscara, levado para sala, colher exames e o paciente é atendido. Se ele não tiver sinal de gravidade, vai ser orientado a ficar em isolamento domiciliar”, disse.

Além disso, a gestora disse ainda que os profissionais das maternidades Araken Pinto, zona Leste, e Leide Morais, na zona Norte, também foram capacitados para atender gestantes em trabalho de parto que cheguem com os sintomas. Aliado a isso, há protocolo até caso o profissional não tenha passado pelo treinamento.

“Esse paciente fica na unidade, que liga para o distrito e um profissional vai lá, faz a coleta e envia para o Giselda trigueiro. Em nenhuma situação é obrigatório que esse paciente se desloque para unidade. Quanto menos ele se deslocar, é o desejado, porque é menor a possibilidade de transmissão do vírus”, completou Elizandra.

De acordo com o Ministério da Saúde, estudos indicam que a maior parte dos casos de Covid-19 são mais leves, e podem ser atendidos pela atenção básica. A população pode procurar os serviços quando apresentar os sintomas iniciais do vírus, como febre baixa, tosse, dor de garganta e coriza.

Créditos: Magnus NascimentoAlessandra Lucchesi afirma que atualização do plano de contingência deve ser finalizado hojeAlessandra Lucchesi afirma que atualização do plano de contingência deve ser finalizado hoje


Anvisa monitora cruzeiros com rota em Natal
As equipes da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) monitoram a tripulação dos navios de cruzeiro com passagem programada pelo Rio Grande do Norte, a partir do Porto de Natal, e asseguram que em função dos casos de infecção por coronavírus (Covid-19) em vários países, inclusive o Brasil, todos os protocolos estabelecidos estão sendo cumpridos.

Na última quarta-feira (11), um navio de cruzeiro com bandeira das Bahamas, com 578 passageiros atracou no porto de Natal. De acordo com a Companhia de Docas do Rio Grande do Norte (Codern), os passageiros foram monitorados de acordo com os protocolos de prevenção ao Coronavírus, juntamente com a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). Além disso, "estão sendo emitidos avisos sonoros na estação de passageiros, com orientação em inglês e português, sobre a importância da lavagem de mãos, prevenção e sintomas da doença".

Sobre os passageiros e tripulação do navio que atracou nesta quarta-feira, na capital, não há qualquer registro ou relato de pessoas com sintomas que possam ser associados à infecção por Covid-19, de acordo com a Vigilância Sanitária e a Codern.

O navio saiu de Mônaco —  no Sul da França — no dia 6 de janeiro, e passou pela cidade de Málaga (Espanha), além de paradas no Caribe, Argentina, e no Brasil já esteve em outros estados como Rio de Janeiro e Bahia, já no mês de fevereiro.

Para as autoridades de vigilância sanitária, além de não ter registro de passageiros com sintomas, é preciso considerar que essa embarcação deixou a Europa quando sequer havia registro de casos naqueles países. De toda maneira, os técnicos da Anvisa explicam que, sabendo da parada programada em portos brasileiros, o contato com a embarcação é rotineiro como forma de monitoramento.

O plano de contingência, de acordo com informações da Anvisa, prevê os procedimentos a setem adotados não apenas por técnicos da Vigilância Sanitária nesses portos, mas por todos os profissionais envolvidos na operação de aduanas. Em Natal, a Superintendência Regional da Anvisa detém informações sobre a programação de chegada de outros três cruzeiros até o mês de abril.

Os turistas, a maioria franceses, desembarcaram na manhã da quarta-feira em Natal, e parte deles circulava especialmente na área do bairro da Ribeira, zona Leste da cidade.