Informe Publicitário
RN conta com mais energia limpa, que gera oportunidades e desenvolvimento
Publicado: 00:00:00 - 19/12/2021 Atualizado: 10:47:55 - 18/12/2021
Conteúdo de Responsabilidade do Anunciante
Com investimentos da ordem de R$ 948 milhões, o parque eólico Cumaru, construído pela Enel Green Power no município de São Miguel do Gostoso, litoral norte do Estado, durante o cenário desafiador da pandemia do novo coronavírus, já está gerando energia limpa e renovável para o Rio Grande do Norte. E não só isso: promove impactos sociais positivos nas comunidades locais. Com 49 aerogeradores, o complexo tem capacidade instalada de 206 megawatts e vai gerar, por ano, energia equivalente ao consumo de cerca de 470 mil residências brasileiras. O empreendimento começou a operar em outubro deste ano e, durante sua construção, gerou impactos positivos diretos e indiretos na economia da região.

Divulgação
Parque eólico Cumaru foi construído durante o cenário desafiador da pandemia, gerando 1.100 empregos, sendo 80% deles para trabalhadores das comunidades locais

Parque eólico Cumaru foi construído durante o cenário desafiador da pandemia, gerando 1.100 empregos, sendo 80% deles para trabalhadores das comunidades locais


A chegada da Enel Green Power mudou a vida de moradores do município de São Miguel do Gostoso. As obras geraram de cerca de 1.100 empregos, 80% deles ocupados por trabalhadores do Estado, que atuaram em atividades diretamente ligadas à construção ou na prestação de serviços em diferentes funções dentro do canteiro.

“O impacto foi muito positivo. Antes só tínhamos a agricultura para trabalhar, mas com a chegada da eólica, procurei me profissionalizar, entrei na área, e graças a Deus consegui meus bens pessoais, uma casa, moto, carro. Tudo graças à eólica”, explica o vigilante Girlene Ribeiro da Fonseca, 33 anos. Ele mora em Parazinho e conta que atua em empresas de segurança patrimonial há onze anos e intercala com a agricultura nas horas vagas.

Líder em geração de energia solar e eólica no país, a Enel Green Power tem contribuído fortemente para a diversificação da matriz energética brasileira. O Parque Cumaru faz parte de um pacote de investimentos de R$ 5,6 bilhões, que inclui outros quatro novos parques de geração renovável, sendo três eólicos e um solar, cujas obras começaram em 2020. Juntos, a capacidade instalada dos projetos é de 1,3GW. 

Deste pacote de projetos, o parque eólico Cumaru foi o primeiro a iniciar construção e o primeiro a entrar em operação, num cenário desafiador com a pandemia do novo coronavírus, e ajudaram na empregabilidade num contexto de recessão e incertezas.

O engenheiro civil Álverson Rodrigo de Oliveira, que atuou como Gerente de Obras no Parque Eólico Cumaru, fala que, além do “orgulho” em trabalhar com geração de energia limpa e renovável, “há uma harmonia entre a produção da energia limpa e a fauna, a flora e a população nas comunidades locais”.

“É uma parceria de confiança mútua, que traz benefícios recíprocos. Vemos a satisfação das famílias que se beneficiam, seja com emprego, com cursos de capacitação profissional realizados pela Enel, pelo aquecimento das vendas nos comércios locais, entre outros legados que um investimento desse porte proporciona para todos”, apontou.

A empreendedora Maria Josineide Nascimento, 51 anos, natural de São Miguel do Gostoso, foi diretamente impactada pela construção do parque Cumaru. Dona de um restaurante, precisou fechar as portas de seu estabelecimento em função das medidas restritivas, atuando apenas em sistema de delivery. Com o início das obras de Cumaru, os trabalhadores eram servidos três vezes ao dia graças à comida de Neide, como é conhecida. Em dado momento, ela chegou a fornecer até 160 quentinhas por dia.

“A maior parte das minhas vendas era para eles. Segurou o movimento do meu restaurante. Não tinha turista, o pessoal da cidade também era muito pouco. Desde o começo da chegada das eólicas, quando comecei a trabalhar com comidas, forneço para eles. Várias empresas me conhecem”, citou Neide.

Impacto na comunidade
Os impactos sociais não param por aí: a Enel desenvolveu também projetos de sustentabilidade, envolvendo a comunidade local, como um projeto de assistência técnica rural voltado às famílias que vivem da agricultura de subsistência, com orientações às famílias para aumentar e diversificar a produção de alimentos. Além disso, foram realizadas ações de educação ambiental voltadas às crianças e adolescentes e cursos profissionalizantes gratuitos para a população (barbeiro, manicure, maquiagem profissional).

O advento da energia eólica e seu crescimento no interior do Nordeste tem alavancado a economia dos municípios. É o que aponta o estudo “Impactos Socioeconômicos e Ambientais da Geração de Energia Eólica no Brasil”, realizado pela consultoria GO Associados para a Associação Brasileira de Energia Eólica com o intuito de tangibilizar os já conhecidos impactos positivos desta indústria nas regiões em que os parques eólicos são construídos.

“No que se refere ao IDHM e PIB Municipal, os municípios que têm parques eólicos tiveram uma performance 20,19% e 21,15% melhor, respectivamente, para estes dois indicadores. Este é um resultado que mostra que não há dúvidas: a energia eólica chega e seus efeitos positivos multiplicadores impactam nos indicadores do município”, avalia Elbia Gannoum, presidente da ABEEólica.

Divulgação
Complexo em S. Miguel do Gostoso começou a operar em outubro e quando estiver em plena atividade vai gerar 966 GW de energia limpa

Complexo em S. Miguel do Gostoso começou a operar em outubro e quando estiver em plena atividade vai gerar 966 GW de energia limpa


Parque teve protocolo rigoroso na pandemia
O parque Eólico Cumaru entrou em operação em outubro de 2021 e um evento com a presença de representantes da empresa e autoridades marcou oficialmente a entrega do projeto.

A Responsável pela Enel Green Power no Brasil, Roberta Bonomi, aproveitou a ocasião para ressaltar o trabalho da empresa e das autoridades do RN para vencer as dificuldades decorrentes da pandemia. Ela falou também do enorme impacto econômico do empreendimento para a região.

“O Rio Grande do Norte tem uma grande história, e por isso conseguimos ter 80% dos empregos gerados sendo ocupados por pessoas da região. Esse é um ponto muito importante, porque a gente acredita que o desenvolvimento tem que ser um desenvolvimento em que todos ganham, começando pelas comunidades onde estamos presentes", explicou.

O início das operações do parque também contou com a presença da governadora do Rio Grande do Norte, Fátima Bezerra. “A gente tem que celebrar investimentos como esse, porque cada vez mais torna-se imperativo, fundamental e imprescindível o investimento em novas fontes de energia: energia limpa, verde e renovável, e esse empreendimento vem se somar ao esforço global em prol de uma matriz energética mais sustentável", disse Fátima.

Presente no evento de lançamento do novo parque eólico, o Gerente do Projeto Cumaru, Átila Magalhães, destacou os rigorosos protocolos de segurança adotados desde o início das obras em função da pandemia. Os cuidados, em linha com as indicações das autoridades sanitárias, foram tratados com máxima prioridade pela empresa, com o objetivo de garantir a proteção necessária aos trabalhadores envolvidos na construção e às comunidades onde o parque está instalado.

“A empresa estabeleceu diretrizes rígidas, que incluíram quarentena preventiva quando os trabalhadores se deslocavam para cidades fora da região do canteiro de obras, maior higienização das instalações, veículos e ambientes nos canteiros e medidas para garantir práticas de trabalho seguras. A rotina das nossas equipes e operações foram estruturadas para manter o distanciamento social. A Enel Green Power também realizou campanhas de testes massivas envolvendo todos os funcionários nos canteiros de obras”, ressaltou.


Conteúdo de Responsabilidade do Anunciante

Leia também

Plantão de Notícias

Baixe Grátis o App Tribuna do Norte

Jornal Impresso

Edição do dia:
Edição do Dia - Jornal Tribuna do Norte