Informe Publicitário
RN é destaque no uso da ciência contra a covid, aponta estudo do Ipea
Publicado: 00:00:00 - 24/11/2021 Atualizado: 11:50:06 - 27/11/2021
Conteúdo de Responsabilidade do Anunciante
O Rio Grande do Norte foi qualificado como um dos seis melhores estados do Brasil no uso da ciência para o combate à pandemia da covid-19. O estado recebeu a nota 9,2, ficando atrás apenas de Paraíba, Rio Grande do Sul, Santa Catarina e São Paulo e empatado com o Espírito Santo. 

Elisa Elsie
As ações de combate à covid-19 foram todas baseadas em estudos científicos, descartando medidas não-científicas, como o suposto "tratamento precoce/kit covid"

As ações de combate à covid-19 foram todas baseadas em estudos científicos, descartando medidas não-científicas, como o suposto "tratamento precoce/kit covid"


Os dados são fruto do trabalho "Ciência e pseudociência durante a pandemia de covid-19: o papel dos 'intermediários do conhecimento' nas políticas dos governos estaduais no Brasil", divulgado pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) e feito pelo pesquisador Rodrigo Fracalossi de Moraes.

O estudo avaliou a atuação dos comitês científicos e a interação deles com os entes responsáveis pela aplicação das políticas de combate à covid-19 nos estados. Foram avaliados os comitês potiguares que atuam junto às secretarias de Estado da Saúde Pública (Sesap) e da Educação. No levantamento feito, o RN despontou com os melhores indicadores em termos de transparência e influência dos comitês, entre outros.  

O estado também obteve as melhores pontuações ao afastar o uso de medidas não-científicas, como recomendação do suposto "tratamento precoce/kit covid" ou a busca pela imunidade de rebanho. 

O documento finaliza elogiando a iniciativa da Sesap em montar seu comitê estadual de especialistas com especialista de referência com formações em diversas áreas. 

O comitê ainda segue em funcionamento, reunindo especialistas do meio universitário e a gestão da Sesap, com reuniões periódicas em que é acompanhada a situação da pandemia, avaliação de cenário e recomendação de eventuais medidas.

"O resultado desta pesquisa do Ipea mostra como a escolha pela ciência vale a pena. A nota alcançada é fruto de um trabalho conjunto entre a gestão da Sesap e todos os profissionais que estão nos auxiliando até hoje. A montagem do comitê é uma atitude tomada no começo da pandemia que salvou e ainda vem salvando vidas. E que ainda vai render vários outros resultados positivos para a saúde pública do estado como um todo", afirmou o secretário de Estado da Saúde Pública, Cipriano Maia.

Elisa Elsie
Mais de 2 milhões de pessoas já tomaram as duas doses no RN

Mais de 2 milhões de pessoas já tomaram as duas doses no RN


Desta interação entre Estado e meio acadêmico surgiram importantes ferramentas utilizadas pela Saúde Pública no combate à pandemia - e que estão sendo estendidas para o uso no dia-a-dia. 

Leia Mais

Uma delas é a plataforma Regula RN, que foi criada em parceria entre a Sesap e o Laboratório de Inovação 
Tecnológica em Saúde da Universidade Federal do RN (LAIS-UFRN). O sistema proporcionou um modelo de gestão inédito nos leitos da rede pública de saúde, com plena transparência e agilidade, ajudando a salvar vidas em todo o estado, além de proporcionar um acompanhamento perene de toda sociedade sobre a situação dos leitos covid no Estado durante a pandemia.

O ecossistema do Regula RN está sendo ampliado, em um projeto que envolve também pesquisadores também do Núcleo Avançado de Inovação Tecnológica (Navi) e da Fundação de Apoio à Educação e ao Desenvolvimento Tecnológico do RN (Funcern) - ambas do Instituto Federal do RN (UFRN). O novo sistema vai servir para regular todos os leitos de saúde pública da rede estadual, além da marcação de exames de alta complexidade e cirurgias.

Outro fruto da parceria é o RN+ Vacina. O sistema integrou Sesap e municípios para dar mais rapidez e clareza na disseminação dos dados da campanha de imunização contra a covid-19 e da influenza no Estado, com dados atualizados em tempo real e um sistema de informação disponível a todo cidadão, com a emissão de comprovantes da vacinação. 

Por meio do RN+ Vacina, da forma mais transparente, a qualquer momento o cidadão pode ver o nível de imunização do Estado ou de seu município contra a covid-19, seja para o público geral, acima dos 18 anos e entre 12 e 17 anos, dividindo entre primeira, segunda e terceira doses.
Conteúdo de Responsabilidade do Anunciante

Leia também

Plantão de Notícias

Baixe Grátis o App Tribuna do Norte

Jornal Impresso

Edição do dia:
Edição do Dia - Jornal Tribuna do Norte