RN está entre os três Estados nordestinos que ainda não reabriram economia

Publicação: 2020-06-17 00:00:00
Luiz Henrique Gomes
Repórter

Dos nove Estados do Nordeste, apenas Rio Grande do Norte, Piauí e Alagoas ainda não tomaram medidas para reabertura de suas economias. Os outros - Bahia, Pernambuco, Sergipe, Maranhão, Ceará e a Paraíba - já iniciaram algum protocolo visando a retomada econômica. O Estado potiguar possui o terceiro menor índice de mortes absolutas causadas pela covid-19 na região. Todos os outros Estados que reabriram têm situação mais grave. A possibilidade de início do plano gradual de retomada da economia no RN foi adiada do dia 17 para 24 de junho. 

Créditos: Alex RégisIsolamento social no Rio Grande do Norte foi ampliado para o dia 24 de junho. Nas ruas da Cidade Alta e Alecrim, somente os comércios considerados de itens essenciais estão com abertura regularIsolamento social no Rio Grande do Norte foi ampliado para o dia 24 de junho. Nas ruas da Cidade Alta e Alecrim, somente os comércios considerados de itens essenciais estão com abertura regular


Os Estados que permanecem fechados estão entre os que registram menos mortes pela infecção do novo coronavírus na região Nordeste. O Rio Grande do Norte tem 585 mortes confirmadas até esta terça-feira, 16. Alagoas está logo acima do Estado potiguar, com 768 mortes confirmadas; e Piauí tem o menor número, 374. Sergipe, com reabertura da economia marcada para esta quinta-feira, 18, tem 352 mortes confirmadas e é o segundo Estado com menos mortes causadas pela pandemia na região. Ceará e Pernambuco, que já adotaram protocolos de reabertura econômica, possuem mais mortes: 4.999 e 3.886, respectivamente.

Na avaliação do economista Bira Rocha, ex-presidente da Federação das Indústrias do Rio Grande do Norte (Fiern), o prejuízo econômico no setor comercial já é irreversível em todo o mundo, incluindo no Rio Grande do Norte. “A economia vai ter que se reinventar. O comércio já está muito afetado, mais do que se pensa, porque quando uma empresa fecha é muito difícil reabrir, principalmente para o pequeno empreendedor. E não vai haver uma recuperação. O caminho da economia nos próximos anos vai ser de reinvenção”, disse.

“Não acho que o prejuízo pode ser calculado pelo tempo que vai ficar fechado. Quem faz isso, faz por chute. Estamos numa guerra contra um vírus, invisível e imprevisível, que não tem nem remédio, nem vacina. Quer dizer, podemos reabrir amanhã e depois ter que fechar de novo. É assim no mundo inteiro”, completou o economista.

A avaliação de Bira Rocha sobre os danos negativos da pandemia no setor comercial condiz com os dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). A queda de receitas do segmento comercial de março para abril foi de 11,1% no Rio Grande do Norte e 17% no Brasil, a pior queda em 20 anos. Abril foi o primeiro mês integral em que o fechamento da economia para promover o distanciamento social esteve vigente. No Rio Grande do Norte, por exemplo, o comércio fechou no dia 23 de março.

O empresário Sérgio Cirne, proprietário de uma rede de varejo no RN, afirmou que o maior problema para o comércio é a impossibilidade de realizar um planejamento devido às incertezas da pandemia. Antes dela, Cirne planejou a abertura de uma nova unidade da rede em um shopping de Natal, mas precisou realizar demissões para manter o plano. “Precisamos fazer algumas supressões e demissões neste momento difícil”, comentou.

Apesar do prejuízo econômico, o fechamento do comércio é uma medida necessária em todo o mundo para aumentar o distanciamento social e reduzir o contágio do novo coronavírus. Nesta terça-feira, 16, o secretário-adjunto de Saúde do Estado, Petrônio Spinelli, pediu paciência para o isolamento social ser mantido até a redução da ocupação dos leitos críticos (intensivos ou semi intensivos) porque “os primeiros resultados do isolamento social mais rígido estão sendo colhidos”.

Spinelli se referiu à fila de espera pelos leitos, que diminuiu nos últimos dias, chegando a 53 na terça-feira, 16. Há sete dias, no dia 10, a fila havia chegado a 67 pessoas. “A pressão sobre leitos reduziu, e isso já mostra resultados do programa Pacto pela Vida. Precisamos manter o esforço para reduzir ainda mais a pressão, ter mais leitos desocupados e poder reabrir o comércio”, disse. No decreto do governo estadual, a reabertura do comércio está condicionada a uma ocupação máxima de 70% dos leitos intensivos.

Alagoas e Piauí
A reabertura de Alagoas está marcada para iniciar de forma gradual a partir do dia 22. Piauí adiou a reabertura nesta segunda-feira, semelhante ao Rio Grande do Norte, após o governo estadual anunciar um crescimento na taxa de contágio. Uma nova reunião vai ser realizada no dia 22 de junho para discutir a reabertura. Os dois Estados fazem protocolos e dividem a reabertura entre etapas.

Estado soma 585 mortes por covid-19
O Rio Grande do Norte chegou nesta terça-feira, 16, a 15.212 infectados pelo novo coronavírus e 585 mortes confirmadas, 32 a mais do que a estatística divulgada 24 horas antes. Outras 113 mortes permanecem em investigação, e o número de pessoas suspeitas de terem contraído o vírus supera 24,8 mil. Os dados foram divulgados pela Secretaria de Estado da Saúde Pública na coletiva de imprensa desta terça-feira, 16.

Ao todo, 7.511 pessoas estão internadas nas redes de saúde privada e pública. A taxa de ocupação de leitos críticos é de 94,9% na rede pública. A ocupação dos leitos é de 99% na região metropolitana de Natal, 98,1% em Mossoró (Oeste) e Alto Oeste. Na terceira região de Saúde, onde três leitos críticos foram instalados no município de Guamaré, a ocupação também é completa. A maior disponibilidade é em Caicó, onde 74,1% dos leitos estão disponíveis.

A Secretaria de Estado da Saúde Pública informou que a média do distanciamento social nos últimos quatro dias, entre a quinta-feira, 11, e o domingo, 14, foi de 48%. Além do fim de semana, os dias 11 e 12 foram feriados no Rio Grande do Norte, graças à antecipação da celebração dos Mártires de Uruaçu e Cunhau, originalmente celebrada no dia 3 de outubro.

O secretário adjunto de Saúde do Estado, Petrônio Spinelli, ressaltou que o Rio Grande do Norte tem conseguido manter um índice de isolamento social acima de 40%, chegando perto de 50% durante os finais de semana e feriados, e disse que isso se reflete em uma situação epidemiológica melhor do que outros Estados. “Estamos relativamente acima dos outros Estados, e já colhemos frutos com uma pressão sobre os leitos menor", disse.

Veja abaixo a situação em cada Estado nordestino

CEARÁ: 
Casos confirmados: 79.462
Casos a cada 100 mil hab: 405,3
Mortes: 4.999
Adotou a reabertura econômica do comércio. Iniciou no dia 8 de junho. Reabertura do comércio de rua e de shoppings em Fortaleza com 40% da mão de obra, horário limitado e com o dever de respeitar protocolos sanitários.

MARANHÃO
Casos confirmados: 60.592
Casos a cada 100 mil hab: 856,4
Mortes: 1.499
Adotou a reabertura econômica do comércio. Iniciou no dia 15 de junho. Reabertura dos shoppings centers na Região Metropolitana de São Luís. Lojas de rua também podem abrir as portas para os consumidores. Reabertura ocorre com proibição de praças de alimentação, cinemas e áreas infantis. Uso de máscara é obrigatório. Restaurantes, lanchonetes e bares só podem funcionar com delivery. 

Disponibilização de álcool em gel ou água com sabão nos estabelecimentos.

PERNAMBUCO
Casos confirmados: 45.507
Casos a cada 100 mil hab: 476,2
Mortes: 3.886
Adotou reabertura econômica do comércio. Iniciou no dia 15 de junho. Pernambuco reabriu o comércio de rua a partir desta segunda-feira, 15. O funcionamento também é permitido para salões de beleza e serviços de estética, concessionárias e locadoras de veículos com 50% do funcionários de venda, além da volta dos treinos de futebol profissional. Lojas de até 200 metros quadrados do varejo de rua, aproximadamente 27 mil em todo o Estado, devem funcionar exclusivamente das 9h às 18h. O comércio de rua está funcionando com diversas restrições. A flexibilização do comércio não se aplica a estabelecimentos situados em shopping centers ou similares. Esse locais permanecem com operação liberada apenas nos regimes de delivery e de drive-thru, com pontos de coleta em estacionamento. Galerias podem funcionar das 9h às 18h, desde que sejam projetadas para permitir a ventilação natural.

BAHIA:
Casos confirmados: 37.620
Casos a cada 100 mil hab: 252,9
Mortes: 1.145
Reabertura econômica foi adotada em pelo menos 14 cidades. Em Salvador, a Prefeitura adota um “rodízio” de isolamento social mais rígido entre os bairros.

PARAÍBA
Casos confirmados: 28.668
Casos a cada 100 mil hab: 713,5
Mortes: 656
Adotou reabertura econômica do comércio, mas exclusivamente por delivery. A Paraíba iniciou a reabertura nesta segunda-feira, 15, de uma série de atividades. Na capital, João Pessoa, podem funcionar serviços essenciais e atacadistas. Lojas de construção de material de construção, alimentação e bares podem funcionar com delivery. Varejo, comércio, centros comerciais e shoppings, também exclusivamente por delivery. Salões, barbearias e clínica de estética precisa de hora marcada.

ALAGOAS
Casos confirmados: 22.962
Casos a cada 100 mil hab: 688
Mortes: 768
Programa reabertura econômica a partir de 22 de junho. A previsão é a reabertura de salões de beleza, barbearias e igrejas sejam os primeiros a retomar as atividades, mas com capacidade reduzida de atendimento, além de lojas ou estabelecimentos de rua com 
até 400 metros quadrados. Shoppings e galerias estão permitidos a funcionar a partir do dia 6 de julho.

RIO GRANDE DO NORTE
Casos confirmados: 14.214
Casos a cada 100 mil hab: 405,3
Mortes: 585
Programa reabertura econômica para o dia 24 de junho. Protocolo de reabertura gradual foi criado com uma série de medidas de segurança.

SERGIPE
Casos confirmados: 15.675
Casos a cada 100 mil hab: 681,9
Mortes: 352
Programa reabertura econômica para esta quinta-feira, 18. Estão autorizadas a reabertura de concessionárias de veículos; imobiliárias e similares; comércio de eletrodomésticos, eletrônicos e elétricos, comunicação, informática, equipamentos de áudio e vídeo; comércio de móveis e colchões; e escritórios de engenharia e arquitetura. Na capital Aracaju as atividades comerciais previstas terão horários diferenciados de funcionamentos, sendo das 9h às 16h, até novo pronunciamento.

PIAUÍ
Casos confirmados: 10.357
Casos a cada 100 mil hab: 316,4
Mortes: 374
O Piauí adiou a reabertura econômica nesta segunda-feira, 15. Os protocolos para a retomada das atividades dos serviços de saúde, construção civil e automotivo, que já haviam iniciado, seguem em debate. Outros setores que discutiam protocolos estão com os trabalhos paralisados.







Leia também: