RN lidera NE em casos de chikungunya

Publicação: 2019-11-15 00:00:00 | Comentários: 0
A+ A-
Tales Lobo
Repórter

Estado registrou mais de 12 mil casos no ano, com média de 348 a cada cem mil habitantes, ficando atrás somente da incidência no Rio de Janeiro. O RN possui também a maior incidência de arboviroses transmitidas pelo mosquito Aedes aegypti do Nordeste.

Mosquito Aedes aegypti é o transmissor da chikungunya, dengue e zika vírus

O Rio Grande do Norte atingiu uma marca preocupante em relação ao número de casos de arboviroses transmitidas pelo mosquito Aedes aegypti; dengue, zika e chikungunya. De acordo com o boletim epidemiológico divulgado pelo ministério da Saúde, o Estado possui a segunda maior incidência de casos de chikungunya do Brasil e a maior incidência de todas as arboviroses do Nordeste. Os números ainda apontam que 97 municípios do RN estão em risco de surto destas doenças.

O boletim epidemiológico reúne dados colhidos entre 30 de de dezembro do ano passado e 13 de outubro de 2019, e aponta 12.206 casos de chikungunya no Estado, incidência de 348,1 casos a cada cem mil habitantes. O RN fica atrás somente do Rio de Janeiro que teve incidência de 481,2, com 83.079 casos registrados. No Nordeste, os Estados que mais se aproximam do RN em incidência de chikungunya são Alagoas e Bahia, com 53,2 e 51 casos a cada cem mil habitantes respectivamente. Em todo o Brasil foram apontados 123.407 casos da doença.

Outras Arboviroses:
Além da chikungunya, o mosquito Aedes aegypti transmite outras duas arboviroses; a dengue e o zika. E nessas duas doenças, o Rio Grande do Norte também lidera o Nordeste. Os dados do Boletim Epidemiológico mostram que o RN registrou 29.824 casos de Dengue, com a incidência de 850,4 casos a cada cem mil habitantes. Outros Estados da região como Bahia (64.052) e Pernambuco (35.547) tiveram mais casos da doença, mas por possuírem uma população maior, apresentam menor incidência; 430,7 e 371,9 respectivamente. No Brasil, Minas Gerais e São Paulo apresentaram mais de 400 mil casos de dengue cada. Foram os Estados com maior número da doença. Ainda de acordo com os dados do Boletim, o Brasil chegou 1.489.457 casos de dengue no período.

Já os dados sobre Zika foram coletados pelo Ministério da Saúde entre 30 de dezembro de 2018 e 21 de setembro 2019. Durante esse período foram registrados 1.201 no Rio Grande do Norte, uma incidência de 34,2 casos a cada cem mil habitantes. No Nordeste, somente a Bahia (1.533) apresentou um número de casos maior. No entanto, a incidência ficou muito menor que a do RN; 10,3 casos a cada cem mil habitantes. No restante do País, o Rio de Janeiro também tem destaque no relatório com 1.528 casos. No total, o Brasil chegou a 10.441 registros de Zika.

Óbitos
Apesar do grande número de casos, o Rio Grande do Norte possui uma baixa taxa de letalidade entre as arboviroses. Segundo o Boletim Epidemiológico, o Estado registrou duas mortes por dengue e oito por chikungunya, taxas de letalidade de 0,01 e 0,07 respectivamente. No Brasil, o Estado que registrou maior número de mortes por dengue foi São Paulo, com 247 óbitos. Já o Rio de Janeiro foi o Estado com maior número de óbitos por chikungunya; 54. Durante o período foram registrados 683 óbitos por dengue no País e 75 por chikungunya.

O RN possui a segunda maior incidência de casos de chikungunya do Brasil - o Estado fica atrás somente do Rio de Janeiro que teve incidência de 481,2 com 83.079 casos registrados

Dengue: É a arbovirose mais comum transmitida pelo Aedes aegypti. Os principais sintomas são febre alta, dores musculares, falta de apetite e dor de cabeça. Casos mais graves podem apresentar diarréia e hemorragia. O tratamento é feito com medicamentos de acordo com os sintomas do paciente.

Chikungunya: Outra arbovirose transmitida pelo Aedes aegypti, mas também pode ser transmitida por outros insetos. Os principais sintomas são náuseas, vômitos, febre e fortes dores nas juntas. O  tratamento é feito de acordo com os sintomas, com o uso de analgésicos, antitermicos e antinflamatórios para aliviar febre e dores. É comum que as dores nas juntas permaneçam por um certo tempo, mesmo após a eliminação dos outros sintomas. Por isso, em alguns casos é recomendada fisioterapia.

Zika: Também transmitida pelo Aedes aegypti, tem como principais sintomas a febre branda, mialgia e o aparecimento de manchas vermelhas pelo corpo. O tratamento é feito com o uso de  analgésicos e antitermicos. Em casos mais graves, pode trazer sequelas como doenças neurológicas, e por isso deve haver acompanhamento médico para avaliar o melhor tratamento a ser aplicado. As sequelas são tratadas em centros multiprofissionais especializados.

Mapa dos números de incidência nos Estados. Rio Grande do Norte, Bahia e Rio de Janeiro lideram os casos de dengue, chikungunya e Zika no Brasil:
Mapa dos números de incidência nos Estados. Rio Grande do Norte, Bahia e Rio de Janeiro lideram os casos de dengue, chikungunya e Zika no Brasil.

Arboviroses no RN em Números:

Dengue:
29.824 casos totais

850,4 casos/100 mil habitantes

2 mortes

Chikungunya:
12.206 casos totais

348,1 casos/100 mil habitantes

8 mortes

Zika:
1.201 casos totais

34,2 casos/100 mil habitantes

Sem informações sobre número de óbitos.

Brasil
1.489.457 casos de dengue

683 mortes

123.407 casos de chikungunya

75 mortes

10.441 casos de zika

O ministério da Saúde não informou número de óbitos







continuar lendo


Deixe seu comentário!

Comentários