RN pede permanência de militares por mais 30 dias

Publicação: 2016-08-13 00:00:00 | Comentários: 0
A+ A-
O governador Robinson Faria solicitou a prorrogação da permanência das Forças Armadas no Rio Grande do Norte por, no mínimo, mais 30 dias. Segundo o chefe do Executivo Estadual, a expectativa é que o efetivo de 1.200 militares do Exército, da Marinha e da Força Aérea permaneça na capital potiguar até que a instalação dos bloqueadores de sinal de telefonia celular seja concluída nas unidades prisionais do RN. Robinson adiantou que, se nesse prazo de mais 30 dias, os trabalhos não forem concluídos pedirá nova prorrogação por mais um mês.
Alex RégisNos últimos dois dias o Exército e a Polícia Militar fizeram blitze na Av. Roberto Freire, em Ponta Negra, com abordagem de motoristasNos últimos dois dias o Exército e a Polícia Militar fizeram blitze na Av. Roberto Freire, em Ponta Negra, com abordagem de motoristas

Robinson confirmou o pedido ontem (12), antes de participar assinatura de convênios do programa RN Sustentável, no Centro Administrativo. De acordo com ele, o pedido foi encaminhado ao ministro-chefe da Casa Civil, Eliseu Padilha, durante reunião realizada esta semana em Brasília. “Já pedi ao ministro Eliseu Padilha a prorrogação da presença das Forças Armadas. É o tempo que nós teremos para instalar nos demais presídios do Estado os bloqueadores (de sinal de telefonia celular). É um projeto que começamos e que vamos terminar. Pedi por um mês e depois vamos pedir por mais um mês”, afirmou.

Ainda segundo o governador, os titulares da Secretaria de Justiça e Cidadania (Sejuc), Wallber Virgolino, e de Segurança Pública e Defesa Social (Sesed), Ronaldo Lundgren, deverão participar da confecção de um Termo de Ajustamento de Gestão (TAG), para embasar o pedido feito à Casa Civil “Conversei com os secretários Wallber Virgolino e Ronaldo Lundgren para que apressem a questão burocrática, que chamem os órgãos de controle para que, com transparência e agilidade, possamos driblar os entraves burocráticos e fazer um Termo de Ajuste de Gestão e deixemos amarrada a questão jurídica, para apressar o processo. É de interesse de todos, seja do Ministério Público, seja da Justiça Federal e da população que o governo cumpra sua missão. A ordem é não recuar para a criminalidade”, destacou.

Robinson fez uma avaliação desta primeira semana de atuação das Forças Armadas no RN. Para ele, o trabalho tem sido positivo. “Estamos avançando. Estamos vencendo a guerra contra o crime. Identificamos 26 líderes de facções criminosas e conseguimos levá-los para presídios federais. Desmantelamos os mentores que comandavam os ataques, o que enfraquece o movimento”, disse. “Um comando que nunca tinha sofrido nenhuma baixa, perdeu de uma só vez 26 líderes. Mas é lógico que temos que ter cuidado, trabalhar com mais segurança para proteger o povo. O importante foi a decisão do governo de ir adiante”, completou.

O Comando da Operação Potiguar, em Natal, ainda não recebeu nenhuma determinação oficial a respeito da prorrogação da missão. A equipe depende de uma autorização do presidente da República interino, Michel Temer, para ter a permanência no RN estendida.

Balanço
Os 1.200 homens das Forças Armadas chegaram ao RN no dia 3 de agosto, para auxiliar os órgãos de segurança do RN no combate à onda de criminalidade iniciada após a instalação de bloqueadores de telefonia celular na Penitenciária Estadual de Parnamirim. A apresentação da tropa aconteceu no dia seguinte, em solenidade que contou com a presença do ministro da Defesa, Raul Jungmann, que na ocasião confirmou que militares atuariam, principalmente, em Natal e na região Metropolitana.

Durante coletiva de imprensa realizada após a apresentação, o governador Robinson Faria já havia pedido verbalmente a extensão do trabalho do Exército e da Marinha no Estado, até que a instalação dos bloqueadores fosse realizada nas demais unidades prisionais do RN.

Segundo a assessoria de comunicação do Exército Brasileiro, os militares estarão atuando em toda a região Metropolitana, com ênfase noa corredores bancários, turísticos, vias de acesso da capital e áreas de tráfego do transporte público, e já participaram de mais de 1.300 operações, na Região Metropolitana de Natal.

Esse número compreende 880 operações de patrulhamento motorizado, blindado e a pé, 362 pontos estáticos, 11 Postos de Controle e Bloqueio de Vias Urbanas, 66 ações de reconhecimento, 16 operações costeiras e fluviais, controle de áreas estratégicas, dentre outras ações.

Com essa presença no cotidiano da população, as ocorrências relacionadas aos ataques caíram drasticamente, segundo os números que estão sendo divulgados pela Secretaria de Segurança Pública do Estado do Rio Grande do Norte. Até ontem (12), segundo a assessoria de Imprensa da Sesed, foram registradas 114 atentados, entre incêndios a veículos e prédios públicos e particulares, em 40 cidades potiguares. Foram efetuadas 110 prisões.

continuar lendo


Deixe seu comentário!

Comentários