Cookie Consent
Natal
RN poderá ter que oferecer mais de uma vacina contra a covid-19
Publicado: 00:00:00 - 11/12/2020 Atualizado: 01:10:19 - 11/12/2020
O Rio Grande do Norte é um dos onze Estados brasileiros interessados na compra da vacina Coronavac, desenvolvida numa parceria entre o Instituto Butantan e a farmacêutica chinesa Sinovac. Além dessa vacina, o Estado poderá usar, também, o imunizante produzido pela empresa norte-americana Pfizer, que necessita de uma logística ultra complexa para manuseio, como a refrigeração do insumo a uma temperatura de 70ºC negativos. A vacina da Pfizer é a primeira em utilização do mundo e a Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap/RN) confirmou nesta quinta-feira (10) que tem condições de fazer a logística para utilização desse imunizante. 

Elisa Elsie
Alessandra Lucchesi explicou investigação do caso que resultou na confirmação da reinfecção e detalhou preparativos do Estado para recebimento das vacinas

Alessandra Lucchesi explicou investigação do caso que resultou na confirmação da reinfecção e detalhou preparativos do Estado para recebimento das vacinas


Leia Mais

Em entrevista ao Jornal da Manhã, da Jovem Pan News Natal (93,5 FM), a subcoordenadora de Vigilância Epidemiológica da Sesap/RN, Alessandra Lucchesi, explicou que o Estado tem preparado a logística para proceder a vacinação, seja qual for o imunizante disponível após a liberação da Anvisa. Segundo ela, o Rio Grande do Norte tem se antecipado para ter celeridade no processo de vacinação. No final da manhã desta quinta-feira, a Anvisa aprovou regra que permitirá imunização em caráter emergencial no País. Entretanto, nenhuma empresa farmacêutica havia requerido a liberação até o fim do dia.

“Ainda aguardamos a autorização da Anvisa para termos a comercialização (de uma vacina). As tratativas seguem na pasta da governadora e a partir disso (liberação) é que poderemos ter um prazo aproximado para a execução da vacinação. O Rio Grande do Norte tem se preparado no ponto de vista logístico, estamos assegurando a compra de seringas, mesmo que tradicionalmente sejam fornecidas como um insumo pelo Ministério da Saúde, mas nós nos antecipamos. Assim como estamos fazendo nossa reestruturação e organização da nossa rede de frios, ampliando também em níveis regionais", explicou Lucchesi.

Sobre a utilização da vacina da Pfizer, Lucchesi disse que é uma possibilidade cogitada e que o Estado já está com o planejamento necessário para utilizá-la, caso seja viabilizada a compra. Mesmo argumento que a própria fabricante tem oferecido alternativas para manter a vacina a -70ºC, com a utilização de gelo seco, o Rio Grande do Norte terá refrigeradores para armazenar os imunizantes, caso seja necessário.

“É uma possibilidade que vem sendo cogitada (compra da vacina da Pfizer) e o planejamento logístico é necessário. No Rio Grande do Norte, estamos adquirindo um freezer com potência para deixar a menos 70 graus celsius e temos a disponibilidade em outras duas regiões de saúde. É um equipamento utilizado em laboratórios, pela própria UFRN, e podem também ser utilizadas caso tenhamos a necessidade", sublinhou Lucchesi.

Custo
 As vacinas contra a covid-19 consumirão cerca de R$ 1,195 milhão no que diz respeito à montagem de estruturas de transporte, armazenagem, refrigeração e distribuição. O recurso foi garantido pelo Ministério da Saúde, conforme Portaria Nº 3.248/2020, publicada no Diário Oficial da União semana passada. Na terça-feira (8), o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, garantiu à governadora Fátima Bezerra, durante reunião presencial no Palácio do Planalto, em Brasília, que a logística de distribuição nacional das vacinas está pronta e será apresentada em breve. 






Leia também

Plantão de Notícias

Baixe Grátis o App Tribuna do Norte

Jornal Impresso

Edição do dia:
Edição do Dia - Jornal Tribuna do Norte