RN tem 191 veículos novos a cada dia

Publicação: 2019-06-27 00:00:00 | Comentários: 0
A+ A-
Mariana Ceci
Repórter

O Rio Grande do Norte atingiu a marca de 1,3 milhão de automóveis cadastrados no banco de dados do Departamento Estadual de Trânsito do Estado (Detran), dos quais mais da metade entraram em circulação na frota nos últimos dez anos. Na prática, foram 191 veículos novos, em média por dia, adicionados à frota do Estado, com um crescimento de aproximadamente 119%  registrado ao longo da última década.

O cenário da quantidade de veículos chega a ser caótico nas horas de pico do tráfego na capital, como o fim do dia
O cenário da quantidade de veículos chega a ser caótico nas horas de pico do tráfego na capital, como o fim do dia

A maior parte dos veículos incorporados à frota (528.940) foram destinados aos municípios do interior do Estado, enquanto 169.650 passaram a circular na capital, que registrou um crescimento percentual de 72% ao longo do período analisado. No interior, o crescimento foi de 150%.

As motocicletas  apresentaram um crescimento considerável ao longo da última década, em especial no interior. De acordo com o relatório, ciclomotores e motonetas chegaram a marca dos 534.630 veículos em 2019, o que corresponde a 40,75% de todos os tipos de automóveis cadastrados no Estado, 80% delas registradas nos municípios do interior.

Outro dado apresentado pelo Departamento Estadual de Trânsito em relação à frota foi o índice de motorização, que considera a relação entre a população do Estado e o número de veículos em circulação. Em 2009, o RN possuía 233 veículos para cada mil habitantes. Em 2018, o Estado passou a ter 370 veículos para cada mil pessoas, um crescimento de 58,5%.

Ao analisarmos a perspectiva para o interior e a capital, a relação que antes era de seis cidadãos para cada veículo (2009) passou a ser de três pessoas para cada carro (2018), e em Natal, o número de três pessoas por automóvel passou a duas.

O crescimento registrado da frota de veículos, no entanto, está desacelerando: enquanto o número de veículos do Estado cresceu 11,2% de 2008 para 2009, ao compararmos os anos de 2017 e 2018, veremos que o crescimento foi de apenas 4,1%. Ou seja, na prática, o novos carros continuam sendo adicionados à frota do RN, mas em ritmo menor do que foi observado em outros anos, principalmente os anteriores à crise.

O aumento da frota traz, consigo, uma série de questões para o Poder Público: aumento no número de acidentes, necessidade de repensar os arranjos de engenharia de trânsito e a própria política de mobilidade da cidade e do Estado.

De 2009 a 2018, por exemplo, os gastos com acidentes de trânsito no Rio Grande do Norte somaram R$ 42,4 milhões, de acordo com um levantamento feito pelo Conselho Federal de Medicina. Nesse período, o Estado teve 25.682 internações decorrentes dos acidentes nas ruas e rodovias, e 5.148 mortes causadas pelo mesmo motivo.

Para os especialistas, um dos fatores que deve ser analisado ao se pensar no aumento da frota é a qualidade e a oferte de transportes coletivos oferecidas no Estado. Em Natal, a frota de ônibus, além de ter uma idade média que varia entre 8 e 9 anos - o ideal são quatro -, possui a tarifa mais cara do Nordeste.

Em cinco anos, o número de passageiros de ônibus passou de 127,64 milhões, em 2012, para 99,2 milhões, em 2017, o que representa uma queda acumulada de 22,28% no período, uma tendência inversa ao que vem acontecendo com os automóveis particulares.

Licitação
Há seis anos, a realização de uma licitação de transportes coletivos vem sendo aguardada pela população de Natal. Após sucessivas tentativas fracassadas da Prefeitura de realizar o processo, em 2013 e 2017, nenhuma empresa apresentou interesse no edital, que foi considerado deserto. Atualmente, mais uma versão está em fase de elaboração, e a expectativa é de que o novo texto seja apresentado até agosto, apesar de não haver garantias de que as empresas vão se apresentar para o processo.

Ao todo, serão licitados dois lotes, cada um deles com 37 linhas. O lote 1 vai atender às zonas Sul e Oeste, enquanto o lote 2 atende às zonas Norte e Leste. Com um período de concessão inicial de 10 anos, o novo edital, em conformidade com a Lei Complementar 013/2017, deverá trazer determinações como ônibus com motor traseiro, câmbio automático, piso baixo e renovação da frota, além de linhas noturnas com operação diária das 0h às 5h em itinerários especiais.

Números
1,3  milhão de veículos estão registrados no Detran/RN, entre carros e motocicletas.

528.940 circulam pela capital, sendo o maior registro do estado entre os municípios.






continuar lendo


Deixe seu comentário!

Comentários