RN tem cinco casos suspeitos para o novo coronavírus. Resultado de exames sai hoje

Publicação: 2020-02-28 00:00:00
A+ A-
O Rio Grande do Norte tem cinco casos classificados como suspeitos de infecção para o novo coronavírus (COVID-19) por parte da Secretaria de Estado da Saúde Pública do RN (Sesap). O dado foi divulgado pela Sesap em nota oficial enviada à imprensa no final da manhã dessa quinta-feira (27). A pasta chegou a anunciar uma coletiva de imprensa para a parte da tarde, mas preferiu adiar o encontro para a manhã desta sexta-feira (28), onde apresentará os resultados dos exames de forma mais conclusiva. No último balanço, na quarta-feira (26), três pacientes estavam sendo dados como “possíveis casos suspeitos”, isto é, precisavam passar pelos critérios do Ministério da Saúde para só então serem cravados como suspeitos.

Créditos: Alex RegisO Hospital Giselda Trigueiro é referência no atendimento e tratamento de possíveis infectados, ao lado do Hospital Maria AliceO Hospital Giselda Trigueiro é referência no atendimento e tratamento de possíveis infectados, ao lado do Hospital Maria Alice


Dos três casos em investigação mencionados na edição da TRIBUNA DO NORTE desta quinta-feira, apenas um deles segue sob investigação para definição. Os outros dois já foram classificados como casos suspeitos para COVID-19 (novo Coronavírus). Pelo que foi repassado à reportagem, esses casos se tratavam de uma menina de 10 anos, que esteve num cruzeiro em Hong Kong, e duas mulheres de 28 e 45 anos, que foram à Itália. As pacientes não tem relação de parentesco. Além desses, foram notificados mais três casos, os quais já foram classificados como casos suspeitos.

“Essas três pessoas viajaram com as pessoas que moram com elas, então elas também se expuseram ao risco antes de chegarem aqui. Há uma série de recomendações para pessoas nesse tratamento: uso de máscaras para evitar transmissão, higienizar objetos com álcool, evitar compartilhar objetos que entrem em contato com vias aéreas e secreções, como copos, talheres, além de quê, evitar sair de casa e contato com outras pessoas”, disse o diretor do Hospital Giselda Trigueiro, o médico e infectologista André Prudente.

Em nota técnica enviada pela Sesap, a pasta disse que os atendimentos médicos foram realizados, assim como a coleta para exames, e os pacientes seguem em isolamento domiciliar, enquanto aguardam a confirmação ou descarte de caso para COVID-19. Concomitantemente ao acolhimento dos pacientes, a Sesap e as equipes de vigilância epidemiológica municipais deram início às primeiras medidas de investigação e monitoramento, conforme estabelecido previamente no Fluxo e Plano de Contingência Estadual para COVID-19, diante de caso suspeito.

Ainda na nota encaminhada pela Sesap, foi reforçado que as pessoas que apresentem sinais e sintomas característicos e que possuem histórico de viagem recente a um dos dezesseis países (China; Japão; Irã; Vietnã; Camboja; Tailândia; Coreia do Sul; Coreia do Norte; Singapura; Alemanha; Austrália; Emirados Árabes; Filipinas; França; Itália e Malásia), ou contato com caso suspeito ou confirmado por COVID-19, devem procurar atendimento nos serviços de saúde mais próximos de sua residência. "É necessário que sejam adotadas as medidas de precaução e principalmente que diante da apresentação de sinais e sintomas que sejam evitados locais públicas", explicou a Sesap através de nota.

“Ressaltamos que o Plano de Contingência do Estado do Rio Grande do Norte para o novo Coronavírus foi elaborado desde o início de fevereiro e foi amplamente divulgado entre profissionais de saúde da rede pública e privada de todo o estado. A Sesap reforça que possui o compromisso de manter a população informada e alerta para a ocorrência de possíveis casos", disse a nota assinada por Maria Suêly Lopes Correia Pereira, que é responsável técnica do CIEVS-RN, e Alessandra Lucchesi, subcoordenadora de Vigilência Epidemiológica.

Desde que os primeiros casos do registro do aparecimento do vírus, a Sesap tem adotado medidas preventivas para a doença. O Hospital Giselda Trigueiro, especializado em infectologia, está mantendo uma ala específica para esses casos, com 25 leitos.

Além do Giselda Trigueiro, o Hospital Maria Alice Fernandes, na zona Norte, também está atuando na retaguarda para tratamento de possíveis doentes.

O Ministério da Saúde informou nesta quinta-feira, 27, que o Brasil monitora 132 casos suspeitos de infecção pelo coronavírus. Até agora, um caso da doença foi confirmado, em São Paulo. Não há nenhum caso confirmado, até o momento, no Rio Grande do Norte.

Veja como se dá a transmissão do vírus

Como o novo coronavírus é transmitido?
As investigações sobre transmissão do novo coronavírus ainda estão em andamento, mas a disseminação de pessoa para pessoa está ocorrendo.

Alguns vírus são altamente contagiosos (como sarampo), enquanto outros são menos. Ainda não está claro com que facilidade o novo coronavírus se espalha de pessoa para pessoa.

Apesar disso, a transmissão dos coronavírus costuma ocorrer pelo ar ou por contato pessoal com secreções contaminadas, como:

Gotículas de saliva;

Espirro;

Tosse;

Catarro;

Contato pessoal próximo, como toque ou aperto de mão;

Contato com objetos ou superfícies contaminadas, seguido de contato com a boca, nariz ou olhos.

Os coronavírus apresentam uma transmissão menos intensa que o vírus da gripe e, portanto, o risco de maior circulação mundial é menor.

O vírus pode ficar incubado por duas semanas, período em que os primeiros sintomas levam para aparecer desde a infecção.

Como prevenir o novo coronavírus?
O Ministério da Saúde orienta cuidados básicos para reduzir o risco geral de contrair ou transmitir infecções respiratórias agudas, incluindo o novo coronavírus. Entre as medidas estão:

Evitar contato próximo com pessoas que sofrem de infecções respiratórias agudas;

Realizar lavagem frequente das mãos, especialmente após contato direto com pessoas doentes ou com o meio ambiente;

Utilizar lenço descartável para higiene nasal;

Cobrir nariz e boca quando espirrar ou tossir;

Evitar tocar mucosas de olhos, nariz e boca;

Higienizar as mãos após tossir ou espirrar;

Não compartilhar objetos de uso pessoal, como talheres, pratos, copos ou garrafas;

Manter os ambientes bem ventilados;

Evitar contato próximo a pessoas que apresentem sinais ou sintomas da doença;

Evitar contato próximo com animais selvagens e animais doentes em fazendas ou criações.

Quais são os sintomas do novo coronavírus?
Os sinais e sintomas clínicos do novo coronavírus são principalmente respiratórios, semelhantes a um resfriado. Podem, também, causar infecção do trato respiratório inferior, como as pneumonias.

Os principais são sintomas são:
Febre

Tosse

Dificuldade para respirar

Como agir
Em caso de uma pessoa apresentar os sintomas do coronavírus, os potiguares podem ligar para três telefones diferentes para darem entrada nas unidades especializadas e fazerem os exames. Esses números são do Centro de Informações Estratégicas em Vigilância em Saúde, da Sesap.

No entanto, vale salientar que estar com os sintomas da doença não necessariamente significa que o usuário contraiu o vírus. Por isso, autoridades e especialistas tem utilizado o termo “vínculo epidemiológico”, isto é, a pessoa ter tido contato com pessoas dos países afetados ou ter viajado a um dos locais que têm casos confirmados.

São eles: China, Japão, Coréia do Sul, Coréia do Norte, Singapura, Camboja, Vietnã, Tailândia, Alemanha, Austrália, Emirados Árabes, Filipinas, França, Irã, Itália, Malásia.

Os telefones:
(84) 98102-5948 (Whatsapp),

0800 281 2801

(das 7h às 17h)

3232-2801 (das 7h às 18h)







Deixe seu comentário!

Comentários