RN tem maior redução no país de mortes por covid-19

Publicação: 2020-07-14 00:00:00
A+ A-
Luiz Henrique Gomes
Repórter

O Rio Grande do Norte possui a maior redução de mortes diárias causadas pela covid-19 nos últimos sete dias no Brasil, com 39% de queda. O Estado conseguiu diminuir a quantidade de novas vítimas da pandemia, segundo levantamento feito pelo consórcio de veículos de comunicação nacionais divulgado na noite desta segunda-feira, 13. No mesmo dia, o Governo do Estado anunciou redução na ocupação de leitos críticos para a doença e ampliação da oferta de novos leitos ao longo desta semana.

Créditos: Elisa Elsie/Gov. do RNEm coletiva de imprensa, a governadora Fátima Bezerra comemorou números da queda dos casos e mortes, mas reforçou cuidadosEm coletiva de imprensa, a governadora Fátima Bezerra comemorou números da queda dos casos e mortes, mas reforçou cuidados


No domingo, 12,  a taxa da ocupação dos leitos críticos (UTI ou semi intensivos) da rede de saúde pública específicos para o tratamento da covid-19 caiu para abaixo dos 80% da capacidade total pela primeira vez em dois meses. Ao todo, 230 leitos estavam ocupados, 46 vagos e outros nove, bloqueados. Nesta segunda-feira, 13, a governadora Fátima Bezerra afirmou que o momento atual “expressa confiança, esperança e vida”, mas alertou que “é preciso manter a responsabilidade porque o cenário requer cuidado” para não haver aumento de novos casos. Fátima Bezerra participou da coletiva de imprensa no Centro Administrativo, em Natal, ao lado de auxiliares. 

Os números de infectados e mortos em decorrência da covid-19 no Rio Grande do Norte chegaram nesta segunda-feira a 39.598 e 1.399, respectivamente. São 982 casos e 19 mortes a mais que o registrado no último Boletim Epidemiológico divulgado pela Secretaria de Estado da Saúde Pública (Sesap/RN) no sábado, 11 - a pasta informou que a estatística deve ter um crescimento mais significativo nesta terça-feira, 14, porque nos fins de semana a capacidade do Estado de processar testes não é a mesma. A quantidade de suspeitos é de 52.274, e de óbitos em investigação, 187.

O levantamento do número de mortes foi feito pelo consórcio de veículos de imprensa nacional (O Globo, Folha, Estadão, UOL, G1 e outros) com base nos dados das Secretarias Estaduais de Saúde. O Rio Grande do Norte é o único estado do Nordeste a reduzir a média de novas mortes. O restante, com exceção da Paraíba, está em uma situação estável, considerada quando a média de mortes oscila no máximo 15% para mais ou para menos. Na Paraíba, o número de mortes aumentou 26%.

Redução
Tanto a redução das mortes quanto a da taxa de ocupação deu confiança ao Governo do Rio Grande do Norte para a continuidade da retomada gradual da economia nesta quarta-feira, 15. A segunda fração da reabertura foi adiada na semana passada porque o Estado estava com mais de 90% dos leitos críticos ocupados. O percentual de 80% foi considerado pela Sesap/RN como seguro para haver a reabertura de mais serviços e estabelecimentos.

Nesta segunda-feira, a governadora Fátima Bezerra participou da coletiva de imprensa diária da pasta e afirmou que as medidas estaduais “são observadas com o máximo de cautela” para “não haver retrocessos e acontecer o que está acontecendo em outros Estados, que voltaram a ter mais casos”, sem citar diretamente quais. “A redução de ocupação dos leitos não significa que a pandemia já foi embora. O cenário requer cuidado. Por um lado, o Governo vai continuar abrindo leitos. Por outro, as pessoas precisam ter as suas responsabilidades de manter as medidas sanitárias”, declarou a governadora.

Ocupação de leitos críticos recua
A ocupação atual dos leitos estava em torno de 80,7% no fim da tarde desta segunda-feira, 13. Pela manhã, o secretário adjunto da Saúde do RN, Petrônio Spinelli, afirmou que é normal haver uma oscilação no percentual. “Já chegamos a menos de 80%, e essa oscilação é esperada e normal. O mais complexo agora é tomar os cuidados para manter a ocupação abaixo de 80%”, declarou.

Créditos: Elisa Elsie/Gov. do RNPetrônio Spinelli comentou redução dos casos e mortes e anunciou abertura de novos leitos de UTIPetrônio Spinelli comentou redução dos casos e mortes e anunciou abertura de novos leitos de UTI


Segundo Fátima Bezerra, o Governo do Estado vai abrir mais leitos até esta quarta-feira, 14, em unidades de saúde de Natal, João Câmara, Santo Antônio e Mossoró, no Oeste. A perspectiva com a abertura de leitos é reduzir ainda mais a ocupação, já que a fila de espera por leito crítico “está praticamente zerada”, disse Petrônio Spinelli. O sistema Regula RN mostrava, no início da noite desta segunda-feira que havia seis pessoas que esperam a transferência para um leito, apesar das vagas.

A Sesap/RN informou que a existência da fila mesmo com leitos suficientes ocorre porque os pacientes podem estar em um quadro instável de saúde, não possibilitando a transferência, ou os leitos são localizados em unidades municipais, que são reservadas para determinado município. Outra possibilidade é ele ter o leito reservado e estar aguardando o transporte até a unidade.

A ocupação de leitos caiu principalmente na região metropolitana de Natal nos últimos dias. A região ficou com mais de 90% dos leitos ocupados durante toda a semana passada, mas outros 30 leitos foram abertos em três municípios (São Gonçalo, Macaíba e Parnamirim) e o número chegou a 81% nesta segunda-feira. O Oeste era a região com maior número de leitos ocupados, em torno de 94%. A terceira região de Saúde, com leitos em João Câmara, o Seridó e o Alto Oeste estão com as menores ocupações: 71%, 73% e 50%, respectivamente.

Grande Natal reabrirá comércio nesta quarta, 15
A reabertura gradual da economia está mais avançada em 23 cidades, que não seguiram as recomendações do Estado na última semana em adiar a segunda fração. Natal, Mossoró e Parnamirim, as três maiores cidades potiguares, estão entre elas. A capital, que começou a retomada no dia 30 de junho, um dia antes do Estado, inicia a segunda etapa da reabertura nesta terça-feira, 14, com a reabertura de academias e estabelecimentos semelhantes.

O restante das cidades, como São Gonçalo do Amarante, Macaíba, Ceará-Mirim e Extremoz, localizadas na Grande Natal, seguiram a recomendação do Estado e devem iniciar a segunda fração da reabertura na quarta-feira, 15. Ela contempla serviços de alimentação de até 300 metros quadrados e estabelecimentos de diversos segmentos comerciais com 600 metros quadrados.

A governadora Fátima Bezerra chamou a atenção das Prefeituras nesta segunda-feira, 13, para pedir que fiscalizem a reabertura gradual, que é adotada com uma série de protocolos de segurança nos estabelecimentos (uso de máscara, medição de temperatura, distanciamento social etc). Uma decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) em abril decidiu pela autonomia dos prefeitos para decidirem as medidas de isolamento social. “Quero fazer um chamamento às Prefeituras de que elas são as responsáveis por fiscalizar as medidas. Tem um papel importantíssimo para a ocupação permanecer baixa”, afirmou a governadora.

Pandemia
Veja como o número de novas mortes tem variado nas últimas duas semanas:
Subindo: PR, RS, SC, MG, DF, GO, MS, RO, TO e CE.

Em estabilidade: ES, SP, AL, BA, MA, PB, PE, PI e SE.

Em queda: RJ, AC, AM, AP, PA, RR e RN.

O estado de Mato Grosso não divulgou os dados até as 20h. Considerando os dados até as 20h de domingo, estava subindo (a alta era de +31%). 

Redução por Estado
Rio Grande do Norte: 
-39%
Amapá: -22%
Roraima: -21%
Amazonas: -20%
Pará: - 19%

 
Fonte: Consórcio de veículos de imprensa nacional (O Globo, Folha, Estadão, UOL, G1 e outros) com base nos dados das secretarias estaduais de Saúde.