RN tem pior índice de isolamento do Brasil

Publicação: 2020-08-04 00:00:00
A+ A-
De acordo com a plataforma de geolocalização In Loco, que disponibiliza dados de todos os Estados brasileiros, 37,64% das pessoas em território potiguar respeitaram o isolamento social no primeiro fim de semana de agosto. O índice preocupa as autoridades, que já observam uma situação de estabilização da situação da covid-19 no RN, ao invés de uma situação de queda, cenário  mais desejável. 

Créditos: Elisa Elsie/Gov. do RNAlessandra Lucchesi chamou atenção para riscos das taxas atuaisAlessandra Lucchesi chamou atenção para riscos das taxas atuais


saiba mais

“Há necessidade de percepção da população que a pandemia ainda não passou. Nós ainda estamos no enfrentamento da covid-19 e as medidas precisam ser mantidas, tanto por parte da população como dos municípios. Não é hora de relaxar as medidas, mas reforçar cada vez mais para direcionar à tomada de decisões”, disse a subcoordenadora de vigilância epidemiológica da Sesap Alessandra Lucchesi, durante a coletiva de imprensa nesta segunda-feira, 3.

Dados do Laboratório de Inovação e Tecnologia em Saúde (LAIS/UFRN), mostram que a  situação da taxa de transmissibilidade (Rt) da covid-19 no Estado nesta segunda-feira tem um quadro desconfortável que pode levar ao aumento do número de casos da pandemia. Há 77 municípios em zona de perigo por apresentarem a taxa acima de 2. Os municípios polo regionais e de maior população apresentam gravidade mais expressiva. Em Pau dos Ferros e São Gonçalo a taxa é de 5, ou seja, uma pessoa contaminada transmite para outras 5 pessoas.

Em Caicó, onde houve aumento na incidência, a taxa chega a 1.63. Em Santa Cruz, na região Trairi, a transmissibilidade é de 1.08. Em Mossoró, atinge 1.25 e em Natal é de 1, mas municípios vizinhos - como Parnamirim e Macaíba também têm taxas preocupantes - 1.21 e 1.24, respectivamente. Outros 55 municípios têm taxa entre 1 e 2, que representam grande risco.

“A pandemia não passou. Por isso fazemos mais uma vez o chamamento para todos mantermos as medidas de precaução. Não é hora de relaxar, mas de reforçar os cuidados. As medidas protetivas precisam ser mantidas pela população, pelos empresários e pelos municípios", afirmou Alessandra Lucchesi.

Outros 33 encontram-se na chamada “zona segura", com taxa inferior à 1. Apenas dois municípios do Estado encontram-se em “zona neutra", com a taxa de transmissibilidade entre 1 e 1,03. A cidade de Rafael Godeiro, no Alto Oeste, possui a maior taxa de transmissibilidade do Estado, de 6,13. A cidade é seguida por  Venha-Ver, com taxa de 5,96, e Taboleiro Grande, com taxa de 5,71.

Natal, que já apresentou taxa de transmissão superior a 2, hoje encontra-se dentro da classificação de “zona segura", com taxa igual a 1.

Os números dos municípios da Região Metropolitana, no entanto, preocupam as autoridades de saúde, que acreditam que as taxas podem voltar a subir na capital caso as medidas de fiscalização não sejam reforçadas nas cidades próximas. “Sabemos que o fluxo intermunicipal é real, então essa é uma preocupação para nós em relação à Região Metropolitana", afirmou Alessandra Lucchesi. Entre os municípios da Região Metropolitana, São Gonçalo do Amarante apresenta a situação mais grave, com taxa de transmissibilidade igual a 5.

Para as autoridades de saúde, manter essa taxa baixa será fundamental para evitar que a ocupação dos leitos críticos e clínicos do Estado volte a atingir a capacidade máxima. Na manhã desta segunda-feira, 3, a ocupação geral dos leitos críticos e semi intensivos específicos para a covid-19 atingiu 64%, e não havia pacientes na fila aguardando por disponibilidade de leitos. A região que registrou maior ocupação foi a de São José do Mipibu, com 100% de seus leitos ocupados. Em seguida, estava Mossoró, com 98% de ocupação; Caicó, com 76%; Região Metropolitana de Natal, com 57%; João Câmara, com 40% e Pau dos Ferros, com 33% de ocupação.

Veja abaixo os dados atualizados da pandemia
Os dados epidemiológicos da Sesap mostram que nesta segunda-feira existiam há 429 pessoas internadas por causa da covid-19, sendo 225 em leitos críticos e 204 em leitos clínicos. A fila de regulação tinha 6 pacientes aguardando transporte sanitário. A taxa geral de ocupação de leitos era de 64%. 

Nas regionais o quadro era o seguinte:
Oeste – 98%
Seridó – 76%
Metropolitana de Natal – 57%
Mato Grande – 40%
Pau dos Ferros – 33%
Agreste – 0%

As ocorrências de Covid-19 somam:
52.030 casos confirmados
62.525 casos suspeitos
82.553 casos descartados
1.894 óbitos (1 nas últimas 24 horas)
219 mortes em investigação

O aumento no registro de óbitos neste final de semana se deve à investigação que a Sesap/RN vem fazendo junto aos municípios no controle e atualização da coleta dados.