RN tem três casos confirmados de sarampo

Publicação: 2019-08-28 00:00:00 | Comentários: 0
A+ A-
Subiu para três o número de casos de sarampo confirmados no Rio Grande do Norte. As informações são do Boletim Epidemiológico liberado na tarde desta terça-feira (27) pela Secretaria Estadual da Saúde Pública (Sesap). Outros doze casos suspeitos seguem sendo investigados.

Das pessoas que tiveram a confirmação da doença, segundo a Sesap, todas estão em casa e fora do período de transmissão do vírus do sarampo
Das pessoas que tiveram a confirmação da doença, segundo a Sesap, todas estão em casa e fora do período de transmissão do vírus do sarampo

Dentre os novos casos, dois são entre crianças. Uma de seis anos no município de Macaíba, e outra ainda mais nova, de apenas um ano e seis meses, em Tibau do Sul.  Anteriormente, um homem de 54 anos já havia sido diagnosticado com o sarampo após ter realizado uma viagem para São Paulo, Estado com maior incidência da doença.

De acordo com a Subcoordenadora de vigilância epidemiológica da Sesap, Alessandra Lucchesi, os pacientes com diagnósticos confirmados estão bem e sendo tratados em casa. Além disso, todos já passaram do período de transmissibilidade da doença, ou seja, não podem mais contagiar outras pessoas com o sarampo.

Dos doze casos sendo investigados, quatro são em Natal e dois em Parnamirim. Já os municípios de Macaíba, Extremoz, Tibau do Sul, Serrinha, Caicó e Florânia apresentam uma suspeita cada.

Há 15 dias, quando o Estado confirmou que quatro casos estavam sob investigação e com um já confirmado, a Vigilância Epidemiológica da Secretaria Estadual de Saúde, afirmou que o Estado está em alerta para a doença. Com um caso já confirmado, já se considera surto, devido à doença não apresentar registros no Rio Grande do Norte há 19 anos.

Na semana passada, com a continuidade de aumento de casos pelo país, o Ministério da Saúde determinou que crianças entre seis e onze meses de idade devem tomar a dose da vacina contra o sarampo (considerada dose zero), independente da primeira a da tríplice viral  prevista no programa nacional de vacinação os dose meses de idade e segunda dose com 15 meses, da tetra viral.

Vacinação
De acordo com o Ministério da Saúde, somente em 2019 já foram disponibilizados mais de 16 milhões de doses da vacina tríplice viral, que protege contra sarampo, caxumba e rubéola. A Sesap informou que recebeu um lote extra de 100 mil doses para cobertura vacinal do RN e que essa quantidade deve ser suficiente para atender a demanda do Estado, apesar do aumento da busca pela imunização.

No início do mês de agosto, o Ministério da Saúde encaminhou às Secretarias Estaduais e Municipais de Saúde, um conjunto de recomendações voltadas aos profissionais de saúde sobre proteção e cuidados para evitar a propagação do sarampo nas unidades de saúde do país.

Subcoordenadora de vigilância epidemiológica da Sesap, Alessandra Lucchesi, fala sobre os casos
Subcoordenadora de vigilância epidemiológica da Sesap, Alessandra Lucchesi, fala sobre os casos

O estoque de vacina enviado pelo Ministério da Saúde serve para atender o que é chamado de vacinação de rotina e está previsto no Calendário Nacional de Vacinação, além de intensificar a imunização de crianças de seis meses a menores de um ano de idade que residem ou estão em deslocamento para municípios que, neste momento, apresentam surto ativo da doença. A vacinação não é indicada para gestantes e imunossuprimidos (quando o sistema de imunidade está com baixa atividade).

A doença
O sarampo é uma doença infeciosa grave, causada por vírus, e que pode causar sequelas ou até a morte. A vacina é seu único meio de prevenção. Dentre os principais sintomas estão febre acompanhada de tosse, irritação nos olhos, nariz escorrendo ou entupido, mal-estar intenso, além de manchas pelo rosto e pelo corpo.

A transmissão do sarampo ocorre de pessoa a pessoa, por via aérea, ao tossir, espirrar, falar ou respirar. Segundo o Ministério da Saúde, a doença é tão contagiosa que uma pessoa infectada pode contagiar 90% das pessoas próximas que não estejam imunes.

Não existe um tratamento específico para o sarampo. Os medicamentos são utilizados pelos médicos para reduzir os desconfortos de acordo com a necessidade do paciente. Por isso os órgãos de saúde recomendam que as pessoas com os sintomas da doença procurem atendimento rapidamente e não façam uso de nenhum remédio sem orientação médica.

O mais recente boletim nacional divulgado pelo Ministério da Saúde no último dia 20, revelou 1.680 casos de sarampo em todo o Brasil, sendo a maioria (1.662) no Estado de São Paulo.

Entenda como se dá a transmissão e como prevenir:

O que é:
É uma doença infecciosa grave, causada por um vírus, que pode ser fatal.

Prevenção:
Apenas por vacinação.

Principais sintomas:
Febre e manchas, acompanhada de tosse; conjuntivite (irritação nos olhos); nariz escorrendo (coriza) ou entupido; mal-estar intenso; manchas vermelhas no rosto (após três dias)

Transmissão:
Causado por um vírus altamente contagioso, sua transmissão ocorre quando o doente tosse, fala, espirra ou respira próximo de outras pessoas.

Tratamento:
Não existe tratamento específico para o sarampo. Os medicamentos são utilizados para reduzir o desconforto ocasionado pelos sintomas da doença.

Importante: Não faça uso de nenhum medicamento sem orientação médica e procure o serviço de saúde mais próximo, caso apresente os sintomas descritos acima.

Números
03 casos estão confirmados no RN

12 casos suspeitos estão em investigação

04 municípios do RN já tem o registro da doença





continuar lendo


Deixe seu comentário!

Comentários