RN terá nova Casa de Acolhimento

Publicação: 2020-10-28 00:00:00
Para aumentar a rede de suporte às mulheres vítima de violência, o Estado do Rio Grande do Norte deverá ganhar uma nova Casa de Acolhimento. No dia 7 de outubro, a governadora Fátima Bezerra assinou o termo de cooperação e parceria com o Centro Feminista 8 de Março para a instalação da Casa de Acolhimento Anatália de Melo Alves, que vai funcionar na cidade de Mossoró. A ação faz parte do programa “RN Chega Junto", criado pelo Governo para reduzir os impactos da pandemia no Estado, dentre eles, o da violência de gênero.

saiba mais

A casa é a primeira estrutura do tipo a nível de Estado, e vai atender vítimas de todos os municípios do RN com exceção de Natal e Parnamirim, que já estão contempladas pela Casa Abrigo Clara Camarão, em Natal. A coordenação da nova casa de acolhimento em Mossoró ficará a cargo da Secretaria de Estado do Trabalho, Habitação e da Assistência Social (Sethas) e do Centro Feminista. 

“A casa já está sendo adaptada, e acredito que em menos de um mês ela deverá estar funcionando", disse a subsecretária de Políticas para as Mulheres do Estado, Ivanete Oliveira. A Casa vai permitir abrigar até 20 mulheres com seus filhos. Ao todo, o convênio que inclui o aluguel e as adaptações estruturais vai custar R$ 527 mil, segundo a subsecretária. “O Comitê de Enfrentamento à Violência Doméstica já está pensando o fluxo de atendimento, como vai ser quando essa mulher chegar nessa Casa, porque ela tem que passar pela Delegacia, pelo acolhimento, então vamos desenhar esse caminho", explicou. 

Atualmente, os únicos municípios do RN que dispõem de serviços específicos para abrigar as mulheres vítimas de violência doméstica em perigo de morte estão em Natal e Mossoró. Na capital, além da Casa Abrigo Clara Camarão, de endereço sigiloso, que atende a mulheres e seus dependentes, há também o Centro de Referência Elizabeth Nasser, serviço de portas abertas de atenção psicossocial às mulheres que procuram ou são encaminhadas de outras Secretarias do município. 

Na Casa Clara Camarão, há um total de 23 vagas que, somadas às do novo centro estadual em Mossoró, resultarão em 43 vagas para mulheres vítimas de violência em risco de morte e seus dependentes no Estado. 















Leia também: