Cookie Consent
Natal
RN terá R$ 202 milhões em obras de infraestrutura rodoviária em 2022
Publicado: 00:00:00 - 29/05/2022 Atualizado: 12:21:42 - 28/05/2022
O Rio Grande do Norte será contemplado, neste ano, com R$ 202,2 milhões para obras nas rodovias federais que cruzam o Estado. O recurso é a soma dos investimentos dos governos federal e estadual, por meio do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes, Caixa Econômica Federal e Governo do RN. Ao todo, serão R$ 109,4 milhões repassados via Superintendência Regional do Dnit; R$ 67 milhões através do Programa de Conservação, Manutenção e Restauração de Trechos Críticos da Secretaria de Estado de Infraestrutura (Sin); e outros R$ 25 milhões do Governo Federal para a construção de uma trincheira em Natal.
Magnus Nascimento
Conclusão da duplicação da Reta Tabajara vai custar R$ 49 milhões e é uma das prioridades para o período. Montante de recursos do DNIT caiu 22,6%

Conclusão da duplicação da Reta Tabajara vai custar R$ 49 milhões e é uma das prioridades para o período. Montante de recursos do DNIT caiu 22,6%



No Dnit, o orçamento encolheu 22,6% em comparação com 2021, quando foram repassados R$ 141 milhões. O montante destinado a Superintendência Regional do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes no RN (Dnit) está previsto na Lei Orçamentária Anual 2022 e será aplicado em três projetos principais: manutenção e recuperação da malha rodoviária; conclusão da duplicação da Reta Tabajara; e obras no viaduto do Gancho de Igapó, entre Natal e São Gonçalo do Amarante.

A maior parte dos recursos – R$ 52 milhões – será colocada na reestruturação e conservação das vias federais, como explica Eider Rocha, superintendente substituto do Dnit potiguar. “A gente tem muitos serviços de tapa buracos e nesse período de chuvas, pelo qual o Estado está passando, os serviços acabam demandando uma aplicação imediata desses investimentos. A gente tem diversos contratos, que cobrem toda a malha, com manutenção e restauração rodoviárias, e as empresas estão fazendo os serviços”, ressalta o servidor do órgão, que também é engenheiro civil.

Apesar da redução no orçamento, a superintendência diz que os recursos atendem a necessidade essencial do Estado. “É claro que outras intervenções, dependendo de recursos, poderiam ser executadas, mas o total de R$ 109 milhões atende o que é necessário para a manutenção e continuidade das obras que estão em andamento”, comenta Rocha.

Ainda de acordo com o Dnit, não há um único prazo para a conclusão dos reparos nas estradas porque a manutenção é constante. Além disso, essa etapa está dividida em cerca de dez contratos, com validades diferentes. “Os serviços de manutenção estão divididos em oito a dez contratos. Alguns começaram agora, então vão ter duração de dois anos, outros estão no curso, do meio para o final, então devem se encerrar neste ano ou em meados de 2023”, complementa Rocha.

A exemplo do que acontece nas ruas e avenidas urbanas, como as de Natal, por exemplo, que sofrem com a ocorrência de buracos e desníveis, as vias federais também são afetadas, principalmente em períodos chuvosos, pontua o superintendente substituto do Dnit. Rocha diz que, além de reparar buracos, rachaduras e desgastes no asfalto, a ação tem caráter preventivo para evitar que problemas aconteçam para os motoristas que trafegam nas estradas. Fazem parte da malha viária do RN, as BRs-101, 226, 304, 405, 406, 104 e 427.

“A ideia é evitar que surjam buracos, mas nesse período [chuvoso], normalmente, os serviços de manutenção não dão conta de garantir que toda a rodovia, toda a extensão contemplada no contrato esteja restaurada sem a existência de buracos ou outros defeitos. Apesar de uma atuação maior nesse período, onde a chuva acaba deteriorando mais em menos tempo as vias, mas a ideia estabelecida nesses contratos é evitar que aconteçam esses problemas”, diz.

O segundo contrato, de R$ 49 milhões, será destinado exclusivamente para a conclusão da duplicação da Reta Tabajara, prevista para o segundo semestre deste ano. As obras da região são aguardadas desde 2014, já que a rodovia é uma das mais importantes para o escoamento da produção do Rio Grande do Norte para outros estados e vice-versa. A via liga Natal a cidades do Seridó e Mossoró. As obras já foram paralisadas por pendências burocráticas, suspeitas de superfaturamento e por falta de recursos. Ao todo, o custo final da intervenção gira em torno de R$ 349 milhões.

“A duplicação em si perfaz um total de 17 quilômetros, começa no entrocamento das BRs-226/304 (início da Reta Tabajara) e vai até a travessia urbana de Macaíba. É nesse trecho que acontece a duplicação da rodovia. O que estava previsto nesse contrato também era a implantação de vias marginais no trecho que vai de Macaíba até Parnamirim, nesse trecho a pista já é duplicada, e o contrato prevê a implantação de vias marginais”, esclarece Eider Rocha.

De acordo com o representante do Dnit, a travessia urbana de Macaíba não será contemplada neste contrato. “O que deve ocorrer, com os recursos disponíveis, é a duplicação desse trecho que começa na Reta Tabajara e vai até a Travessia urbana de Macaíba, mas a travessia, propriamente dita, deve ficar fora. Essa obra deve ser alvo de um novo contrato, que a gente chama de remanescente de obras, que irá incorporá inclusive outras ações, como por exemplo, viaduto de acesso ao Aeroporto e uma intersecção em dois níveis no entrocamento, que é em forma de rotatória, que divide as BRs-304/226”, detalha Rocha.

Já para a terceira etapa, a previsão é de que sejam destinados cerca de R$ 9 milhões para a conclusão de obras complementares no Gancho de Igapó. O tráfego foi liberado pelo Dnit na região em abril de 2021, dentro de um processo que teve marco inicial em 2014. Apesar do término da obra do gancho em si, o representante do Dnit explica que uma obra complementar precisou ser feita no local. Trata-se da instalação de uma drenagem subterrânea, que não atrapalha o tráfego e tem conclusão prevista para o próximo mês.

“Isso foi motivo de uma nova contratação. Refere-se a implantação de um sistema de drenagem subterrâneo, com chapas metálicas. Vão ocorrendo as obras e o trânsito fica lá em cima, essa obra está em fase final e deve ser finalizado já nas próximas semanas, possivelmente no início de junho”, declara.

Natal terá obra rodoviária no 2º semestre

A construção de uma trincheira no cruzamento das avenidas Senador Salgado Filho e Almirante Alexandrino de Alencar está prevista para começar no segundo semestre. Os recursos também são federais, serão investidos R$ 25 milhões, oriundos da Caixa Econômica Federal, com uma contrapartida de R$ 88 mil da Prefeitura de Natal. O projeto foi concluído e está sob análise da Caixa, que é o “fiscal” do governo para a obra de mobilidade.

Magnus Nascimento
Para as obras complementares do Gancho de Igapó, serão destinados R$ 9 milhões

Para as obras complementares do Gancho de Igapó, serão destinados R$ 9 milhões


“A promessa é de que agora no final do mês, a gente receba a aprovação do projeto, pela situação que a gente tem analisado, nós acreditamos que não vai mais ter problemas. Em julho, a gente deflagra a licitação e, mais ou menos, com 45 dias, sem nenhum percalço com a licitação, a gente deve estar chamando a empresa para iniciar as obras”, detalha Walter Pedro, secretário adjunto de Trânsito da Secretaria Municipal de Mobilidade Urbana (STTU).

Números
Veja detalhamento das obras e valores
 
Orçamento Dnit 2022
Manutenção: R$ 52 milhões;
Construção: R$ 49 milhões + R$ 9 milhões (Reta Tabajara e complemento do gancho);
Total: 109,4 milhões.
Orçamento Dnit 2021
Manutenção: R$ 76 milhões;
Construção: R$ 65 milhões;
Total: 141 milhões.

Estado terá ações em 28 trechos
O Governo do Rio Grande do Norte está investindo R$ 50 milhões na recuperação de estradas, onde a operação tapa-buracos já não é suficiente. A verba será utilizada até agosto. Já a segunda etapa terá um orçamento de R$ 17 milhões e irá até dezembro.

Os trechos são:
Acesso Leste/Oeste (Mossoró);
Acesso, entroncamento da RN-118 / Boi Selado (Jucurutu) – toda a parte de pavimentação foi concluída, mas surgiram algumas inconformidades devido às chuvas e uma nova correção está em andamento;
Entroncamento em Patu, BR-226/Divisa RN-PB – falta 1,5 km a ser concluído;
Acesso que liga Tibau/Grossos – em execução;
Acesso do entroncamento da RN-064 / Boa Vista, em Ceará-Mirim; 
Acesso do entroncamento da RN-177 com divisa RN/CE (São Rafael/Pereiro); 
RN-016 (Entr. BR-304/Assu/Carnaubais); 
RN-041 Entr. BR-304/Entronc. RN-042; RN-078; 
RN-081 (Santana do Seridó/Entr. RN-086); 
RN-129 (Entronc. BR-304 [Lajes] / Pedra Preta); 
RN/BR-226 (São Vicente/Florânia); 
RN-288 (Carnaúba dos Dantas/Divisa RN/PB);
RN-404 (Carnaubais/Vila Do Alemão); 
Acesso ao Entronc. RN-003 (Espírito Santo/Jundiá);
Acesso Tibau/Grossos; RN-001 (Entronc. RN-093/Lagoa D'Anta); 
RN-072 (Lucrécia/Umarizal); Acesso Entronc. RN-120 – Entronc. RN-269 (Nova Cruz); nRN-082 - Entronc. RN-089 (Ouro Branco) - Divisa RN-PB; 
RN-087/ Entronc. BR-226 (Florânia) - Tenente Laurentino; 
RN-088 (Jardim do Seridó) - Entronc. RN-086 (Parelhas);
RN-089 Entronc. BR-427 - Entronc. Rn-082 (Ouro Branco);
RN-160 - Vera Cruz - Entronc. RN-002 (A);
RN-203 Entronc. RN-023 (São Tomé) - Entronc. Br 104 (A) (Cerro Corá); 
RN-203 Entronc. RN-120 - Entronc. RN-023 (São Tomé); 
RN-221 Entronc. RN-401 - Entronc. RN-403 - Entronc. Br 406 (Macau); 
RN-233 Olho d’Água do Milho - Entroc. BR-405 (Apodi); 
RN-269 Barra do Cunhaú - Acesso a Vila Flor; 
RN-288 São José do Seridó - Entronc. RN-118-BR-427 (A) (Caicó);
RN-407 Mulungu - Entronc. Estrada do Óleo.

Leia também

Plantão de Notícias

Baixe Grátis o App Tribuna do Norte

Jornal Impresso

Edição do dia:
Edição do Dia - Jornal Tribuna do Norte