RN terá R$ 66 milhões a mais com 13º do Bolsa Família

Publicação: 2019-04-11 00:00:00 | Comentários: 0
A+ A-
Sílvio Andrade
Repórter

O Bolsa Família deve injetar R$ 133 milhões na economia do Rio Grande do Norte em dezembro, segundo previsão do Ministério da Cidadania. Esse valor refere-se ao pagamento da folha de dezembro (R$ 66,5 milhões) mais o benefício do 13º do Programa.  

No RN, até março deste ano, 358.057 famílias foram beneficiadas com o Bolsa Família e o valor pago foi de R$ 66,4 milhões
No RN, até março deste ano, 358.057 famílias foram beneficiadas com o Bolsa Família e o valor pago foi de R$ 66,4 milhões

Hoje, o presidente Jair Bolsonaro deve anunciar no Palácio do Planalto  a implantação do 13º no Programa Bolsa Família (PBF) em cerimônia comemorativa pelos 100 dias de governo, completados  ontem (10). O décimo vai representar R$ 2,5 bilhões a mais no Programa em 2019.

No RN, até março deste ano, 358.057 famílias foram beneficiadas com o Bolsa Família e o valor pago foi de R$ 66,4 milhões. Natal com 45.885 e Mossoró com 19.231 são os municípios com maior número de famílias beneficiadas. 

A operação pente-fino feita pelo Ministério da Cidadania, em março, cancelou 1.669 benefícios no Estado, ao mesmo tempo que concedeu 4.201 novos benefícios. A maioria dos cancelamentos foi porque a renda das famílias era superior à declarada. Houve casos de reiterada ausência de saque e não cumprimento de condicionalidades, principalmente.

O pente-fino do Bolsa Família, segundo o Ministério, tem como objetivo proporcionar que outras famílias, que atendem aos critérios do Programa, possam ter direito ao benefício. Há 20 meses consecutivos a fila de espera do Bolsa Família está zerada, disse em nota à Tribuna do Norte, o Ministério.

No RN, o valor  médio transferido nos últimos 5 anos foi de R$ 700 milhões. No Estado, 11% da população enquadrada como vivendo em situação de pobreza ou de extrema pobreza, estavam inscritas no Programa. 

No cenário econômico em crise com 13,1 milhões de desempregados o anúncio do 13º para o Bolsa Família não deixa de ser um impacto positivo, apesar de que este ano não haverá reajuste no valor, como nos anos anteriores, explica o economista e especialista em administração pública, professor da UnP, Itamar Diniz Junior.

“O impacto representará milhões que vão circular na economia do Rio Grande do Norte”, contabiliza.  O dinheiro deve entrar no bolso de famílias que não tinham a expectativa de receber um rendimento a mais em dezembro.

Apesar do benefício que o 13º vai  representar para as famílias pobres  ou em situação de extrema pobreza, o economista vê a medida como populista por parte do governo com possibilidade concreta de não se revelar como uma injeção de dinheiro a mais na economia no final do ano.

A probabilidade de as pessoas beneficiárias comprometerem o valor referente ao 13º a partir de agora é muito grande. “O impacto pode não acontecer em dezembro”, prevê. Ele se baseia no fato de o brasileiro, em geral, não ter educação financeira, não planejar gastos. Ser imediatista e gastar antecipadamente o salário que ainda vai receber. O anúncio é muito bom para a economia mas para o professor, ele deveria ter sido feito em um mês mais próximo de dezembro.

 De qualquer forma para a economia dos municípios será muito bom. Em uma situação ideal, considera Itamar Diniz Junior, este seria o momento ideal de prefeitos e até comerciantes realizarem uma campanha educativa para aprender como gastar seu salário.

O  valor pago pelo Bolsa Família varia de R$ 41,00 a R$ 89,00 e pode chegar a R$ 372,00 dependendo da situação de cada família. “Apesar de ser um valor baixo por família, somando o número de inscritos por município, torna-se um valor considerável para a economia”, analisa o professor.

Um temor destacado pelo economista é que muitas pessoas que já vivem em situação de vulnerabilidade financeira vendam o 13º antecipadamente.

Municípios:
No Rio Grande do Norte:

Previsão de pagamento
Dezembro

R$ 133 milhões

Folha do mês R$ 66,6 milhões

13º R$ 66,5 milhões

Números de março de 2019

Cinco municípios com maior número de beneficiados:

Natal
45.885 famílias beneficiadas

Valor R$ 8.033.023,00

Valor médio R$ 175,07

Mossoró
19.231 famílias beneficiadas

Valor R$ 2.878.053,00

Valor médio R$ 149,66

Parnamirim
11.173 famílias beneficiadas

Valor 1.656.998,00

Valor médio R$ 148,30

São Gonçalo do Amarante
10.081 famílias beneficiadas

Valor 1.619.969,00

Valor médio R$ 160,70

Ceará-Mirim
7.931 famílias beneficiadas

Valor R$ 1.284.856,00

Valor médio R$ 162,00

Cinco municípios com menor  número de beneficiados:

Ipueira
207 famílias beneficiadas

Valor R$ 35.475,00

Valor médio R$ 171,38

Timbaúba dos Batistas
232 famílias beneficiadas

Valor R$ 48.163,00

Valor médio R$ 207,60

Galinhos
294 famílias beneficiadas

Valor R$ 56.011,00

Valor médio R$ 190,51

Taboleiro Grande
305 famílias beneficiadas

Valor R$ 53.151,00

Valor médio R$ 174,27

Santana do Seridó
331 famílias beneficiadas

Valor R$ 66.033,00

Valor médio R$ 199,50

Bolsa Família - Programa que contribui para o combate à pobreza e desigualdade, criado em outubro de 2003

Possui os eixos:
Complemento de renda – as famílias recebem um benefício em dinheiro mensalmente, transferido direto pelo Governo Federal

Acesso a direitos – as famílias estão condicionadas a cumprir compromissos para o acesso à educação, à saúde e à assistência social

Quem pode fazer parte:
Famílias com renda por pessoa até R$ 89,00 mensais

Famílias com renda por pessoa entre R$ 89,01 e R$ 178,00 mensais, que tenham crianças ou adolescentes de 0 a 17 anos

Como se cadastrar
Através da inscrição no Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal ou apenas Cadastro Único

Municípios e Distrito Federal são responsáveis pelo cadastramento das famílias que devem ir ao setor do Bolsa Família e do Cadastro Único da cidade. Há locais que o cadastramento é feito nos Centros de Referência de Assistência Social (Cras)

Como entrar
Depois da inscrição no Cadastro Único é feita uma seleção por sistema informatizado a partir dos dados fornecidos 

As famílias selecionadas recebem o Cartão Bolsa Família emitido pela Caixa Econômica Federal e enviado para o endereço   cadastrado pelos Correios

Valor do benefício
Varia de R$ 41,00 a R$ 89,00 e pode chegar a R$ 372,00 dependendo da situação da família

0800 726 0207 atendimento Caixa ao Cidadão

121 Ministério do Desenvolvimento Social

* Fonte: Ministério da Cidadania
















continuar lendo


Deixe seu comentário!

Comentários