RN vai receber 16 mil doses de vacina pentavalente

Publicação: 2020-01-10 00:00:00
A+ A-
Em falta desde julho no Rio Grande do Norte, a vacina Pentavalente vai começar a ser restabelecida no quadro de vacinas da Secretaria de Estado da Saúde Pública do RN (Sesap-RN). Ao todo, será enviado ao Estado um lote de 16 mil doses, que serão repassados aos municípios. Atualmente, há apenas 20 frascos no estoque. O problema não está restrito ao RN, se estendendo a todos os estados do país.

Créditos: Junior SantosCrianças devem tomar as doses aos dois, quatro e seis meses de vida. As que tiverem mais de sete anos não podem ser vacinadasCrianças devem tomar as doses aos dois, quatro e seis meses de vida. As que tiverem mais de sete anos não podem ser vacinadas
Crianças devem tomar as doses aos dois, quatro e seis meses de vida. As que tiverem mais de sete anos não podem ser vacinadas

De acordo com a coordenadora do programa estadual de imunização da Sesap, Katiuscia Rosalie, mesmo com o envio da remessa, a pasta só terá condições de avaliar se esse lote suprirá a “demanda reprimida” assim que o material chegar ao Rio Grande do Norte. A expectativa é de que ele seja enviado até o final da semana que vem.

“Se fosse regular, daria para um mês. Sendo que a gente está com uma demanda reprimida de alguns meses. Se você me perguntar quantas precisamos para colocar em dia, não temos como saber, não fizemos esse levantamento, porque é algo muito particular de cada município”, disse à TRIBUNA DO NORTE.

A pentavalente é responsável por proteger recém-nascidos contra difteria, tétano, coqueluche, hepatite B e hemófilo B. A dificuldade com relação a falta das vacinas se deu em julho do ano passado, quando o produto adquirido pelo Ministério da Saúde foi reprovado em análises  de qualidade do Instituto Nacional de Controle de Qualidade em Saúde (INCQS) e análise da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

Não existe laboratório produtor da pentavalente no Brasil e o Ministério da Saúde compra a vacina via Fundo Estratégico da Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS).

Ainda de acordo com Katiuscia Rosalie, coordenadora do programa estadual de imunização da Sesap, esta é a única vacina em falta no Estado. A expectativa do MS, de acordo com ela, é normalizar a distribuição da vacina em dois meses.

À época, a reportagem da TRIBUNA DO NORTE repercutiu o assunto. Tanto a Sesap quanto o MS ressaltaram que as doenças que a pentavalente cobre não ensejam emergência epidemiológica.

A nível nacional, o Ministério da Saúde anunciou a distribuição, a partir dessa quinta-feira (07), de 1,7 milhão de doses aos estados de todo o país. Após recebimento pelo Estado, o produto passa a ser encaminhado aos municípios.

O esquema vacinal prevê três doses da vacina: aos 2 meses, aos 4 meses e aos 6 meses. A pasta orienta que os municípios devem regularizar a caderneta de vacinação das crianças assim que os estoques estiverem regularizados.

Orientações:

A vacina: A pentavalente é a combinação de cinco vacinas individuais em uma. O objetivo é proteger as pessoas contra múltiplas doenças ao mesmo tempo.

Quem deve tomar: Aos 2, aos 4 e aos 6 meses de vida.

Quem não pode:  Crianças com 7 anos ou mais de idade.

Após reações em dose anterior, como moleza e palidez nas primeiras 48 horas, convulsões nas primeiras 72 horas, reações alérgicas nas primeiras duas horas e encefalopatia aguda nos primeiros sete dias após a vacinação.

Quais doenças a pentavalente previne: A vacina garante a proteção contra a difteria, tétano, coqueluche, hepatite B e contra a bactéria haemophilus influenza tipo b, responsável por infecções no nariz, meninge e na garganta.

Número 16 mil doses da vacina devem chegar ao Estado na próxima semana e estoque vai se regularizando.