Cookie Consent
Política
Robinson diz que vai trabalhar para reunir oposição
Publicado: 19:11:00 - 24/10/2011 Atualizado: 20:12:18 - 24/10/2011
O vice-governador Robinson Faria (PSD) disse que vai trabalhar para fortalecer a oposição ao governo de Rosalba Ciarlini (DEM). O ex-aliado da chefe do Executivo se colocou ao lado de outras lideranças e disse que tirou um peso da cabeça ao deixar o Governo. Agora, o objetivo é discutir alianças para 2012 com partidos e líderes da oposição, com Carlos Eduardo, Fátima Bezerra e Wilma de Faria.

Em entrevista à 98 FM, Robinson voltou a dizer que foi usado e descartado após as eleições e sobre o trabalho feito pelo próprio Governo para enfraquecê-lo politicamente. Robinson, inclusive, disse que José Agripino, em entrevista à TRIBUNA do NORTE, "bateu para sangrar". O senador deu uma entrevista chutando a minha cara, dando para sangrar. Ele fez como se dissesse 'cachorro morto é pra chutar na cara'", disse, relatando o enfraquecimento do PSD com a desistência de ingresso de deputados e do presidente da AL, Ricardo Mota.

Garantindo que suportou permanecer no Governo "mais do que o limite da racionalidade", Robinson voltou a afirmar que Carlos Augusto Rosado estava no comando e, se fosse por vontade de Rosalba, ele deveria continuar na gestão. Porém, agora o vice-governador se vê na oposição e quer trabalhar para unir o grupo para as próximas eleições.

"Sou da oposição e vou trabalhar para reunir a oposição. Há vários líderes que demonstraram solidariedade, como a deputada Fátima Bezerra, a governadora Wilma de Faria, o prefeito Carlos Eduardo. Eu me dou bem com todos. Todos eles são meus amigos", disse o deputado. "Vamos conversar, nos reunir com todos. Fazer oposição sem radicalismo", finalizou.

Leia também

Plantão de Notícias

Baixe Grátis o App Tribuna do Norte

Jornal Impresso

Edição do dia:
Edição do Dia - Jornal Tribuna do Norte