Robinson quer empresas do Rio Grande do Norte nos leilões da Petrobras

Publicação: 2017-08-04 00:00:00 | Comentários: 0
A+ A-
O Governador Robinson Faria se reuniu com o Diretor Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis, Décio Oddone, na manhã de ontem, 03, na sede da ANP, no Rio de Janeiro, para tratar sobre o processo de redução dos investimentos da Petrobras e os leilões de campos maduros no Rio Grande do Norte, previstos para o mês de setembro próximo.

Acompanhado pelo secretário de Desenvolvimento Econômico, Flávio Azevedo, do Presidente da Potigás, Beto Santos, e dos representantes da cadeia produtiva do petróleo de Mossoró, o governador relatou os impactos econômicos da queda dos investimentos da Petrobras no Rio Grande do Norte e solicitou a democratização do acesso ao leilão para contemplar o empresariado local com o objetivo de melhorar os indicadores econômicos e a geração de emprego. "O desaquecimento das atividades econômicas relacionadas à exploração de petróleo abalou a economia de Mossoró e do Rio Grande do Norte. Estou aqui para defender a geração de alternativas de enfrentamento à crise", cobrou Robinson Faria.

Robinson esteve ontem reunido com Décio Oddone, diretor da ANP
Robinson esteve ontem reunido com Décio Oddone, diretor da ANP

O Diretor Geral da ANP, Décio Oddone, anunciou uma visita ao Rio Grande do Norte para tratar sobre o leilão e apresentou o cenário da "Rodadas de licitação 2017 - Potenciais Impactos no RN". A produção da Petrobras no RN caiu para 50 mil barris de petróleo/ dia e 1220 mil m3/ dia, segundo a média de junho de 2017. O Estado é o sexto produtor nacional de petróleo e gás com 4.161 poços produtores e 7.108 poços perfurados.

Empresário
O secretário de Desenvolvimento Econômico, Flávio Azevedo, defendeu uma participação maior do empresariado local no processo produtivo. "Compreende as exigências diante dos riscos inerentes à atividade. Mas o tamanho dos blocos excede a capacidade de investimento dos empresários locais", ressaltou.

 "Com o leilão dos poços, ainda mais produtores independentes terão acesso ao mercado do gás e a Potigás não pode perder esse movimento de vista. Vai alterar a dinâmica do mercado e a concessionária estará à frente para garantir a regularidade de suas operações", alertou Beto Santos.

O presidente da RedePetro/RN, Guthemberg Dias, destacou a importância da reunião de iniciativa do governador. "Vamos conversar com os empresários de acordo com os entendimentos com a ANP. A cadeia de Mossoró tem mão de obra qualificada e todas as condições de reativar e construir perspectivas de futuro a médio e longo prazo", garantiu.

 "Tudo que ouvi de vocês está 100% alinhado com o que estamos trabalhando. Estamos vivendo a maior transformação da indústria de petróleo da história do Brasil. A sociedade precisa entender os benefícios que esse novo momento pode gerar", complementou o Diretor Geral da ANP.

Campos a venda
Os que estão no pacote de desinvestimentos, no mar do RN:

Operados só pela Petrobras

Campos: Ubarana, Cioba, Oeste de Ubarana, Agulha
Participação da Petrobras: 100%
Produção no 1º semestre de 2017: 3.729 barris de óleo equivalente/dia

*Operados com parceiro
Campos: Pescada e Arabaiana
Participação da Petrobras: 65%
Participação de outros: Ouro Preto (35%)
Produção no 1º semestre: 1.567 barris de óleo equivalente/dia

*Venda sujeita ao não exercício de direito primeira oferta por parte do parceiro nas concessões (Ouro Preto Óleo e Gás).

Outros destaques
Perfil: Os campos do RN que estão à venda estão localizados em águas rasas a uma distância de 30 km da costa, e com profundidade de reservatório entre 1.300 e 3.900m. A maioria começou a produzir nos anos 80. Atualmente produzem com 54 poços e 25 plataformas fixas (das quais quatro são habitadas), duas com facilidades de separação gás/líquido;

Transação: Todas as plataformas, dutos de exportação e um duto de importação de água para injeção estão incluídos no perímetro da Potencial Transação

Ubarana:
Um dos campos à venda, o de Ubarana, foi o primeiro campo que a Petrobras descobriu no Rio Grande do Norte. A descoberta ocorreu em 14 de novembro de 1973 e a produção foi iniciada em 30 de junho de 1976. Está em curso na área um projeto de injeção de água para melhorar o perfil de produção.

Operação no mar
são os campos marítimos que a Petrobras tem em desenvolvimento no RN.
10  é a quantidade que tem em produção. Seis, desse total, estão no programa de desinvestimentos.

continuar lendo


Deixe seu comentário!

Comentários