Robinson reúne Poderes para discutir soluções à crise financeira do Estado

Publicação: 2018-01-03 16:39:00 | Comentários: 0
A+ A-
A reunião do governador Robinson Faria com os Poderes do Rio Grande do Norte teve início às 16h10, na Governadoria. De portas fechadas à imprensa, a expectativa é encontrar soluções para a crise fiscal enfrentada pelo Rio Grande do Norte.

Estão presentes o governador, o presidente Gilberto Jales (TCE) e Expedito Ferreira (TJRN); o Procurador-Geral de Justiça, Eudo Leite; a Procuradora-Chefe do Ministério Público Federal, Caroline Maciel; e o presidente da Casa Legislativa, Ezequiel Ferreira. Do Governo do Estado, também auxiliam Robinson a Chefe do Gabinete Civil, Tatiana Mendes Cunha; o procurador-geral do Estado, Francisco Wilkie; os secretários Cristiano Feitosa, de Administração e Gustavo Nogueira, de Planejamento.
 

Reunião entre os Poderes aconteceu a portas fechadas na Governadoria

Durante a chegada ao prédio da Governadoria, a maioria dos convidados se recusaram a falar com a imprensa e se limitaram a dizer que "não tinham nada a declarar". Alguns dos presentes já estavam no prédio da Governadoria desde o início da tarde e ficaram direto para a reunião.

O único dos presentes que deu declarações foi o presidente do TCE, Gilberto Jales. Ele afirmou que o Tribunal está fazendo o possível e que alerta ano a ano os problemas fiscais do Governo. "Todos os relatórios entregues por nós apontam a necessidade de fazer a reavaliação da previdência e algumas mudanças do ponto de vista administrativo", disse. Ele reafirmou que a reunião foi convocada pelo governador Robinson Faria e que, portanto, "estaria mais presente para ouvir o que ele tem a falar".

Para a reunião, a rampa de acesso à Governadoria está fechada. Policiais fazem a segurança no portão lateral e só permitem a entrada de funcionários e representante dos Poderes. Diante do local que dá acesso à reunião, mais policiais estão reunidos.

Expedito Ferreira, presidente do TJRN, chega para a reunião na Governadoria
Expedito Ferreira, presidente do TJRN, chega para reunião na Governadoria, mas não dá declarações

Nesta terça-feira (2), o governador disse em redes sociais que conversou “diretamente com os presidentes dos Poderes e marcamos uma reunião, logo nos primeiros dias de janeiro, para informar a todos sobre as providências que estão sendo tomadas pelo nosso Governo para enfrentar a crise”.

Na quinta-feira (4), o encontro será com os deputados federais e senadores do Rio Grande do Norte. Foram convocados os senadores Garibaldi Filho (MDB), José Agripino (DEM) e Fátima Bezerra (PT), além dos deputados Fábio Faria (PSD, Felipe Maia (DEM), Walter Alves (PMDB), Robério Marinho (PSDB), Zenaide Maia (PR), Beto Rosado (PP), Rafael Motta (PSB) e Antônio Jácome (PTC). 

Objetivo
As reuniões serão para discutir como os Poderes e os parlamentares podem colaborar no enfrentamento da crise. O governador também vai apresentar algumas medidas que teria definido para o atual momento de dificuldades. 

Ele informou que vai convocar extraordinariamente a Assembleia Legislativa para votação, em janeiro, de projetos que envolvem ajustes. 
“Iremos apresentar as medidas que serão adotadas a partir de janeiro e anunciar a pauta que encaminharemos para a convocação extraordinária da Assembleia”, disse.

Algumas dessas medidas que o governo considera necessárias ao enfrentamento da crise estão em tramitação na Assembleia Legislativa. Uma delas envolve o aumento da alíquota paga pelos servidores estaduais para a Previdência estadual. A alíquota atualmente é de 11% e o governo apresentou um projeto de lei que aumenta essa contribuição para 14%. O governo pretenderia também adotar iniciativas para a cobrança da dívida ativa. 

Novas Medidas
O governador já sinalizou que precisaria adotar novas medidas de ajuste fiscal para conseguir recursos federais extras ou a autorização do Ministério da Fazenda para contrair empréstimos que permitam um alívio nas contas e, com isso, a regularização do pagamento dos servidores.

Também há expectativa de que sejam sugeridas alternativas para que os Poderes contribuam com o enfrentamento da crise.

Atualizada às 17h03

continuar lendo



Deixe seu comentário!

Comentários