Rocha critica falta de bairrismo

Publicação: 2018-01-04 00:00:00 | Comentários: 0
A+ A-
Alguns sinais apontam que cada vez mais o torcedor potiguar vai se afastando dos clube locais. Um bom exemplo disso é o levantamento realizado em cima das apostas na Timemania no Rio Grande do Norte, o que vem intrigando o presidente do América Eduardo Rocha. Segundo ele, o levantamento realizado mostra que o torcedor potiguar destina muito mais dinheiro a clubes como Flamengo, Corinthians, Palmeiras e Vasco, que ao clubes locais.

Eduardo Rocha lamenta opção pelas apostas da torcida potiguar que retira verbas dos clubes locais e desvia para os do Rio e São Paulo
Eduardo Rocha lamenta opção pelas apostas da torcida potiguar que retira verbas dos clubes locais e desvia para os do Rio e São Paulo

“O América ficou no segundo grupo da Timemania para esse ano. Não conseguimos nos enquadrar entre os vinte primeiros para ascender de grupo. Mas o que chama a atenção no levamento que realizamos é que juntando as apostas realizadas em América e ABC, não supera o número de apostas realizadas dentro do nosso próprio estado em Flamengo e Corinthians, por exemplo. Isso demonstra uma completa falta de bairrismo dos potiguares. Estes eram para concentrar um maior número de apostas nos clubes locais, até por quê estes necessitam mais desse tipo de verba”, reclamou Rocha.

Segundo o dirigente, o América fechou a temporada de 2017 na 36ª posição no ranking de apostas da loteria, com 2.310.206 jogos cravando o Alvirrubro como o clube do coração.  Em termos de receita para o América, isso vai equivaler a R$ 90 mil/mês, que para um clube em dificuldade financeira como o Alvirrubro, representa em torno de 25% da verba total que consegue levantar em um mês.

“Está muito difícil fazer futebol. O torcedor deveria apostar mais nas equipes daqui, não ficar apenas exigindo da diretoria a montagem de um elenco forte. Da forma que está a conta não fecha, o futebol é uma atividade cada vez mais inflacionada e os nossos meios de capitação de recursos estão cada dia mais limitados. Precisamos que o torcedor aposte na gente na Timemania e que também se associe ao clube. Essa é a melhor forma de ajudar”, destacou o dirigente.

Ciente de que com os recursos limitados está cada vez mais difícil investir em contratações, a grande preocupação de Eduardo Rocha — que voltou a confirmar a candidatura à presidência da Liga do Nordeste — é com o desenvolvimento das categorias de base no RN e na região de um modo geral.

“Meu nome está na mesa para disputar a presidência da Liga, a eleição ocorrerá em abril e caso eleito eu assumo o cargo em outubro. Nossa maior vitória foi a realização da Copa do Nordeste sub-20 e agora conseguimos convencer a CBF a realizar a competição para as categorias sub-17 e sub-15, que vão ocorrer a partir desse ano. Do jeito que o mercado do futebol está inflacionado, a grande saída para os clubes nordestinos é apostar definitivamente na revelação de talentos”, destacou Eduardo Rocha.

Já visando um maior intercâmbio para as categorias de base, o presidente do América trabalha também na realização de um torneio de base envolvendo as equipes potiguares e as da Paraíba,  na busca de garantir uma maior rodagem aos atletas, para que os mesmos cheguem numa disputa de Copa São Paulo, um grande mercado de revelação e venda de atletas, e possam realizar boas participações.

“O América estreou com derrota para o Santos na Copinha. Mas isso é justificável se levarmos em consideração que, além da qualidade do trabalho desenvolvido pelo clube paulistas, eles já realizaram em torno de 60 partidas na temporada. Enquanto nosso clube sequer chegou a metade disso”, justificou o presidente americano.


continuar lendo



Deixe seu comentário!

Comentários