Rodoviários cruzam os braços em protesto contra mudanças em linhas de Natal

Publicação: 2021-03-05 13:25:00
Os rodoviários de Natal realizaram um protesto, entre o fim da manhã e início da tarde desta sexta-feira (5), contra as mudanças em 15 linhas de ônibus de Natal, que foram anunciadas na quinta-feira (4), pela Secretaria Municipal de Mobilidade Urbana (STTU). A manifestação bloqueou parcialmente ruas da cidade, na Cidade Alta.
Créditos: CedidaÔnibus pararam em frente ao Sintro e Cidade Alta, em protesto contra as mudançasÔnibus pararam em frente ao Sintro e Cidade Alta, em protesto contra as mudanças

O principal argumento da categoria foi que empresários e membros da secretaria se reuniram sem a presença dos rodoviários.

Na quinta, ficou definido que haverá um aumento de 30% no número de viagens dos ônibus durante horários de pico. A medida entrou em vigor já na quinta-feira e deverá se tornar permanente. Segundo a pasta, inicialmente, um total de 15 ônibus deve operar dentro da nova norma até a próxima segunda-feira (8), a depender da logística de cada linha. O aumento na oferta de ônibus em circulação ocorre entre as 6h e 7h, e das 17h às 18h, considerados intervalos de maior demanda.

As linhas que terão o acréscimo de 30% nos horário de pico são a 73 (Santarém-Redinha), 50 (Serrambi - Santa Catarina), 08 (Redinha - Mirassol Via Rodoviária), 29 (Nova Natal - Nova Descoberta), 60 (Pajuçara - Mirassol), 64 (Nova Natal-Petrópolis), 43 (Nova Natal - Midway Via Alecrim), 07 (Alvorada IV - Cidade Jardim), 77 (Parque dos Coqueiros - Mirassol), 79 (Parque das Dunas - Mirassol), 84 (Soledade - Petrópolis), 35, Soledade - Candelária Via Prudente), 02 (Gramoré - Midway), 15 (Pajuçara - Petrópolis) 2 75 (Parque das Dunas - Alecrim).

Segundo a STTU, o número de passageiros diários do sistema de transporte da capital está em 144 mil, uma redução de 66% em relação ao período pré-pandemia, quando 330 mil passageiros utilizavam os ônibus diariamente. As viagens reduziram 40% (eram 141.496 por mês antes da pandemia e agora são 85.236). A redução da frota é de 30%, com 54 linhas em circulação.

Leia também: