Rodrigo Caio volta a seleção na vaga de Thiago Silva

Publicação: 2017-10-07 00:00:00 | Comentários: 0
A+ A-
A seleção brasileira sofreu uma baixa para o seu último compromisso nas Eliminatórias Sul-Americanas para a Copa do Mundo de 2018, diante do Chile, na próxima terça-feira, em São Paulo. Nesta sexta, a CBF comunicou o corte do zagueiro Thiago Silva, do Paris Saint-Germain, que se lesionou durante o empate por 0 a 0 com a Bolívia, em La Paz. Para a sua vaga, o técnico Tite convocou Rodrigo Caio, do São Paulo.

Rodrigo Caio, que vinha fazendo parte das convocações, foi preterido da lista para última rodada
Rodrigo Caio, que vinha fazendo parte das convocações, foi preterido da lista para última rodada

Thiago Silva era o favorito para formar a dupla de zaga com Miranda no duelo com o Chile, ainda mais que eles vinham atuando juntos nos compromissos anteriores do Brasil. Ontem, após a chegada da seleção a São Paulo, Thiago Silva foi submetido a exames médicos que detectaram uma lesão muscular na coxa direita. O problema o impede de enfrentar o Chile e levou a comissão técnica a optar pelo seu corte.

Para o compromisso da próxima terça, no Allianz Parque, Tite convocou Rodrigo Caio. O são-paulino era presença constante em convocações recentes da seleção, mas acabou ficando fora da lista para os compromissos contra Bolívia e Chile, com o treinador optando por dar uma chance a Jemerson, do Monaco.


Feminino
Na esteira da revolta das jogadoras da seleção brasileira feminina contra a CBF, ex-atletas da equipe, como Formiga e Márcia Taffarel, lançaram ontem um manifesto contra a entidade pedindo o apoio da Fifa. O objetivo é demonstrar apoio à técnica Emily Lima e pedir maior suporte ao time feminino da seleção.

Na carta aberta, elas criticam a suposta falta de importância dada pela CBF ao time feminino e reclamam do tratamento recebido pelas mulheres dentro da entidade. “O péssimo tratamento das mulheres como líderes e jogadoras por muitos anos. Esses são apenas alguns exemplos recentes: a técnica Emily Lima, apesar do apoio das jogadoras, expressado numa carta endereçada à CBF, datada de 19 de setembro, foi abruptamente demitida; e cinco jogadoras de destaque se aposentaram, exaustas dos anos de desrespeito e falta de apoio", citaram as ex-jogadoras da seleção, entre as quais se encontra a atacante Cristiane, que resolveu não mais atuar pelo Brasil. “Nós, ex-jogadoras da seleção brasileira de futebol feminino (SBFF), estamos muito tristes e angustiadas pelos recentes acontecimentos na CBF no que concerne o futebol feminino e a nossa seleção brasileira", disse o grupo cobrando respeito a CBF.



continuar lendo



Deixe seu comentário!

Comentários