Romance 'Francisca' de Ana Cláudia Trigueiro será relançado hoje

Publicação: 2019-07-06 00:00:00
A+ A-
Ramon Ribeiro
Repórter

O prédio do Centro de Turismo teve várias funcionalidades ao longo dos seus mais de 100 anos de história. Asilo de mendigos, cadeia pública, casa de veraneio de uma nobre família potiguar. Mas uma utilidade em especial serviu de base para o romance “Francisca”, de Ana Cláudia Trigueiro. O local abrigou o Orfanato Padre João Maria entre as décadas de 20 e 40, recebendo apenas meninas. É nesse período que está circunscrita a maior parte do enredo do livro de Ana Trigueiro. Romance de fundo histórico, a obra foi publicada originalmente em 2015. Esgotada, ela ganha agora uma segunda edição acrescida de novidades. O lançamento será neste sábado (6), a partir das 16h, justamente no Centro de Turismo. A publicação é da CJA Edições.

Créditos: ReproduçãoHistória de Francisca é ambientado no ano de 1926História de Francisca é ambientado no ano de 1926
História de Francisca é ambientada no ano de 1926

De acordo com Ana Trigueiro, as novidades são cinco capítulos a mais. Ela explica que a primeira edição acabou saindo um pouco apressada, já que ela botou um ponto final na história para poder inscrever o livro no concurso literário Rota Batida – no qual obteve o segundo lugar e cujo prêmio foi a publicação pela editora Mossoroense. “Agora posso dizer que completei a história”, afirma.

A trama começa em 1926, quando a protagonista, Francisca, aos doze anos, chega ao orfanato com sua irmã mais velha, Clotilde, após perderem o pai. No local elas vivenciam a experiência de serem órfãs, embora tendo uma mãe, que impossibilitada de criá-las sozinha, precisa se contentar em apenas visitá-las. As duas irmãs se integram com as outras internas, dividindo com elas suas tristezas e anseios, ao mesmo tempo que aprendem a lidar com as freiras que coordenam o orfanato.

Créditos: ReproduçãoAmbientado em 1926, o livro conta a história de Francisca que aos doze ano chega ao orfanatoAmbientado em 1926, o livro conta a história de Francisca que aos doze ano chega ao orfanato
Ambientado em 1926, o livro conta a história de Francisca que aos doze ano chega ao orfanato

A trajetória das meninas se confunde com a história de Natal, que naquele época viveu fatos marcantes. “Enquanto as irmãs estavam no orfanato diversos acontecimentos eclodem em Natal. Teve o dirigível alemão que sobrevoou a cidade em 1930. E as meninas o assistiram na praça Augusto Severo, na Ribeira. Teve a Revolução Comunista de 1935, que chegou à porta do orfanato. Teve a 2ª Guerra Mundial e a presença americana na cidade, que fez com que o orfanato fosse evacuado”, comenta a autora.

Ficção, história e memórias de família
Para narrar com fidelidade o ambiente da época, Ana Trigueiro fez pesquisa em livros e jornais antigos. Mas além dos fatos históricos, “Francisca” é construído com uma importante base de memórias de família. É onde talvez more o segredo de tamanha riqueza de detalhes no livro.

“Francisca é minha avó. A história tem muito das memórias dela. Eu não convive com ela. Vovó faleceu na década de 80. Teria mais de 100 anos hoje. Mas papai conviveu com ela e me contou algumas histórias que serviram para escrever este livro”, conta a autora. Sobre Clotilde, sua tia avó, Ana diz que a família praticamente não teve contato. “Francisca e Clotilde são de personalidades bem diferentes. Ao sair do orfanato, Clotilde seguiu uma vida diferente, foi para outra cidade. A última notícia que a família teve dela foi em 1950. Ela mandou uma carta, até está no livro, dizendo que ganhou na loteria e que ia viajar pelo mundo”.

Créditos: CedidaAna Cláudia Trigueiro  é autora de livros como: “Em busca do bem” (2014), obra infanto juvenil; “Em um outubro rosa” (2015, romance), “Francisca” (2015, romance), “O mistério do Verde Nasce” (2018, romance infanto juvenil), “João e Maria do engenho” (2018, infantil), e “A ira de Judas” (2018, contos)Ana Cláudia Trigueiro é autora de livros como: “Em busca do bem” (2014), obra infanto juvenil; “Em um outubro rosa” (2015, romance), “Francisca” (2015, romance), “O mistério do Verde Nasce” (2018, romance infanto juvenil), “João e Maria do engenho” (2018, infantil), e “A ira de Judas” (2018, contos)
Ana Cláudia Trigueiro é autora de livros como: “Em busca do bem” (2014), obra infanto juvenil; “Em um outubro rosa” (2015, romance), “Francisca” (2015, romance) entre outros

Psicóloga de formação e atuação, Ana Trigueiro tem uma quedinha por literatura que vem dos tempos de menina. Mas seu primeiro livro só saiu quando ela tinha 35 anos. Foi “Em busca do bem” (2014), obra infanto juvenil. Desde então já foram lançados “Em um outubro rosa” (2015, romance), “Francisca” (2015, romance), “O mistério do Verde Nasce” (2018, romance infanto juvenil), “João e Maria do engenho” (2018, infantil), e “A ira de Judas” (2018, contos). Todos os seis, de alguma forma, retratam aspectos da história norte-riograndense, sendo “O mistério do Verde Nasce” o seu livro mais vendido. “Vai para a segunda edição este ano. A primeira, de mil exemplares, já esgotou”, diz Trigueiro.

A autora se diz surpresa com a repercussão rápida em cima dos seus livros. “Meus livros tem sido utilizados nas turmas do Fundamental e Médio. Acho que é por causa da minha linguagem. Escrevo para o adulto jovem. Os professores entram em contato com meus livros, gostam e adotam  nas escolas”, comenta a escritora. “E acho também que é porque todos os meus livros são romances de época, trazem essa característica de falar do Rio Grande do Norte”.

Serviço
Lançamento do livro “Francisca”, de Ana Trigueiro. Dia 6 de julho, às 16h. Centro de Turismo (R. Aderbal de Figueiredo, 980, Petrópolis). Entrada gratuita

Livros:
“Em busca do bem” (2014), infanto juvenil

“Em um outubro rosa” (2015), romance.

“Francisca” (2015).
Obteve a 2º colocação no prêmio Rota Batida e como prêmio foi publicado pela editora Coleção Mossoroense. Está na 2ª edição, pela CJA Edições.

“O Mistério do Verde Nasce” (2018). Livro mais vendido da autora. Vai para a segunda edição este ano. A primeira, de mil exemplares, já esgotou.

“João e Maria do engenho” (2018), infantil.

“A ira de Judas” (2018). Livro de contos de terror em que a autora faz uma releitura de lendas potiguares.