Natal
Rômulo Lemos depõe hoje na Delegacia da Mulher
Publicado: 00:00:00 - 27/10/2011 Atualizado: 22:27:54 - 26/10/2011
O depoimento do comerciante Rômulo Lemos do Nascimento, 22 anos, sobre o caso de suposta agressão a estudante de direito Rhanna Umbelino Diógenes [19 anos], em uma boate de Natal, está confirmado para hoje à tarde.

O advogado Durvaldo Varandas, que defende o comerciante, disse ontem que seu cliente deve comparecer à Delegacia Especializada em Defesa da Mulher (Deam), mas que certamente deve valer-se do direito de não responder às perguntas do delegado.

A defesa alega que não teve acesso aos autos do inquérito quanto ao caso de agressão denunciado pela estudante contra o comerciante. Oficialmente, segundo Varandas, a intimação enviada pela Polícia Civil não foi assinada por ele ou pelo comerciante. “A defesa precisa antes ter acesso ao conteúdo da denúncia. É um direito dele [Rômulo Lemos]. Vale destacar que ele está sendo investigado”.

Durvaldo Varandas está em Brasília e deve retornar a Natal na madrugada de hoje. O advogado não descartou a possibilidade de  Rômulo Lemos comparecer à delegacia, conforme aguarda o delegado que investiga o caso, Francisco Quirino. “Ainda vamos conversar, mas é possível que ele não responda às perguntas, valendo-se de um direito dele”, afirmou o advogado de defesa.

O delegado Francisco Quirino confirma que está mantida do depoimento para esta quinta-feira,  sem horário definido. Quanto à alegação da defesa de o cliente não estar obrigado a comparecer porque a intimação não foi assinada como recebida, Quirino contestou: “a intimação foi entregue e a assinada pela síndica do prédio onde ele reside. Entendemos que tem validade”.

Segundo a agenda de depoimentos da Deam, a primeira oitiva de Rômulo Lemos estava marcada para às 16h do último dia 18. Esta semana, o delegado disse que o advogado do comerciante compareceu à delegacia solicitando cópia dos autos.

Ontem, Quirino ressaltou que a Polícia Civil entregou os autos do inquérito, em um envelope, à defesa do comerciante. “Quanto às gravações das imagens registradas pelas câmeras da boate, solicitei aos proprietários do estabelecimento, mas não recebi até agora [fim da tarde de ontem]”.

A defesa de Rômulo Lemos não conseguiu uma liminar com pedido de habeas corpus preventivo, impetrado na semana passada no Tribunal de Justiça do RN. Durvaldo Varandas não descarta a possibilidade de recorrer à instância superior. O inquérito apura o suposto crime de lesão corporal grave cometido contra a estudante, na madrugada de 30 de setembro, em uma boate na capital.

Leia também

Plantão de Notícias

Baixe Grátis o App Tribuna do Norte

Jornal Impresso

Edição do dia:
Edição do Dia - Jornal Tribuna do Norte