Brasil
Rosa Weber dá cinco dias para Queiroga explicar nota técnica
Publicado: 00:00:00 - 27/01/2022 Atualizado: 00:10:47 - 27/01/2022
A ministra Rosa Weber, do Supremo Tribunal Federal (STF), deu cinco dias para o Ministério da Saúde explicar a nota técnica que colocou em dúvida a segurança das vacinas contra a covid-19 e apontou a hidroxicloroquina como eficaz para tratar o vírus. A ordem é dirigida ao ministro Marcelo Queiroga e ao secretário Helio Angotti Neto, da Ciência, Tecnologia, Inovação e Insumos Estratégicos, responsável pelo documento.

Divulgação


Após a repercussão da nota, o Ministério da Saúde revisou o texto. Ao justificar a mudança, o secretário alegou que as informações anteriores ‘ensejaram incorretas interpretações’. “Para fins de melhor esclarecimento e no intuito de promover maior clareza, opta-se por sua revisão”, diz a versão atualizada da nota.

Presidente em exercício do STF, Rosa Weber despachou em uma ação movida pela Rede Sustentabilidade. A sigla pediu a anulação da nota técnica, o afastamento de Angotti e a abertura de procedimento disciplinar para apurar a conduta do secretário.

No processo enviado ao tribunal, o partido diz que o documento contraria o ‘consenso científico internacional e afronta os princípios da cautela, precaução e prevenção’. “Mais um incentivo do Ministério da Saúde ao uso de cloroquina e uma pretensa dissuasão à vacinação da população”, diz a ação.

Embora tenha retificado o texto original, excluindo a tabela que trazia a comparação entre as tecnologias propostas para o enfrentamento da pandemia (veja acima), o Ministério da Saúde manteve menção ao documento que aponta a vacina como uma alternativa sem efetividade e segurança comprovadas, ao contrário da hidroxicloroquina.

Mais de 45 mil professores, pesquisadores e profissionais da saúde reagiram com uma carta de repúdio. “Nos sentimos perplexos quando lemos a vasta lista de estultices apresentada pela nota técnica”, diz o manifesto. “É espantoso que o Ministério da Saúde recuse normas propostas elaboradas por um grupo de pesquisadores, convocados pelo próprio Ministério, criando uma situação sem precedentes em nosso País.”

Leia também

Plantão de Notícias

Baixe Grátis o App Tribuna do Norte

Jornal Impresso

Edição do dia:
Edição do Dia - Jornal Tribuna do Norte