Rosalba admite possibilidade de nomear Carlos Augusto

Publicação: 2012-07-10 00:00:00
A+ A-
A governadora Rosalba Ciarlini confirmou que ainda tem a interesse em nomear o marido, o ex-deputado Carlos Augusto Rosado, para o cargo de secretário-chefe do Gabinete Civil. Ela chamou atenção para o desempenho do ex-deputado em funções públicas que ele já exerceu. “O ex-deputado tem experiência, já esteve à frente de várias missões da sua vida e sempre desempenhou muito bem. Eu espero, sim, que ele venha a compor como chefe da Casa Civil”, comentou.
Governadora Rosalba Ciarlini avisa que participação nas campanhas será nos fins de semana
A governadora chegou a dizer que ainda ontem definiria a mudança na Casa Civil, mas até o fechamento desta edição, a TRIBUNA DO NORTE não conseguiu confirmar a data de quando seria efetivado o ex-deputado. Informações extraoficiais apontaram que ele poderá ser nomeado já no Diário Oficial de amanhã.

Caso a nomeação seja assinada, Carlos Augusto Rosado será o terceiro chefe do Gabinete Civil no Governo de Rosalba Ciarlini. O primeiro foi o advogado Paulo de Tarso Fernandes, que permaneceu no cargo nos primeiros dez meses da gestão. Em seguida, foi nomeado José Anselmo Carvalho, que já havia trabalhado com a hoje governadora quando ela era prefeita de Mossoró.

Durante entrevista logo após a solenidade de posse do novo secretário de Justiça e Cidadania Kécio Pinto, a governadora confirmou que irá pagar o subsídio dos policiais miliares, mas não soube precisar em que mês.  “Claro que vamos implantar, mas vou ter reunião com administração para dizer quando e como será implantado”, comentou. A proposta para os policiais militares prevê transformar os salários em subsídios, o que garantirá um reajuste de vencimentos para toda categoria.

CAMPANHA ELEITORAL

A governadora Rosalba Ciarlini considerou natural que participe mais da campanha eleitoral de Mossoró. Embora pondere que irá se dedicar mais a parte administrativa, a chefe do Executivo disse que nos finais de semana estará em agenda política.

“Não é que seja prioridade (Mossoró), mas é uma coisa natural já que Mossoró tem toda minha história de vida política, que começou por lá”, comentou a governadora, que apóia a vereadora Cláudia Regina na disputa pelo Palácio da Resistência.

Rosalba disse ainda que não participará das campanhas em todos os municípios, apenas em alguns. “Vou me dedicar mais a parte administrativa porque não poderia ser diferente. Claro que aos sábados e domingos não ficarei eqüidistante, mas será impossível estar presente em todas, mas com certeza em algumas estarei”, destacou.

Durante a solenidade de posse do novo secretário de Justiça e Cidania Kécio Pinto, ela voltou a defender a reestruturação das Centrais do Cidadão. “A Central do Cidadão tem que dar melhores respostas a população, estamos precisando de série de reformulação para que ela tenha atendimento, rapidez que é necessária a população”, destacou.

TSE libera consulta sobre candidatos

A página do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) na internet colocou à disposição do eleitorado o link DivulgaCand 2012 em que os partidos políticos, coligações, candidatos e a população podem se informar sobre a quantidade e os dados dos candidatos que vão concorrer a prefeito, vice-prefeito e vereador nas Eleições 2012. Até ontem à noite o DivulgaCand 2012 dispunha de informações sobre 83.707 pedidos de registro de candidatos às Eleições 2012, sendo 77.450 de pedidos de candidatos a vereador e 6.257 a prefeito e vice-prefeito. De Natal havia  apenas dados sobre  um candidato a prefeito e trinta a vereador. Este ano são 29 vagas na Câmara Municipal.

O TSE informou ontem, que os números estão sendo constantemente atualizados pela Justiça Eleitoral, por Estado e nacionalmente. Pelo sistema, o interessado pode saber ainda o número de vagas para vereador que serão disputadas em cada município.

Por meio do banco de dados, é possível consultar o número de candidaturas por município, além de dados como o imposto de renda dos candidatos.

Resolução determina ressarcimento

As despesas da presidenta Dilma Rousseff com transporte oficial (aéreo, terrestre ou marítimo) durante eventos eleitorais deverão ser ressarcidas ao Erário, determina instrução normativa publicada nesta segunda no Diário Oficial da União. A publicação da instrução ocorre no momento em que a presidente emite sinais de que participará de alguns atos da campanha municipal de outubro.

De acordo com a Secretaria-Geral da Presidência, o texto atualiza uma portaria anterior, com algumas mudanças de redação, sem alterar as cláusulas principais. Uma das novidades é um artigo que prevê deslocamentos ao exterior, que também deverão ser ressarcidos.

Segundo o Grupo Estado apurou, a medida foi introduzida para preencher casos como o do então presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que chegou a emendar viagem oficial com outra de campanha - por exemplo: ir para Londres para uma viagem oficial e voltar para o Brasil para participar de um evento de campanha. Nesse caso, o retorno teria de ser ressarcido.

Em 2010, foram ressarcidos à União R$ 2.255,772,57 em virtude da participação de Lula em eventos eleitorais - 92,81% desse valor diz respeito a transporte aéreo e 7,19%, a transporte terrestre.

As despesas com transporte oficial deverão ser ressarcidas ao Erário, enquanto as demais deverão ser pagas diretamente pelos partidos ou coligação aos prestadores de serviço. A instrução proíbe que órgãos e entidades vinculadas à Presidência da República utilizem ou cedam meios de transporte oficiais para beneficiar candidatos.

Sinais dúbios

Embora interlocutores do Planalto garantam que a presidente ficará “quietinha” nas campanhas, ela subiu na semana passada em palanque ao lado do prefeito Luiz Marinho (PT), em São Bernardo do Campo, e de Eduardo Paes (PMDB), no Rio de Janeiro, ambos candidatos à reeleição, às vésperas de a Justiça Eleitoral proibir a participação de candidatos em inaugurações de obras.

Dilma também articulou diretamente a saída do PT da chapa para reeleger Márcio Lacerda (PSB) em Belo Horizonte. A presidente tem mantido conversas reservadas com Lula e o candidato do PT à Prefeitura de São Paulo, Fernando Haddad, que ainda patina nas pesquisas de intenção de voto

Rogério apresenta plano de gestão e diz querer debates

O deputado Rogério Marinho, candidato a prefeito pelo PSDB, lança, na próxima quinta-feira, o site por intermédio do qual vai divulgar seu Plano de Gestão, que estará disponível para críticas e sugestões dos eleitores. Ontem, ele entregou cópias impressas do Plano a diretores e editores da TRIBUNA DO NORTE.

Segundo Rogério Marinho, o Plano é resultado de estudos sobre problemas da cidade, discussões nos bairros, além de visitas a postos de saúde, escolas e outros locais onde funcionam serviços que são de responsabilidade da Prefeitura. O projeto tem 16 pontos, que tratam de áreas como saúde, educação, segurança, saneamento, esporte  e gestão. Durante a visita à TN, Rogério disse que o documento será um parâmetro para discussões das quais pretende participar durante a campanha.

O deputado do PSDB informou que enviou ofício a mais de 60 instituições, entre entidades de classe e de ensino, para sugerir a realização de sabatinas ou debates.

Maioria dos candidatos tem entre 45 e 59 anos

Os números parciais do Tribunal Superior Eleitoral indicam que até agora foram contabilizados 284.638 pedidos para a formalização de registros de candidaturas em todo o Brasil.  Desse total, 9.485 são candidatos ao cargo de prefeito, 9.437 candidatos a vice-prefeito e 265.716 para o cargo de vereador.

De acordo com as estatísticas, percebe-se também que a maioria dos candidatos tem idade entre 45 e 59 anos, sendo 116.309. Os jovens entre 18 e 20 anos somam 2.522 pedidos de registro e 517 têm mais de 79 anos. Os números são parciais. Ainda falta processar diversos pedidos de registros para consolidar as estatísticas do TSE.

Com relação ao sexo dos candidatos ao pleito de outubro de 2012, foram contabilizados 198.745 registros de homens e 85.893 de mulheres. Para o cargo de vereador, ao qual a lei impõe que cada legenda “deverá preencher o mínimo de 30% e o máximo de 70% para as candidaturas de cada sexo”, observa-se a proporção de 68,7% do sexo masculino e 31,3% do sexo feminino.