Viver
'Roteiro Cascudiano' é apresentado em agências locais e receptivos
Publicado: 00:00:00 - 21/10/2021 Atualizado: 21:28:11 - 20/10/2021
Tádzio França
Repórter

Luís da Câmara Cascudo deixou caminhos que cruzam a cultura potiguar até hoje. A parte mais pessoal de sua trajetória serviu de inspiração para o “Roteiro Cascudiano”, um projeto criado entre o Instituto Ludovicus e a Secretaria Municipal de Turismo, que transforma alguns dos lugares chave da vida cascudiana num diferenciado roteiro turístico. O projeto foi lançado durante a 7ª Feira de Produtos Turísticos do RN (Femptur), em setembro, e está sendo apresentado a todas as agências locais de receptivos, com o objetivo de ser incorporado aos pacotes de passeios assim que a alta temporada de 2022 começar. Além do sol e mar, história. 

Alex Régis


Daliana Cascudo, neta do folclorista e presidente do Instituto Ludovicus, conta que tinha esse projeto engavetado há bastante tempo. “Sempre me incomodou o fato de Natal não ter um roteiro cultural a ser apresentado aos turistas, e até aos próprios moradores”, afirma. Ela conta que se inspirou nos Caminhos Drummondianos, um “museu território” em Itabira (MG), que celebra a obra de Carlos Drummond de Andrade em seu lugar de nascimento. Cascudo, que nasceu e morreu em Natal, deixou marcas por onde passou, assim como o bardo mineiro. 

“Sugeri algo semelhante ao roteiro drummondiano, mas que contemplasse os locais que tivessem a ver com as vivências de Cascudo”, explica Daliana. A ideia foi sugerida à secretaria municipal de turismo, e aceita. A neta de Cascudo foi incumbida de selecionar os lugares, que também eram avaliados pela secretaria, com o objetivo de estudar a viabilidade ou não de seus acessos enquanto espaços de visitação turística. O estudo já estava sendo feito, até ser atrapalhado pela pandemia, ano passado. 

Nove pontos
Foram estabelecidos nove pontos de visita para o “Roteiro Cascudiano”. São eles o Colégio Atheneu; Academia Norte-rio-grandense de Letras; Canto do Mangue; Rua Chile; Igreja Bom Jesus das Dores; Ludovicus – Instituto Câmara Cascudo; Instituto Histórico e Geográfico do Rio Grande do Norte (IHGRN); Memorial Câmara Cascudo, e Beco da Lama. 

 A maior parte dos lugares selecionados, naturalmente, estão situados entre a Cidade Alta e a Ribeira,  onde Cascudo nasceu e morou  durante toda a vida. Segundo Daliana, o roteiro também teve a intenção de lançar um olhar sobre prédios que não possuem muita visibilidade, e costumam ficar fora de visitações até entre turistas que têm interesse pela história da cidade. Caso do Atheneu e ANRL, por exemplo,  nunca antes explorados como atrações turísticas por estarem fora do centro histórico. 

O “Roteiro Cascudiano” já está sendo divulgado e promovido pela Setur. Segundo Christiane Alecrim, secretária adjunta de turismo,  o secretário Fernando Fernandes vai agendar reunião nos próximos dias com as agências de receptivos para conversar e apresentar maiores detalhes sobre o projeto. “Alguns locais do roteiro estão fechados para visitação devido a reformas, mas acreditamos que estará tudo aberto já na alta estação, a partir de dezembro e janeiro”, ressaltou.

Roteiro Cascudiano:
Colégio Atheneu
Primeira escola pública do país, fundada em 1834. A história acadêmica de Cascudo é intrinsecamente ligada ao local: foi aluno (até 1917), professor de história (1928) e diretor (1929). 

Academia Norte-Riograndense 
de Letras
A instituição foi fundada por Cascudo, em 1936. O primeiro presidente foi Henrique Castriciano, e Cascudo foi secretário geral. Ocupou a cadeira 13. 

Canto do Mangue
Cascudo era fã do pôr do sol no local. Costumava ir com o prefeito e governador Sílvio Pedroza. O Canto também foi cenário de pesquisas etnográficas e inspirou o livro “Jangada”. 

Rua Chile
O pai do folclorista, Coronel Francisco Cascudo, possuía no local uma loja de ferragens e miudezas chamada O Profeta. 

Igreja de Bom Jesus das Dores
Uma das construções mais antigas da Ribeira, com quase 250 anos, foi onde Cascudo se batizou, em 1899, pelo padre João Maria. 

Ludovicus – Instituto Câmara Cascudo
A instituição funciona na casa em que Cascudo morou por quase 40 anos, e preserva seu acervo museológico e bibliográfico. 

IHGRN
Cascudo foi sócio do instituto e bastante presente em todas as iniciativas e eventos. Há um busto seu no local. 

Memorial Câmara Cascudo
Uma homenagem do governo do estado a Cascudo. O memorial foi criado em 1987, mas o prédio neoclássico existe desde 1875, como a antiga tesouraria da fazenda. 

Beco da Lama
Atual epicentro de lazer no centro histórico, o local foi escolhido por abrigar uma bela coleção de grafites em homenagem a Cascudo.

Leia também

Plantão de Notícias

Baixe Grátis o App Tribuna do Norte

Jornal Impresso

Edição do dia:
Edição do Dia - Jornal Tribuna do Norte