Cookie Consent
Natal
Sábado é ‘Dia D’ de combate ao Aedes
Publicado: 00:00:00 - 11/02/2016 Atualizado: 09:58:28 - 11/02/2016
Marcelo Lima
Repórter

O poder público vai se reunir nacionalmente para combater o Aedes aegypti no próximo sábado (13). Embora o município de Natal tenha reduzido em 79% os casos de dengue em relação a janeiro do ano passado, cerca de 3 mil militares entrarão na batalha contra o mosquito só na Grande Natal. Neste dia, o trabalho será completamente direcionado para a conscientização.
Luiz Roberto explicou que o trabalho será concentrado no bairro Lagoa Azul, diante da alta probabilidade de surto de dengue na área
Em função da alta probabilidade de surto de dengue,  o trabalho vai se concentrar no bairro Lagoa Azul na Zona Norte de Natal. “Mas também teremos ações descentralizadas em todos a cidade”, disse Luiz Roberto Fonseca, secretário municipal de Saúde de Natal. “Diferente da ação da Prefeitura, feita no bairro de Nossa Senhora da Apresentação, que foi de orientação e combate ao mosquito, essa metodologia do Ministério da Saúde para o Dia D é basicamente pedagógica. Mas nós vamos aproveitar para fazer uma prospecção da área”, acrescentou o titular da SMS.

Leia Mais

A tentativa de convencer a população a eliminar criadouros vai se dar por meio de conversa e de panfletagem. Ao lado dos agentes de endemias e militares, escoteiros, bombeiros, Cruz Vermelha, igrejas e outros grupos da sociedade civil também irão contribuir com o Dia D. Segundo Fonseca, a redução de 79% dos casos não é alardeada para não desmobilizar a população da missão de enfrentar o transmissor.

Além de Lagoa Azul, Nossa Senhora da Apresentação, Igapó, Potengi e Ponta Negra estavam com alerta 4. De acordo com o titular da SMS, ações de bloqueio já foram feitas em três desses bairros e o resultado delas deve ser verificado nos números do Vigiadengue (metodologia de monitoramento) em duas semanas.

Ainda segundo o secretário, as ações planejadas só pela Prefeitura envolvem tanto a orientação da população, quanto  o combate ao mosquito. “É uma ação articulada com as outras secretarias do município. A gente  visita todas as casas, autua as que estão fechadas, coleta pneus, usa UBV Costal (fumacê portátil)”, explicou.

Para o primeiro mês do ano, o Ministério da Saúde tinha como meta que as equipes de combate ao mosquito tivessem passado em todas os imóveis do Brasil. Pelo menos o municípios Natal não conseguiu cumprir essa meta. Para o secretário municipal de Saúde, esse era um objetivo irreal. “É impossível fazer isso. Uma determinação dessa se dá assim sem ter conhecimento da realidade local de cada cidade. Como é que vamos visitar 500 mil imóveis em 30 dias, tendo casas fechadas? É uma proposta esdrúxula”, classificou.     

Febre amarela
O caso de febre amarela em Natal permanece à espera de uma contraprova. De acordo com o secretário municipal de Saúde, o município espera agora o resultado de um exame chamado de Elisa (Imunoensaio enzimático). “O mais provável que tenha acontecido no exame de imuno-histoquímica é uma reação cruzada já que tem outras arboviroses circulando por aqui”, reforçou. Além disso, houve dificuldades com o material biológico da paciente, como a coagulação do sangue coletado.

Durante a investigação epidemiológica, na tentativa de confirmar um nexo entre o resultado do exame feito pelo Instituto Evandro Chagas (IEC) e referendado pelo Instituto Adolfo Lutz, foram capturados macacos da espécie sagui no Parque das Dunas e Nova Descoberta, bairro onde a paciente morta com suspeita de febre amarela morreu. “Também tinha a possibilidade de ser o vírus da febre amarela silvestre, mas não nenhum macaco capturado tinha o vírus”, disse o Luiz Roberto Fonseca.

A morte da paciente com suspeita de febre amarela ocorreu em julho do ano passado e foi  pela TRIBUNA DO NORTE em 24 de dezembro. A mulher teria ficado por três horas em contato com a amiga que veio do Pará, área de risco para a transmissão da febre amarela. Embora dois institutos de referência confirmassem o caso, o Ministério da Saúde e a Secretaria Municipal de Saúde disseram que só confirmariam o caso com o término da investigação epidemiológica e um novo teste  que servisse de contraprova.

Equipes
Atuação das Forças Armadas no Dia D
Natal
-Marinha com 1.200 militares: Lagoa Azul, Potengi, Petrópolis, Alecrim, Quintas, Cidade Alta e Dix-sept Rosado.
- Exército com 1.144 militares: Tirol, Rocas, Areia Preta, Barro Vermelho, Bom Pastor, Felipe Camarão, Nova Descoberta, Nazaré, Neópolis, Pitimbu e Ponta Negra.

Parnamirim
Aeronáutica com 650 militares.

Fonte: 3º Distrito Naval





Leia também

Plantão de Notícias

Baixe Grátis o App Tribuna do Norte

Jornal Impresso

Edição do dia:
Edição do Dia - Jornal Tribuna do Norte