Saúde pública terá mais um 'apagão' na segunda-feira (15)

Publicação: 2018-01-12 11:39:00 | Comentários: 0
A+ A-
Os servidores da saúde pública do Rio Grande do Norte anunciaram mais um dia de 'apagão' na próxima segunda-feira (15) a partir das 6h. Em protesto contra o atraso salarial, a categoria vai suspender parte dos serviços do Hospital Walfredo Gurgel e do Serviço Móvel de Atendimento de Urgência (Samu) Metropolitano. A greve da categoria já dura há mais de dois meses e ainda não há perspectiva de conciliação com o Executivo. O Governo do Estado deve o pagamento referente ao mês de dezembro e o 13º salário aos profissionais da saúde.

Servidores da saúde estadual fizeram protesto exigindo o pagamento em dia dos salários e melhores condições de trabalho

Um protesto similar foi realizado nesta terça-feira (9), quando os servidores realizaram um protesto em frente ao Hospital Walfredo Gurgel e reduziram os atendimentos da unidade à casos de urgência e emergência. No primeiro dia de 'apagão' também foram afetados os serviços do Hospital Ruy Pereira dos Santos, em Tirol, das Unidades de Agentes Terapêuticos (Unicat) e da Samu Metropolitano.

Por meio da assessoria de imprensa, o SindSaúde informou que, a princípio, o 'apagão' marcado para próxima segunda-feira vai se concentrar no Hospital Walfredo Gurgel. Assim como na manifestação anterior, a unidade vai atender apenas os casos de urgência e emergência. Uma equipe de enfermeiros deve fazer essa triagem e encaminhar os pacientes à outros hospitais.

A Samu Metropolitano também deve aderir à manifestação, mas ainda deve realizar uma assembleia para decidir um percentual para a prestação do serviço. Durante o último protesto, apenas quatro de 12 veículos saíram às ruas.

Ainda de acordo com a assessoria do SindSaúde, o Governo do Estado apresentou uma proposta de negociação, mas não foi satisfatória. O Executivo se comprometeu a pagar o salário de dezembro e adiantar o de janeiro, ambos na próxima semana. No entanto, só seriam contemplados os servidores ativos. Em assembleia realizada nesta quarta-feira (11), os servidores votaram pela manutenção da greve até que o Estado inclua aposentados e pensionistas na proposta de pagamento.
 

continuar lendo



Deixe seu comentário!

Comentários