Cookie Consent
Natal
Saúde terá tendas para hidratação
Publicado: 00:00:00 - 18/02/2016 Atualizado: 09:42:38 - 18/02/2016
Marcelo Filho
Repórter

Com 100% dos leitos das unidades de pronto-atendimento (UPA) e do Hospital Municipal de Natal ocupados, a Secretaria Municipal de Saúde (SMS) confirmou a instalação de tendas de hidratação nas UPAs de Pajuçara, Esperança e Potengi – após a inauguração, prevista para 4 de março, e nas unidades mistas de Cidade Satélite e Mãe Luíza. No Hospital Municipal de Natal (HMN),  devido ao local não comportar a montagem de tendas, a ala cirúrgica será utilizada como setor de hidratação a princípio. A informação é do secretário municipal de Saúde, Luiz Roberto Fonseca.
No Hospital Municipal de Natal, as salas de hidratação estão superlotadas com a alta demanda de pacientes para tratar viroses
Os espaços serão destinados, principalmente, aos pacientes que buscam as unidades de saúde para receberem soro, hidratação oral ou realizar e aguardar resultados de exames. São aqueles que possuem a classificação de risco azul, na Escala de Manchester, metodologia utilizada para garantir a prioridade no atendimento de acordo com cada perfil clínico e distribuída com as cores vermelho, amarelo, verde e azul. “Serão montadas estruturas cobertas, climatizadas, com poltronas, com equipo de soro, para os pacientes menos críticos, para que se possa liberar o fluxo para aqueles pacientes mais críticos", explicou Luiz Roberto.

Leia Mais

Na próxima segunda-feira (22), o setor de hidratação do HMN estará em funcionamento. As demais deverão iniciar as atividades na primeira semana de março. Profissionais, entre médicos, técnicos de enfermagem, técnicos de laboratório, enfermeiros e assistentes sociais, que prestaram o último concurso simplificado da SMS foram convocados para reforçar o atendimento nas unidades e nos espaços provisórios que serão montados.

Cada tenda terá capacidade para receber 30 pacientes por vez. O custo total do aluguel, montagem e manutenção de todos os espaços está orçado entre R$15 mil e R$20 mil por mês. Os recursos estão garantidos, de acordo com Fonseca, oriundos de verbas federais.

Outra medida que será implementada refere-se a ampliação dos horários de atendimento das Unidades Básicas e Saúde (UBS), que passarão a funcionar até às 20h. Além disso, pacientes classificados como “azul” nos hospitais ou nas UPAs serão encaminhados para atendimento nas UBS, com consulta marcada para o dia seguinte. Dessa forma, apenas pacientes classificados como vermelho, amarelo e verde serão atendidos nas emergências.

Segundo o titular da SMS, as doenças típicas do verão, como as viroses, enteroviroses ou doenças diarreicas, têm causado a superlotação das unidades de saúde na capital. Pacientes acometidos com essas doenças representam entre 60% e 70% dos atendimentos, segundo ele.  “Nós não poderíamos dar a desculpa que isso passa. Não é justo. Você simplesmente achar que a situação é sazonal e esperar a sazonalidade passar e não fazer nada. Temos que nos adequar a situação à medida em que ela se apresenta”, afirmou o secretário, justificando a instalação das tendas.

"Precisamos melhorar o acolhimento por classificação de risco, para que essa quantidade demasiada de pacientes de risco potencialmente baixo não comprometa a assistência do paciente com risco alto", completou o secretário. O número de atendimentos diários no HMN passou de 200 para 500. Com a alta demanda, o consumo de medicamentos cresceu significativamente. Luiz Roberto garantiu que o estoque atual deverá durar por 60 dias e que não há o risco de colapso no abastecimento.

Ele considera que a alta demanda já era esperada e que o período de veraneio, a exposição ao sol, o consumo de alimentos em comércio ambulante nas praias, além da quadra chuvosa, da exposição de crianças e adolescentes às águas pluviais permite que as doenças ecludam nesse período do ano.

Leia também

Plantão de Notícias

Baixe Grátis o App Tribuna do Norte

Jornal Impresso

Edição do dia:
Edição do Dia - Jornal Tribuna do Norte