Sabor do mar em conservas

Publicação: 2019-10-03 00:00:00 | Comentários: 0
A+ A-
Uma iguaria com sotaque português e origem francesa. O atum em conserva produzido artesanalmente pelo cozinheiro e empresário João dos Santos já vem chamando a atenção dos bons de garfo desde que surgiu em cena há cerca de um ano. O Atum Bom João cativa pela sua combinação de material fresco e molho de ervas saborizado, e atesta a qualidade superior de um produto feito em casa, com ingredientes naturais e apelo original.

Atum Bom João traz o pescado nas ervas e pimentas
Atum Bom João traz o pescado nas ervas e pimentas

João dos Santos nasceu em Portugal, foi criado na França, e há seis anos mora em Natal. Nunca trabalhou na gastronomia profissionalmente, mas sempre teve a cozinha como hobby. A receita da conserva surgiu pra ele por acaso. “Eu tinha um negócio na França em que levava pessoas em alto mar para ensina-las a pescar. Um dia surgiu alguém que era um cozinheiro do Sul da França, que me passou essa receita de conserva, segundo ele, muito antiga. Eu gostei e comecei a fazer”, conta.

Segundo João, o que mais lhe agradou na receita foi o fato de não conter nenhum conservante ou aditivo químico. “É algo muito diferente daquele que a gente encontra enlatados nos supermercados. Então a maior diferença é a maneira de preparar, que não usa substâncias artificiais”, afirma. A iguaria é feita em duas etapas: na primeira parte o  peixe é cozinhado com uma mistura de várias ervas, e em seguida o cozimento é feito com as pimentas.

A insatisfação com o atum que encontrava nos supermercados foi um dos motivos que instigou João dos Santos a investir no negócio. “Resolvi comprar um atum na feira e fazer minha própria conserva, usando a receita do francês que eu já sabia há alguns anos. Comprei um peixe fresco, fiz as conservas e dei para minha família brasileira provar. Foi um sucesso, com muitos elogios. Então no ano passado resolvi fazer de um modo mais profissional, visando o mercado”, conta.

Nas conservas, João utiliza pescado nativo fresco, comprado cedinho no Canto do Mangue
Nas conservas, João utiliza pescado nativo fresco, comprado cedinho no Canto do Mangue

O diferencial está no sabor. E também no processo de produção. Sou eu que vou comprar o atum. “Sou eu que corto, cozinho, faço tudo. É um produto artesanal. Eu sei o que vou fazer com esse atum”, afirma João, ressaltando que ele mesmo compra o peixe, bem cedo, na Ribeira e nas Rocas, pegando o peixe fresquinho com os pescadores da área. “O RN tem um ótimo atum, tem que saber aproveitar isso”, diz.

As iguarias do Bom João podem ser encontradas nas prateleiras de lugares como Mercatto, Papa Capim, Olga Pão de Queijo, e também duas vezes por mês na feira Garajal, aonde João vai expor os produtos junto com a esposa. Tem também o Instagram onde as pessoas podem ligar direto e fazer as encomendas. O comerciante afirma que tem interesse em ampliar o negócio, mas que prefere ir devagarinho. O carpaccio de atum seria um produto em que João gostaria de investir futuramente. O mar está para atum.

Serviço:
Atum Bom João. Mais informações pelo 99481-9527 ou no Instagram @atumbomjoao






continuar lendo


Deixe seu comentário!

Comentários