Santos despacha o Boca, 3 a 0, e fará final histórica com Palmeiras

Publicação: 2021-01-14 00:00:00
O Santos garantiu de forma espetacular a final brasileira da Copa Libertadores. Colocou o Boca Juniors na roda, ganhou por 3 a 0 ontem, na Vila Belmiro, e vai enfrentar o Palmeiras dia 30, em jogo único, no Maracanã. Um prêmio merecido para uma equipe que conviveu com os problemas políticos do clube, mas, liderada pelo técnico Cuca - com sua proposta ousada e intensa dentro do campo e um faz-tudo fora dele - superou o descrédito que sobre ela recaía.

Créditos: Ivan Stort/Santos FCApontado como o melhor jogador em campo, Soteldo marcou um golaço sobre o “temido” BocaApontado como o melhor jogador em campo, Soteldo marcou um golaço sobre o “temido” Boca

Os gols da partida foram marcados por Diego Pituca, aos 15 minutos do primeiro tempo. A conta foi fechada com dois gols relâmpagos na etapa complementar: Soteldo, aos 3, e Lucas Braga, aos 5 minutos. A tarefa argentina ficou ainda mais complicda depois que eles tiveram o lateral Fabra, expulso.

É a quinta vez que o Santos decidirá a Libertadores, e vai buscar o quarto título - foi campeão em 1962, 1963 e 2011. Será a terceira final entre brasileiros. Em 2005, o São Paulo foi campeão em cima do Athletico-PR; em 2006 deu Internacional contra o São Paulo.

Em uma temporada marcada por várias dificuldades e problemas extracampo, o Santos deu mais um exemplo de superação.

Esses desafios enfrentados pelo Santos na temporada 2020 foram lembrados pelo venezuelano Soteldo. Eleito o melhor jogador da partida, avaliou que a dedicação da equipe acabou sendo recompensada com a vaga na final, a ser disputada no dia 30, contra o Palmeiras, no Maracanã.

"Me arrepia, a gente passou por muita coisa no começo do ano, mas Deus compensou hoje (quarta-feira) tudo o que a gente vem fazendo. É agradecer a Deus por esse prêmio que a gente ganhou, trabalhamos para isso, mas agora é trabalhar e pensar na final. Agradeço a esse grupo, merecemos a classificação", disse.

Soteldo marcou o segundo gol do Santos na partida e lembrou que ele mesmo enfrentou dificuldades pessoais, não participando do confronto das quartas de final diante do Grêmio por ter contraído o coronavírus. "Feliz com o gol. Fiquei triste por não jogar contra o Grêmio, mas eu confiava nos meus companheiros. Esse time que a gente tem é muito forte", afirmou.

Em tom de provocação ao Boca, Soteldo ainda destacou a imposição do Santos diante de um adversário que só havia perdido uma vez em casa nesta Libertadores e levado somente três gols até ser facilmente batido na Vila Belmiro. "Na nossa casa não são bem-vindos, não vão jogar, aqui quem manda somos nós", concluiu.