Natal
Saxofonista leva música a pessoas durante isolamento em Natal
Publicado: 00:00:00 - 03/05/2020 Atualizado: 09:31:13 - 03/05/2020
Ícaro Carvalho
Repórter

A chegada do coronavírus e as medidas de isolamento social fizeram vários trabalhadores buscarem soluções e alternativas para manter as contas da casa em dia. O músico Joedson Silva, 29 anos, é uma desses potiguares afetados com a crise causada pelo Covid-19. Com casamentos, festas, solenidades e formaturas adiadas, além da suspensão de suas aulas, o saxofonista resolveu inovar e resgatar para Natal as antigas serenatas, levando música, paz e um clima diferente para os que estão cumprindo isolamento em casa em meio à pandemia.

Tudo começou no final de março, quando um cliente pediu para fazer uma serenata surpresa no aniversário do filho, que estava distante e não seria possível a visita, em função do isolamento. Naquele momento, conta Joedson, as apresentações tinham caído praticamente para zero e ele se viu sem alternativas para levantar fundos.
Alex Régis
Joedson Silva, de 29 anos, faz apresentações, durante o dia, até 22h. Já fez até uma alvorada às 6h para acordar um aniversariante

Joedson Silva, de 29 anos, faz apresentações, durante o dia, até 22h. Já fez até uma alvorada às 6h para acordar um aniversariante

“Seria um presente musical para o filho. A pessoa me deu mais ou menos o posicionamento que ele ficava perto da janela do quarto dele. Comecei a tocar e as pessoas correram para as janelas, batendo palmas, como se fosse para elas. Pessoal bateu palma, pediu bis, cantou parabéns para o aniversariante. Fiz uns recortes de uns vídeos que o pessoal mandou, comecei a enviar para meus grupos e começou a procura”, revela à TRIBUNA DO NORTE.

Desde então, Joedson não parou mais. Foram pelo menos 100 apresentações até aqui. Os trabalhos estão acontecendo em condomínios, edifícios residenciais e nos largos dos grandes prédios de Natal. Ele conta ainda que o telefone não tem “parado de tocar” nos últimos dias, com a repercussão que tem ganhado nas redes sociais.

“Esses dias têm sido muito intensos. São apresentações pela manhã, tarde, noite e até 22h. Já fiz até a partir das 6h, uma alvorada para uma pessoa acordar, era um aniversário”, comenta.  

Ao começar a pressionar as teclas do seu saxofone dourado, saindo o som grave e com alto alcance do instrumento, é automática a reação das pessoas dos condomínios e edifícios. Os curiosos, ao escutar músicas como “Hey Jude”, dos Beattles, “Como é Grande o Meu Amor por Você”, de Roberto Carlos, ou “Asa Branca”, de Luiz Gonzaga, logo saem para as janelas, aguçam os ouvidos e pegam os celulares para registrar o momento.

De acordo com Joedson, as apresentações têm horários variados. Seja pela manhã, à tarde ou à noite, o saxofonista tem feito em média 10 atividades por dia. Com o alcance do seu trabalho, ele conta que já fez exibições em Parnamirim e até em Macaíba, cidades da Grande Natal. Para quem deseja ter um momento musical em seu condomínio ou residência, o músico tem cobrado uma taxa de R$ 100, dependendo do tempo de apresentação e do repertório.

“É uma missão que estou cumprindo como músico”

Natural de Cruzeta, Seridó potiguar, Joedson toca saxofone desde os nove anos. A cidade natal do artista, inclusive, é terra de uma das mais famosas bandas filarmônicas do RN, a Filarmônica 24 de Outubro, com 35 anos de atuação na cidade seridoense. Em 2008, ele veio à Natal para cursar Música, na Universidade Federal do Rio Grande do Norte e começou a dar aulas e fazer sua carreira como saxofonista profissional. No ano passado, inclusive, ele chegou a ser homenageado pela Câmara Municipal de Natal.

Acostumado em tocar nos hotéis, casamentos, formaturas, solenidades e outras situações, ele se viu numa situação complicada com o crescimento dos casos de coronavírus e a recomendação das autoridades sanitárias para a quarentena e o isolamento social, que evitou aglomerações e consequentemente, cancelamento dos seus principais eventos.

“Tocava muito nos hotéis da Via Costeira. Os hotéis fecharam e os eventos extras também foram cancelados. Sou professor de música, as escolas foram fechadas. Passei um tempão em casa”, reforça.

Conquistando sua clientela num novo mercado, aberto em meio a pandemia, ele conta que se sente orgulhoso da reação das pessoas e revela ainda que tenta passar alguma mensagem em suas apresentações.

“Está trazendo bastante paz, esperança e paciência. Teve uma vez que eu toquei e essa pessoa disse que o aniversário dela tinha sido um dos melhores da vida dela. Quer dizer, estamos passando esse momento turbulento, mas a pessoa disse que foi isso. Pra mim é uma realização profissional. É uma missão que estou cumprindo como músico, instrumentista, é surpreendente em meio a esse momento preocupante que estamos vivendo”, conclui.

Artistas locais e nacionais  apostam em lives

O músico Joedson Silva não é o único que teve de se reinventar para manter sua força de trabalho em atividade na pandemia de coronavírus. Nas últimas semanas, os artistas locais e nacionais têm apostado em lives nas redes sociais e angariado fãs, visualizações, arrecadações e também marketing.

Boa parte das lives têm feito arrecadação de alimentos e donativos por meio de QR Codes, que são repassados a instituições filantrópicas. Os artistas também estão aproveitando o momento para lançar parcerias, com empresas anunciando nas lives e financiando os músicos.
Sendo um dos principais segmentos afetados com a pandemia, as instituições também veem no entretenimento a oportunidade de auxiliar outros setores.

É o que vai acontecer neste domingo, (3), às 17h, a nível do Rio Grande do Norte. Isso porque uma iniciativa da Secretaria Estadual de Turismo do RN e da Emprotur vão promover uma live com a Banda Grafith, uma das mais populares do Estado, com o objetivo de arrecadar recursos que serão revertidos na aquisição de cestas básicas e kits de higiene.
De acordo com a Setur, a ideia da live é ajudar os profissionais autônomos do turismo e amenizar o impacto causado pela pandemia. As doações terão cota mínima de R$ 25 e contam com apoio de vários órgãos e entidades do setor turístico do Rio Grande do Norte. Já iniciada, a campanha tem a meta de arrecadar R$ 50 mil. Até o momento, já foram arrecadados cerca de R$ 8,6 mil. Pessoas físicas ou jurídicas podem participar da ação.

"A conjuntura atual demanda esforços conjuntos para que os trabalhadores mais afetados pela pandemia tenham condições mínimas de sobrevivência. O turismo é o segmento que mais tem sofrido com a paralisação das atividades e, por esse motivo, construímos essa parceria com a Banda Grafith e contamos com o apoio de todos", destacou Aninha Costa, secretária de Turismo.

Uma das bandas mais populares do Estado, a Banda Grafith tem mais de 30 anos de estrada e é formada pelos músicos e irmãos Junior, Joãozinho, Kaká e Carlinhos. Esta será a terceira apresentação ao vivo da banda via plataformas digitais. No final do último mês, por exemplo, o cantor Kaká Grafith chegou a se apresentar para os vizinhos do condomínio onde mora direto de sua varanda.





Leia também

Plantão de Notícias

Baixe Grátis o App Tribuna do Norte

Jornal Impresso

Edição do dia:
Edição do Dia - Jornal Tribuna do Norte