Governo forma comissões para organização de quatro concursos no RN; veja

Publicação: 2019-02-09 15:25:00 | Comentários: 0
A+ A-
A Secretaria de Administração e Recursos Humanos do Rio Grande do Norte (Searh) formulou quatro comissões que vão organizar e viabilizar quatro concursos públicos no Estado. Entre os certames, está a reformulação da comissão do concurso da Polícia Civil, que chegou a ser cancelada em outubro do ano passado por divergências quanto aos valores da empresa que iria tocar o concurso. Também há comissões para concursos na Polícia Militar, Fundase, além de cargos de pilotos de aeronaves. As portarias foram divulgadas na edição do Diário Oficial do Estado deste sábado (09).

Concurso da Polícia Civil terá, segundo a Searh, 302 vagas, das quais 41 para delegado substituto, 235 vagas para agente e 26 vagas para escrivão
Uma das comissões instauradas é para organização do concurso da Polícia Civil


Todas as comissões são presididas por servidores da própria Searh. No caso do concurso da Polícia Civil, quatro delegados foram designados para tocar as fases do certame. Entre elas estão a contratação da banca organizadora e definições de prazos para as seleções.

A Associação dos Delegados da Polícia Civil do Rio Grande do Norte comemorou a publicação e disse, nas redes sociais, que "continuará diligente para garantir celeridade desse processo, pois a Polícia Civil e a sociedade potiguar precisam desse concurso".

Nesta semana, reportagem da TRIBUNA DO NORTE mostrou que o Estado tem o 5º menor efetivo de policiais civis em todo o país. O último concurso para a categoria foi promovido há 10 anos e o déficit é de 3.720 profissionais no RN.

Memória
Promessa antiga de governos e aguardado para 2018, o concurso para agentes e delegados da Polícia Civil permanece sem data para acontecer. No final de outubro, a Secretaria Estadual de Administração e Recursos Humanos do Estado do Rio Grande do Norte (Searh/RN) publicou uma portaria cancelando a contratação do instituto que estava responsável pela realização do certame, e suspendeu a portaria que criava a Comissão Especial voltada para realização do concurso.

A decisão veio após uma série de reações e contra-indicações de contratação da empresa que havia sido selecionada, o Instituto Acesso. À época, a Procuradoria Geral do Estado opinou contra a contratação, enquanto o Ministério Público do Estado recomendou a suspensão do contrato e a anulação dos atos que criavam a Comissão. 

A Defensoria Pública do Estado foi outra a enviar, ao Governo, questionamentos a respeito da empresa, de cuja contratação custaria R$ 1,1 milhão a mais do que a indicada anteriormente, o Instituto Vunesp. Em matéria publicada no dia 3 de outubro pela TRIBUNA DO NORTE, também foi revelado que o Instituto Acesso não possui patrimônio, além de ter realizado apenas seis concursos ao longo de seus 21 anos de existência, tendo um deles sido suspenso no Amazonas graças a falhas na realização do certame.  

Outros concursos
De acordo com a portaria publicada neste sábado, há também a formação de uma comissão para concurso na Fundação de Atendimento Socioeducativo do Estado do Rio Grande do Norte (Fundase, antiga Fundac), também foi formada com servidores do órgão, através da portaria 12/2018. 

Outra comissão viabilizada é a de um concurso para a Polícia Militar do RN. Reformular a composição da Comissão de Especial designada para realização de Concurso Público para reposição de vagas de Praças decorrentes de inatividade, falecimento, exonerações, exclusão a bem da disciplina ou outra forma de vacância para atender à necessidade e interesse público" Em 2018, o governo realizou concurso para mil vagas de praças no estado.

Há ainda um concurso que já tem número de vagas definido na portaria da formação da comissão especial. O certame é para o cargo de piloto de aeronaves, que será vinculado ao Gabinete Civil do Governo. São três vagas, segundo a portaria.








continuar lendo


Deixe seu comentário!

Comentários