Sebrae/RN tem programa para jovens empresários

Publicação: 2018-02-11 00:00:00 | Comentários: 0
A+ A-
Conquistas a independência financeira com a abertura do próprio negócio é o sonho da maioria dos jovens brasileiros. Bruno Bezerra, 28, e Wander Ferreira, 31, se encaixam no perfil do novo empresariado brasileiro. Jovens, formados e de olho na dinâmica das necessidades das pessoas, eles reuniram ideias e recursos e decidiram montar um negócio. Antes disso, porém, analisaram mercado e buscaram ajuda profissional para não cairem em armadilhas.

Bruno Bezerra e Wander Ferreira foram na contramão da crise financeira, analisaram oportunidades e investiram em negócio próprio
Bruno Bezerra e Wander Ferreira foram na contramão da crise financeira, analisaram oportunidades e investiram em negócio próprio


“Há oito meses surgiu a ideia enquanto eu era aluno de um box de Crossfit. Comecei a observar a necessidade dos demais alunos e, além disso, eu tinha uma ideia fixa de abrir um negócio similar no bairro de Tirol”, relembra Bruno Bezerra. Ao lado do hoje sócio Wander Ferreira, professor de Educação Física, abriram a Box Tirol, local no qual são ministradas aulas de atividades esportivas que caíram no gosto do potiguar nos últimos anos: crossfit e calistenia. “Eu imaginava que ficaríamos no vermelho por, no mínimo, seis meses. Hoje, estamos com um número considerável de alunos e nossa meta é expandir ainda mais”, destaca Bruno Bezerra.

De acordo com a gerente da Unidade de Educação e Empreendedorismo do Sebrae/RN, Tathiana Udre, estima-se que no Brasil existem atualmente em torno de 20 milhões de potenciais empresários. Entretanto, não basta ter o dom ou a pré-disposição em empreender, mas sim, planejamento. “Embora a maioria dos empresários ao fecharem suas empresas aleguem como principais motivos a crise, a concorrência, a falta de clientes e a elevada carga tributária, percebemos que, em muitos casos, a falta de planejamento anterior à abertura do empreendimento (elaboração de um plano de negócio), falta de uma boa gestão financeira, escolha inadequada de ponto comercial e baixo investimento na capacitação dos colaboradores, tem se constituído em causas também relevantes agregadas aquelas apontadas inicialmente”, elenca Tathiana Udre.

Tathiana Udre, gerente da Unidade de Educação e Empreendedorismo do Sebrae/RN
Tathiana Udre, gerente da Unidade de Educação e Empreendedorismo do Sebrae/RN

Ao relembrar o caminho que percorreu até a abertura do negócio, Bruno Bezerra destaca que ainda há bastante burocracia e desconfiança quanto à liberação de crédito para o jovem empresário. “Há bastante burocracia e custos excessivos. A REDESIM era para verificar processos, minimizar o tempo perdido, mas não funciona a contento. A Semurb é muito lenta, diante das demandas diárias para abertura de empresas. Gastamos três meses para regularizar a empresa e tirá-la do papel”, declara. Do total investido na abertura do negócio, somente 30% foi a partir de financiamento contraído junto à instituição financeira. 

COMEÇAR BEM
O Sebrae/RN conta com um programa chamado Começar Bem, que atende os potenciais empresários, pessoas que estão se preparando para abrir um negócio ou que já tem alguma experiência em trabalhar por conta própria. Os principais produtos oferecidos são: orientações técnicas personalizadas, palestras gerenciais, oficinas e cursos, na modalidade presencial ou à distância. A maioria dos serviços é oferecida de forma gratuita ao cliente e os que tem investimentos possuem um valor médio de R$ 100,00 por produto. Informações sobre a programação no site: www.rn.sebrae.com.br.


continuar lendo



Deixe seu comentário!

Comentários