Cookie Consent
Política
Secretário pede 'paciência’ na discussão de reajustes
Publicado: 00:01:00 - 22/05/2022 Atualizado: 16:37:00 - 21/05/2022
Eduardo Rodrigues
Agência Estado  

O secretário especial do Tesouro e Orçamento, Esteves Colnago, admitiu que todo movimento grevista é preocupante. Além do Banco Central e do INSS já estarem parados, o Tesouro e a Controladoria-Geral da União (CGU) também iniciarão greves nos próximos dias.

Wilson Dias/Agência Brasil
Secretário especial do Tesouro, Esteves Colnago, admitiu que o governo está preocupado

Secretário especial do Tesouro, Esteves Colnago, admitiu que o governo está preocupado


"Todo movimento grevista é preocupante. Mas há preocupação de servidores de preservar serviços essenciais. Nesse sentido não me preocupo. Tenho certeza que os serviços essenciais estarão preservados. O que eu peço é um pouco mais de paciência dos servidores porque uma definição sobre reajustes não deve tardar tanto assim", completou Colnago.

O secretário do Tesouro Nacional, Paulo Valle, lembrou que o órgão entrará em greve na segunda-feira, 23. "O quanto antes definir sobre o aumento (salarial), melhor, porque greve é sempre desgastante. Em todo caso, estamos tomando providência para manter os serviços essenciais, que já estão listados", respondeu.

Segundo Valle a gestão da conta única, liberação de recursos, operações de crédito e a publicação de alguns relatórios já estão na lista de serviços essenciais que não devem ser afetados pela greve. "Os leilões e o pagamento da dívida pública, e as emissões e resgates do Tesouro Direto também são essenciais", enfatizou.

CGU
Os servidores da Controladoria-Geral da União (CGU) decidiram entrar em greve por tempo indeterminado a partir de 30 de maio. A decisão foi tomada em assembleia realizada ontem pelo Sindicato Nacional dos Auditores e Técnicos Federais de Finanças e Controle (Unacon Sindical), que representa os servidores da CGU. A categoria pleiteia um reajuste salarial de 27%.

Segundo o sindicato, a paralisação foi aprovada por 80% dos trabalhadores. Com essa decisão, o número de carreiras em greve sobe para quatro. Também estão de braços cruzados os servidores do Banco Central (BC) e do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS). Os servidores do Tesouro iniciam movimento de paralisação a partir da próxima segunda-feira.

"A greve é um último recurso, mas neste momento crítico em que o prazo legal para recomposição salarial em ano eleitoral se esgota e em que persiste a sinalização do governo de reajustes discriminando a carreira de Finanças e Controle, os servidores da Controladoria-Geral da União, bem como do Tesouro Nacional, aprovaram a intensificação da mobilização. Não abrimos mão de defender a nossa carreira e nossas instituições", disse Bráulio Cerqueira, presidente do Unacon Sindical, em nota.

O presidente Jair Bolsonaro sinalizou que concederá reajuste linear de 5% para todas as categorias do funcionalismo, inclusive do Judiciário e do Legislativo. Entretanto, a proposta, que depende de aprovação de deputados e senadores, não foi enviada ao Congresso.

Leia também

Plantão de Notícias

Baixe Grátis o App Tribuna do Norte

Jornal Impresso

Edição do dia:
Edição do Dia - Jornal Tribuna do Norte