Secretaria de Saúde confirma cinco mortes por influenza no RN em 2018

Publicação: 2018-05-14 15:22:00 | Comentários: 0
A+ A-
O Rio Grande do Norte tem cinco mortes causadas pelo vírus da gripe (Influenza) desde o início do ano. A informação foi confirmada pela Secretaria Estadual de Saúde Pública (Sesap) no início da tarde desta segunda-feira (14). Outras 18 mortes notificadas pelos hospitais à pasta foram causadas por doenças respiratórias graves, mas não são do vírus influenza.

Inicialmente, a assessoria de comunicação do estado divulgou quatro mortes. No entanto, a morte de uma mulher no Hospital Regional de Caicó, no último dia 10, não notificada inicialmente, também foi causada pelo vírus Influenza A e incluída na lista. Essa informação foi confirmada pelo Laboratório Central do Rio Grande do Norte e por fontes da Sesap ouvidas pela TRIBUNA DO NORTE.

Das cinco mortes, quatro foram por influenza A (H1N1 ou H3N2) e uma foi por influenza B - de mesma gravidade. As mortes não foram subtipadas.

Até então, 145 notificações de doenças respiratórias graves foram notificadas à Sesap. Destas, 20 são confirmados como gripe e oito são de outros vírus respiratórios, também sazonais. Metade é o vírus H1N1.

A subcoordenadora de vigilância epidemiológica do Estado, Maria de Lima, ressalta, no entanto, que o número não é razão para alarde. "Hoje, o vírus H1N1 é como qualquer outro, é como o H3N2. É preciso ver os dois com preocupação, mas as pessoas precisam compreender que ter H1N1 não é tão grave como quando surgiu", disse.

A Sesap reforça as principais medidas de controle que podem ser adotadas:


·Higiene das mãos com água e sabão, depois de tossir e espirrar, após usar o banheiro, antes das refeições, antes de tocar os olhos, boca e nariz.
·Evitar tocar os olhos, nariz ou boca, após o contato com superfícies;
·Proteger com lenços (preferencialmente descartáveis a cada uso) a boca e nariz, ao tossir ou espirrar, para evitar disseminação de aerossóis;
·Evitar sair de casa enquanto estiver em período de transmissão da doença (até 5 dias após o início dos sintomas);
·Evitar entrar em contato com outras pessoas suscetíveis. Caso não seja possível, usar máscaras cirúrgicas;
·Evitar aglomerações e ambientes fechados;
·Repouso, alimentação balanceada e ingestão de líquidos.

continuar lendo



Deixe seu comentário!

Comentários