Secretaria não atenderá reivindicações de professores

Publicação: 2011-05-02 12:44:00 | Comentários: 6
A+ A-
Marco Carvalho - Repórter

A secretária estadual de educação, professora Betânia Ramalho, afirmou na manhã desta segunda-feira, 2, que o Governo do Estado não tem condições financeiras de atender às reivindicações feitas pelo Sindicato dos Trabalhadores em Educação (Sinte/RN). A professora recebeu em seu gabinete no final da manhã representantes do protesto.

Professores protestam em frente à governadoriaEla declarou que a “melhor saída é sentar para conversar, de modo que os alunos não saiam prejudicados”. “Fiquei surpresa com a falta de boa vontade dos professores em decidirem pela greve. Enviei nota sexta-feira passada para discutir questões contraditórias e hoje fui informada de tal decisão”, comentou a secretaria.

Na manhã de hoje, os representantes do Sinte protocolaram o ofício em que as reivindicações da greve são esclarecidas e oficializadas. A decisão pela paralisação ocorreu sexta-feira passada em assembleia, mas não recebeu apoio total da classe.

A presidente do Sinte, Fátima Cardoso, esclarece a motivação da greve. “Queremos uma equiparação de salários pagos no âmbito estadual e que não é aplicado para profissionais da educação”. Segundo ela, há uma defasagem em mais de 100% no pagamento de certas categorias e a situação se mostrou insustentável.

A categoria não aceitou o pedido da Secretaria Estadual de Educação em prolongar por mais 120 dias a discussão sobre o aumento reivindicado. “Já aguardamos 120 dias e esse pedido de prolongamento foi incompatível com as nossas necessidades”, encerrou.

continuar lendo



Deixe seu comentário!

Comentários

  • aline-oliveira.15

    Será que os filhos da presidenta do Sinte, Fátima Cardosodo, estudam em escola pública? Acho que não. Se ela soubesse o quanto isso está prejudicando os alunos, principalmente aqueles que vão fazer vestibular esse ano, nem pensaria em fazer greve, eu sei que os professores querem mais dinheiro, mas eles só querem isso, aposto que não tá nem ai para os alunos, mas se fossem os filhos deles com certeza eles se preocupariam!

  • fernandasaporski

    Os professores estão certos em reivindicar seus direitos, porque é uma das poucas categorias que ganham muito pouco no Estado, além de conviverem com péssimas condições de trabalho, violências nas escolas e alunos que não querem nada. Vamos olhar para nosso professor minha gente!! Apoio à greve sim!!! Chega de salário-miséria.

  • ciceroimoveis

    Enquanto nossos representantes, constitucionalmentes escolhidos através de eleição pública, não priorizarem a educação pública deste Brasil, ainda teremos muitas greves de professores; seria muito oportuno se os filhos dos nossos parlamentares estudassem e frequentassem a Escola pública, somente assim, sentiriam na pele, o que os milhares de alunos de famílias simples, que dependem da rede pública estadual de ensino, estão nesse momento prejudicados e sentindo. Isso me leva a algumas indagações: a) Para aumentar os salários dos deputados, juizes, vereadores e outros, a Lei de responsabilidade fiscal, é facilmente esquecida? b) Até quando os professores do ensino público desse país serão digna e financeiramente reconhecidos, como importantes no desenvolvimento desta nação?

  • thiagodeclaudiceia

    \"... que saudades da professorinha...\"

  • namagaderas

    Infeliz de um país que trata destrói uma creche para construir um campo de futebol, e que trata a educação como supérfluo.

  • luiztrindade

    SUGESTÃO: Passar a Secretaria de Educação do Estado para os cuidados administrativos da Secretaria Estadual da Copa 2014 ou diretamente para a CBF. Nesses dois, pelo que se sabe, nunca falta dinheiro e nem se tem essa tal de LRF...