Seis artistas e um muro em Ponta Negra

Publicação: 2017-04-08 00:00:00 | Comentários: 0
A+ A-
O calçadão da praia de Ponta Negra ganhará as cores da arte urbana potiguar. Promovida pelas secretarias municipais de cultura (Secult/Funcarte) e urbanismo (Semurb), a intervenção conta com a participação de seis artistas de diferentes estilos. Juntos, eles darão vida a um muro de 35 metros à beira mar.

Emanoel Aquila, que assina como Jão, trabalha com figurativo
Emanoel Aquila, que assina como Jão, trabalha com figurativo

Segundo o diretor de Artes Integradas da Secult, o artista Flávio Freitas, a intenção do projeto é transformar a paisagem urbana em um cenário artístico, sobretudo em áreas de interesse turístico. “Nosso desejo é fortalecer a produção de grafite na cidade. Essa é a primeira experiência com contração de artistas. O resultado vai nos servir de referência para novos passos no futuro”, diz. O painel deve ser concluído até o final de abril.

O grafite será realizado pelos artistas Digone (RJ), Kendo (França), Pok (RN), Félix (RN), Jão (RN) e Miguel Carcará (RN). Todos foram selecionados por meio de chamada pública promovida em maio de 2016. Dentre os critérios de avaliação foram usados análise do currículo do artista e de registros de grafites feitos na cidade. Cada um receberá R$ 1.200 pela ação.Os artistas participantes:

Jão (Emanoel Aquila)
O natalense Jão deu seus primeiros passos na arte urbana em 2010, na Vila de Ponta Negra – atualmente ele reside na Zona Norte. Seus trabalhos exploram temas naturalistas, principalmente animais. Em suas pinturas em usa pincel, rolinho e tinta látex. Estudante de Cinências Sociais na UFRN, ele também trabalha com tatuagem e pintura em tela.

Felix (Douglas Felix)
O potiguar começou no grafite em 2005, depois de aprender algumas técnicas na escola em que estudava. Atualmente trabalhando como fotógrafo, tem se dedicado ao grafite por hobby. Ele trabalha com spray e tinta latex, pintando letras abstratas do tipo wildstyle – forma intricada de letras e formas. Seus grafites normalmente são aplicados em locais abandonados.

Digone (Diogo Borges)
Natural do Rio de Janeiro, mas radicado em Natal, Digone desenvolve seus trabalhos nas ruas desde 2006. Aprendeu o grafite por conta própria. Integrante das crews cariocas TVK e 55, ele começou no grafite de maneira autodidata. As primeiras pintura eram letras, mas agora desenvolve também formas orgânicas. O artista já participou de eventos voltado para arte urbana no RJ, MG e, no ano passado, integrou a exposição Inarteurbana.

Miguel Carcará (Miguel Nery da Silva)
O paraibano Miguel Carcará escolheu Natal para viver e é na cidade que ele tem se envolvido com a cultura urbana, principalmente na Zona Norte (ele reside na Redinha), onde atua como rapper, grafita e realiza trabalhos sociais.

Kendo (Octave Raphael Unglik)
Nascido em Bordeaux, na França, Kendo desenvolve seus trabalhos no Brasil desde 2006. Há poucos anos em Natal, ele já deixou sua marca em vários muros da cidade e já montou exposição individual na Aliança Francesa. A essência do seu grafite é abstrato, com profundidade de cores e formas, tendo como ponto de partida a letra.

Pok (Kefren de Lima)
Designer de formação, Pok vem vem há seis anos firmando seu nome nos muros de Natal. Seus grafites são marcas conhecidas na cidade: olhos de colorido psicodélico e bolas de linhas emaranhadas. Além dos muros, seus trabalhos podem ser vistos em postes, caixas de telefônicas e de energia.


continuar lendo



Deixe seu comentário!

Comentários